A semana é de recuperação nos preços da arroba bovina no Mato Grosso. Com a volta das unidades frigoríficas nesta segunda (24), a procura por animais se intensificou e, em alguns casos, o preço pago pela boiada supera os patamares praticados antes da operação Carne Fraca, da Polícia Federal.

Conforme conta o vice-presidente da Acrimat (Associação dos Criadores do Mato Grosso), Luiz Fernando Amado Conte, as escalas de abate no estado estão curtas e há dificuldade na aquisição dos animais.

A postura de venda compassada adotada pelos pecuaristas, desde que a operação da PF veio à tona, reduziu a oferta de animais em plena safra de pasto.

Na média das vendas o preço praticado está em R$ 125/@, mas há “negócios isolados de grande volume, na casa de R$ 130/@, melhor do que antes da Carne Fraca”, diz Conte.

Para ele, as cotações devem permanecer firmes nas próximas semanas, com frigoríficos a procura de animais e, os pecuaristas ainda com suporte do pasto para vendas compassadas.

Contudo, “é natural que depois de maio comece a estiagem e, então o pecuarista perca um pouco desse fôlego de reter boi”, acrescenta. Ainda assim, não diz acreditar em um derretimento dos preços.

Há no radar, outra preocupação no longo prazo, o confinamento. Os analistas estimam aumento na oferta de animais confinados em função do menor custo com grãos.

Veja também:  Famato se reúne com secretário de Fazenda e apresenta demandas do setor

Fonte: NotíciasAgrícolas

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: