fbpx
conecte-se conosco

Notícias

A escolha de Joe Biden e os impactos no agronegócio brasileiro

Publicado

em

Os norte-americanos elegeram o democrata para os próximos 4 anos. O Encontro de Analistas da Scot Consultoria, que acontecerá em 27 de novembro, debaterá o atual cenário e as expectativas do setor após as eleições no Brasil e nos Estados Unidos

Após alguns dias de especulações e polêmicas, com 290 votos contra 214, o democrata Joe Biden foi eleito presidente dos Estados Unidos, desbancando Donald Trump. Diante desse cenário, quais os impactos dessa mudança para o agronegócio e para a economia brasileira? Essa e muitas outras questões sobre o pós-eleição tanto nos EUA quanto no Brasil serão discutidas no Encontro de Analistas da Scot Consultoria, que será realizado em 27 de novembro, em São Paulo.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

O diretor-fundador da Scot Consultoria e mediador do evento, Alcides Torres (Scot), antecipa que, com relação ao agronegócio como um todo, a eleição de Biden não mudará muito o cenário neste primeiro momento, ou seja, nos próximos 12 meses. Mas, segundo ele é importante lembrar que o último grande presidente democrata católico dos Estados Unidos foi John Fitzgerald Kennedy, que era pragmático, e o Biden, que foi vice de Barack Obama, tem perfil semelhante.

“Os presidentes democratas têm a característica de defender os agricultores norte-americanos e, nesse sentido, poderemos ter alguma surpresa. Esse assunto com certeza será explorado pelos nossos debatedores no primeiro painel do Encontro de Analistas. Além da repercussão do pós-eleições nos EUA e Brasil, também abordaremos a disputa comercial entre os americanos e os chineses, e os reflexos desse cenário nos mercados mundiais”, diz Scot.

A escolha de Joe Biden e os impactos no agronegócio brasileiro 1

Neste bloco (macroeconomia) estão confirmados os debatedores Alexandre Mendonça de Barros, sócio-consultor da MB Agro; André Perfeito, economista-chefe na Necton Corretora de Valores; e Eduardo Sampaio Marques, assessor no gabinete da Ministra da Agricultura Pecuária e Abastecimento.

Também participam do bloco de macroeconomia Marcos Jank, pesquisador no Insper e professor da Esalq-USP; Pedro Parente, presidente do Conselho de Administração da BRF e Sérgio de Zen, diretor de política agrícola e informações na Conab.

A segunda parte do Encontro também contará com um bloco cujo tema é: “O boi gordo subiu e os custos de produção também”. Entre os assuntos que serão abordados estão as altas nos preços dos principais insumos consumidos pela pecuária tais como, milho, farelos e suplementos; as tendências para 2021; cenário vigente e expectativas para as relações de troca: boi gordo x bovinos para reposição, entre outros importantes temas. “Além do mercado de carne bovina, também discutiremos os mercados das principais commodities que afetam o desempenho da pecuária de corte nacional. Embora cerca de 60% da próxima safra de grãos já estejam comercializadas, a baixa dos estoques de passagem e o atraso no plantio da soja, que vai estreitar a janela da semeadura na segunda safra de milho, são elementos interessantes a se discutir”, destaca o diretor.

Neste painel os debatedores serão: Francisco Turra, presidente do Conselho Consultivo da ABPA – Associação Brasileira de Proteína Animal; Hyberville Neto, consultor de mercado da Scot Consultoria; Leandro Bovo, diretor da Radar Investimentos; Marcio Rezende Evaristo Carlos, secretário-adjunto de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento – MAPA; e Rafael Ribeiro, consultor das divisões de grãos, leite e agricultura da Scot Consultoria.

Novo formato

Este ano o Encontro de Analistas acontece será diferente, será “híbrido”, ou seja, os participantes terão a opção de participarem do evento presencialmente em São Paulo, ou remotamente/digitalmente. O evento presencial será no Espaço Villa Bisutti, na Vila Olímpia na capital paulista, um local preparado para atender todas as exigências e recomendações de segurança sanitária e terá capacidade para, no máximo, 100 participantes.

Quem optar por participar à distância, digitalmente, poderá se relacionar com outros participantes e enviar perguntas para os analistas através da plataforma de transmissão. A plataforma está preparada para atender as necessidades de quem estiver participando remotamente. Contudo, vale ressaltar que tanto para o evento presencial quanto para o digital as inscrições são limitadas, por isso é bom ficar atento.

O Encontro de Analistas da Scot Consultoria tem patrocínio da Böehringer Ingelheim, Minerva Foods, Mosaic Fertilizantes, Nutron e UPL. São parceiros do evento também, a Allflex e a Associação Brasileira de Angus (ABA). Mais informações no www.encontrodeanalistas.com.br

Por Scot Consultoria

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Notícias

Grupo de Trabalho é criado em busca de encontrar alternativas para evitar aumento de ICMS para os fertilizantes

Publicado

em

fertilizante

Uma audiência pública discutiu nessa segunda-feira (19) o aumento da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) para os fertilizantes. Esses insumos, utilizados na produção agrícola, foram excluídos da renovação do benefício previsto pelo Convênio 100/97 e serão tributados de forma gradativa, partindo de 1% até 4% em 2025.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

A proposta da discussão proposta pela Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural (CAPADR), da Câmara dos Deputados, é buscar alternativas para reverter a taxação. O evento reuniu representantes do governo federal e do setor produtivo.

O vice-presidente da Frente Parlamentar da Agropecuária (FPA), deputado federal Neri Geller (PP-MT) informou a AGRONEWS BRASIL que é veementemente contra qualquer tipo de aumento de tributo ou taxação sobre um setor que já está sobrecarregado e tem sido o principal garantidor da balança comercial brasileira. “É andar completamente na contra mão de tudo que já fizemos e já avançamos para garantir a sobrevivência econômica dessa atividade”, disse que Geller.

O deputado federal Jerônimo Goergen (Progressista-RS), autor do requerimento da audiência pública, ressaltou que caso não avance a Reforma Tributária em 2021, nos próximos anos teremos a elevação dos tributos nos insumos. O parlamentar destaca ainda que o momento pede um debate mais profundado sobre os impactos nos custos de produção e os reflexos da proposta do reajuste sobre a inflação e o preço dos alimentos.

Estudos apontam que por exemplo, os fertilizantes e defensivos compõem praticamente metade dos custos de produção da soja. “ Foi criado um grupo de trabalho interministerial, envolvendo todas as frentes, governo, câmara e produtores, que vai elaborar um Plano Nacional de Fertilizantes. Mas, caso seja aprovada a Reforma Tributária esse assunto pode ser solucionado definitivamente”, conclui Goergen.

O Plano Nacional de Fertilizantes tem o objetivo de aumentar a produção e oferta de fertilizantes nacionais (adubos, corretivos, condicionadores), além de reduzir a dependência dos produtos importados e ampliar a competitividade do agronegócio no mercado internacional.

Veja também como foi a Audiência Pública realizada hoje!

Aumento de ICMS nos fertilizantes
Clique na imagem para assistir a live realizada na manhã desta segunda-feira(19)

Por: Márcio Moreira – AGRONEWS

Continue lendo

Notícias

Ao vivo: Câmara dos Deputados discute aumento de ICMS nos fertilizantes

Publicado

em

Aumento de ICMS nos fertilizantes

A Comissão de Agricultura, Pecuária, Abastecimento e Desenvolvimento Rural da Câmara dos Deputados promove audiência pública nesta segunda-feira (19) sobre o aumento de ICMS nos fertilizantes.

Acompanhe abaixo a transmissão ao vivo.

O pedido para realização da audiência é do deputado Jerônimo Goergen (PP-RS). Ele questiona que, apesar da redução da base de cálculo de ICMS na comercialização de insumos agropecuários entre os estados, os fertilizantes vão seguir uma nova regra e vão ser tributados de forma escalonada. A alíquota será de 1% a partir de 1º de janeiro do ano que vem, passando para 2% em 2023, 3% em 2024 e 4% a partir de 2025. “Essa decisão pode trazer inseguranças jurídicas e aumentar a burocracia tributária”, lamentou Goergen.

Foram convidados para o debate representantes dos seguintes órgãos:

  • o diretor de Relações Institucionais e Assuntos Governamentais da Associação Brasileira da Indústria Química (Abiquim), ) Andre Passos Cordeiro;
  • o diretor-executivo da Associação dos Misturadores de Adubo do Brasil (Ama Brasil), Carlos Florence;
  • o coordenador da Comissão Nacional de Núcleo Econômico da Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), Renato Conchon;
  • o presidente Conselho Nacional de Política Fazendária (Confaz);
  • o coordenador-geral de Análise Econômica, da Secretaria de Política Agrícola do Ministério da Agricultura, Marcelo Guimarães;
  • a analista jurídica da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) Amanda Oliveira Breda Rezende;
  • o diretor-executivo do Sindicato Nacional da Indústria de Matérias Primas para Fertilizantes (Sinprifert) Bernardo Silva; e
  • um representante do Sindicato da Indústria de Adubos no Estados do Rio Grande do Sul (Siargs).

AGRONEWS, com informações da Agência Câmara de Notícias

Continue lendo

Notícias

Amigo produtor, atenção para o início da vacinação contra febre aftosa

Publicado

em

febre aftosa

Deverão ser vacinados 170 milhões de bovinos e bubalinos de todas as idades, na maioria dos estados brasileiros

A primeira etapa da campanha nacional de vacinação contra a febre aftosa de 2021 começa no dia 1º de maio. Nessa etapa deverão ser vacinados bovinos e bubalinos de todas as idades, para a maioria dos estados brasileiros, conforme o calendário nacional de vacinação. Ao todo, espera-se imunizar cerca de 170 milhões de animais. 

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Dos 21 estados que realizam a imunização dos animais neste período, no Amazonas e em Mato Grosso participam apenas os municípios que ainda não suspenderam a vacinação, enquanto no Espírito Santo ocorrerá para bovinos e bubalinos com até 24 meses de idade.

As vacinas devem ser adquiridas nas revendas autorizadas e mantidas entre 2°C e 8°C, desde a aquisição até o momento da utilização – incluindo o transporte e a aplicação, já na fazenda. Devem ser usadas agulhas novas para aplicação da dose de 2 ml na tábua do pescoço de cada animal, preferindo as horas mais frescas do dia, para fazer a contenção adequada dos animais e a aplicação da vacina.

https://agronews.tv.br/receita-de-cupim-na-panela-de-pressao/

Além de vacinar o rebanho, o produtor deve também declarar ao órgão de defesa sanitária animal de seu estado. A declaração de vacinação deve ser realizada de forma online ou, quando não for possível, presencialmente nos postos designados pelo serviço veterinário estadual nos prazos estipulados.

O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) reforça que devem ser adotadas medidas de cuidado com a Covid-19 para a garantia da manutenção dos compromissos com as zonas reconhecidas como livre de febre aftosa com vacinação perante a Organização Mundial da Saúde Animal (OIE).

Em caso de dúvidas, a orientação é procurar o órgão de defesa sanitária animal de seu estado.

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo


Tendências