Terminou hoje (20/4), na sede do SISTEMA FAEMG, em BH, o encontro de atualização dos técnicos do Programa Leite Saudável, promovido pelo INAES e SENAR.

O treinamento teve início na terça-feira (18), com o objetivo de alinhar procedimentos técnicos e burocráticos exigidos pelo programa federal. Participaram os 14 técnicos e dois supervisores da equipe que atua em Minas, atendendo cerca de 310 produtores das regiões Noroeste, Central, Sul e Zona da Mata.

De acordo com o superintendente do INAES e coordenador do programa em Minas Gerais, Pierre Vilela, a turma passou por capacitação inicial em julho e novembro de 2016. Na fase seguinte, de visitas a campo, novas dúvidas e dificuldades começaram a aparecer: “A condução da assistência técnica pelo programa segue metodologia e procedimentos do SENAR Nacional. Dessa rotina, percebemos a necessidade de aprofundarmos as orientações quanto à coleta de dados nas propriedades e o uso das ferramentas do software”.

A Assistência Técnica é um dos sete pontos do programa Leite Saudável e constitui serviço de orientação aos produtores rurais, de caráter continuado, realizado por meio de visitas mensais dos profissionais responsáveis pela avaliação e orientação aos produtores. O Leite Saudável também prevê a capacitação para o trabalhador na produção de leite. O objetivo central é a melhoria da produção: “Isso influencia diretamente a produtividade e a qualidade do leite, pela adoção de tecnologias disponíveis e aplicáveis às realidades locais, além da implementação de gestão eficiente na busca de maior rentabilidade para o negócio”, explica Pierre.

Veja também:  Baixa movimentação no mercado do boi gordo

Leite Saudável

O Programa Leite Saudável, lançado em 2015 pelo MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), tem como objetivo a melhoria da qualidade, da produtividade e da competitividade do leite, por meio do desenvolvimento da assistência técnica, melhoramento genético e boas práticas agropecuárias, para o aumento da renda e ascensão social dos produtores rurais.

O Programa tem como público-alvo 80 mil produtores de leite das classes C, D e E, de Goiás, Minas Gerais, Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina, estados que representam 72,6% da produção nacional (466 municípios).

Fonte: AgroLink

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: