A maior procura é uma boa notícia para os agricultores dos EUA, que devem ter a maior produção de soja da história. Em contrapartida, as importações chinesas de milho devem recuar no mesmo período.

A estimativa de importação de soja da China subiu 6% ao ano para o acumulado de 12 meses até 30 de setembro de 2017, segundo dados divulgados pelo governo do país nesta segunda-feira (7/11). As autoridades chinesas ponderaram que esse número tende a continuar crescendo. As importações de soja devem atingir 85,3 milhões de toneladas no ano até 30 de setembro de 2017, acima dos 83,2 milhões de toneladas no período anterior. O aumento é uma consequência da maior demanda no país, que deve consumir 3% a mais do grão no período – 99,7 milhões de toneladas.

A sólida demanda, particularmente da China, pela soja dos Estados Unidos no terceiro trimestre de 2016 ajudou a reduzir o déficit comercial norte-americano. A maior procura é uma boa notícia para os agricultores dos EUA, que devem ter a maior produção de soja da história.

Em contrapartida, as importações chinesas de milho devem recuar no mesmo período. De acordo com o relatório, serão apenas 1 milhão de toneladas ante uma estimativa anterior de 3,2 milhões. Os números apontaram uma queda na produção local do grão em 5%, para 213,6 milhões de toneladas na safra 2016/17. No início desde ano, a China removeu uma política implementada desde 2007 que estabelecia um preço mínimo para os produtores locais de milho. A retirada do incentivo, junto com a queda nos preços, devem reduzir a produção, segundo analistas. Fonte: Dow Jones Newswires.

Veja também:  CNA debate propostas para consolidar novo modelo de seguro rural

Fonte: Estadão

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: