A despeito do período mais curto (quatro dias úteis), os embarques de carne de frango da terceira semana de abril registraram a melhor média diária do mês – 16.743 toneladas/dia.

Isso, porém, não foi suficiente para alterar de forma significativa a média dos primeiros 13 dias úteis de abril (72% de um total de 18 dias úteis). Ela ficou em 15.601 toneladas diárias, resultado que sinaliza para a totalidade do mês volume pouco superior a 280 mil toneladas apenas de produto in natura.

Se esse número se confirmar, o resultado corresponderá a embarques diários 4,5% superiores aos de março passado, mas a um volume nominal 18% inferior. Porque março teve cinco dias úteis a mais.

A maior diferença, porém, tende a recair sobre o mesmo mês do ano passado, quando a média diária ficou em 18.930 toneladas e o total exportado superou as 378 mil toneladas, segundo melhor resultado do ano. Ou seja: a atual projeção sugere que o setor deixará de exportar mais de um quarto do que foi atingido em abril de 2016.

A registrar, ainda, que embora em passo bem mais lento que anteriormente, o preço médio do frango in natura continua em evolução, apresentando, até aqui, incremento anual de 18,44%. Aquém, portanto, dos índices de aumento registrados entre janeiro e março (+19,39%, +23,08% e +20,04%, respectivamente). E a redução, neste caso, não é culpa do mês mais curto.

Veja também:  Frango Vivo: Desempenho do primeiro decêndio de setembro

Fonte: AgroLink

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: