Meta é implementar ações alinhadas com comunidade científica internacional até maio de 2017.

A criação de um plano nacional para discutir a resistência aos antimicrobianos em animais, até maio de 2017, é uma das questões relevantes que vem sendo tratada pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa).

Na semana passada, técnicos da secretaria de Defesa Agropecuária (SDA) debateram o tema com representantes do Sindicato Nacional da Indústria de Alimentação Animal (Sindirações);

Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para Saúde Animal (SINDAN);

Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) Confederação de Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV).

Na reunião, o secretário de Defesa Agropecuária, Luis Rangel, destacou a importância do tema para o ministério e lembrou que em maio foi instituída a Comissão sobre Prevenção da Resistência aos Antimicrobianos em Animais (CPRA).

Durante a discussão as entidades pediram que o Mapa avance na elaboração do Plano de Ação Nacional, de forma integrada e multi setorial, alinhado com as recomendações dos organismos internacionais. As entidades afirmaram que estão disponíveis para contribuir com o MAPA no levantamento da análise situacional, para identificação das lacunas e dificuldades e definição de prioridades para adequada elaboração do Plano de Ação Nacional

A resistência aos antimicrobianos é considerada uma séria ameaça ao tratamento de diversas doenças e, por consequência à saúde pública. Tem custo estimado em 1,5 bilhão de euros/ano, provocando cerca de 25 mil mortes anuais nos países europeus. Ela ocorre em todas as partes do mundo e impacta na saúde humana e animal, envolvendo muitos setores e afetando também a economia global.

Veja também:  Ciclo de palestras técnicas do Show Safra - Lucas do Rio Verde

Em maio de 2015 a Organização Mundial de Saúde (OMS) aprovou o Plano de Ação Global sobre Resistência aos Antimicrobianos, dentro do conceito de “Saúde Única”, com participação da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO) e Organização Mundial de Saúde Animal (OIE).

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: