Mercado firme. As ofertas de compra estão alinhadas à referência, há poucas tentativas de negócios por preços menores. A amplitude entre as ofertas maiores e menores dificilmente ultrapassa os R$2,00/@ em quase todas as praças. Estão cada vez mais comuns pagamentos acima da referência.

A carne, apesar da estabilidade nas cotações, não tem sido o fator de sustentação do mercado, aliás, se não impede, pelo menos, limita as valorizações. O consumo não vai bem. É a disponibilidade de boiadas que dita o ritmo dos negócios. Não há facilidade para adquirir matéria-prima.

A seca e seus efeitos no capim ainda não foram sentidas na maior parte do Brasil e os produtores mantém os animais com certa facilidade no pasto. Ruim para as indústrias e positivo para a firmeza do mercado. Em São Paulo, todas as indústrias menores estão pagando entre R$137,00 e R$138,00/@, à vista, já descontado o funrural. No mercado atacadista de carne bovina, o boi casado de animais castrados, depois da queda de 3,5% no final da última semana, está sem fôlego para reajustes e segue em R$9,61/kg.

Fonte: AgroLink

Veja também:  Agricultura vertical diminui consumo de água em até 95%

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: