O vice-presidente da Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso (Aprosoja), Elso Pozzobon, se reuniu, na última semana, em São Paulo (SP), com entidades europeias para detalhar o programa Soja Plus, voltado à produção sustentável da oleaginosa em Mato Grosso. “Foi um encontro para divulgar as ações do programa, pois acreditamos que ele se tornara o passaporte da soja mato-grossense na Europa”, afirmou, ao Só Notícias/Agronotícias.

Segundo Pozzobon, Mato Grosso tem condições de ampliar as exportações para o rígido mercado europeu, desde que cumpra requisitos de produção sustentável. “Eles viram neste programa a possibilidade de comprar soja responsável. Por isso, firmaram um memorando de intenções com a gente, no início do ano. É um trabalho muito sério que está sendo feito em cima dos aspectos sociais e ambientais das nossas fazendas. O Soja Plus tem seis anos de campo”.

Apenas em fevereiro e janeiro deste ano, o Estado exportou 454 mil toneladas de soja para países europeus, conforme dados do Instituto Mato-grossense de Economia Agropecuária (Imea). Entre os principais importadores estão Espanha (196 mil toneladas), Reino Unido (92 mil toneladas), Rússia (63 mil toneladas) e Holanda (103 mil toneladas). Este último país, é um dos interessados na execução do Soja Plus, conforme Elso.

“A Iniciativa para Comércio Sustentável (IDH), que é um instituto holandês, está nos dando apoio financeiro para desenvolvermos o trabalho a campo. Eles captam estes recursos na Europa e trazem para a Aprosoja executar o projeto. Também inserimos recursos próprios no programa”, disse Elso.

Veja também:  Margens das indústrias frigoríficas estão melhores

Participaram da reunião duas importantes entidades europeias: a Federação Europeia dos Fabricantes de Rações (Fefac), a Federação Europeia de Óleo Vegetal e Proteínas (Fediol). A brasileira Associação Brasileira de Indústria de Óleos Vegetais (Abiove) também esteve presente. O Memorando de Entendimento (MoU, na sigla em inglês) entre as entidades foi assinado em janeiro deste ano, em Lisboa (Portugal).

O documento reconhece o programa Soja Plus como o caminho mais adequado para se estabelecer e, futuramente, reconhecer que a soja mato-grossense é sustentável, segundo diretrizes da própria Fefac. Desenvolvido em 2011, em uma parceria entre Aprosoja e Abiove, o Soja Plus tem por finalidade a melhoria contínua das condições sociais, de trabalho e ambiental nas fazendas produtoras de soja. Em Mato Grosso, primeiro Estado a implantá-lo, o crescimento do Soja Plus nos últimos cinco anos foi de 78% em número de participantes.

Atualmente, mais de mil agricultores mato-grossenses participam do programa, e o objetivo é chegar a 1,3 mil até o fim de 2017. Também fazem parte do programa Mato Grosso do Sul, Bahia e Minas Gerais. Outra meta da Aprosoja e Abiove é que outros Estados brasileiros que tenham produção de soja implantem o programa.

Fonte: AgroNotícias

Comente esta matéria

%d blogueiros gostam disto: