Algodão: paridades exibem valorização

Em MT, as paridades de dez/22 e jul/23 apresentaram alta do algodão no comparativo semanal, com valorizações de 2,62% e 2,38%, precificadas na média de R$ 162,84/@ e R$ 163,67/@, respectivamente

Mesmo com a queda semanal registrada nos contratos do algodão na Bolsa de NY, principal balizador do preço da pluma, o cenário de aumento das paridades foi resultado da alta de 2,87% nas cotações do dólar, no mesmo período analisado, o qual alcançou uma média de R$ 5,40/US$.

Esse movimento na moeda norte-americana foi pautado pelas preocupações do mercado com relação às políticas fiscais que devem ser implementadas no Brasil no próximo ano. Sendo assim, com as incertezas que rondam o mercado da fibra e o cenário atual de volatilidade, é necessário que o cotonicultor fique atento às variáveis que podem impactar os preços da pluma no estado nas próximas semanas.

De acordo com a análise da semana anterior, “Em relação ao acumulado, de agosto de 2022 à outubro de 2022, o total escoado pelo estado foi 16,44% superior ao registrado no mesmo período de 2021, totalizando 278,36 mil toneladas de pluma. Cabe destacar que esse cenário é reflexo do adiantamento da colheita, que contribuiu para o andamento dos embarques, em conjunto com a maior produção nesta safra ante a 2020/21”.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Mercado Financeiro

algodão
  • Aumento: seguindo o cenário internacional, o indicador Imea da pluma apresentou incremento de 5,19% em relação à semana passada, cotado na média de R$ 171,55/@;
  • Queda: com a demanda ainda enfraquecida no estado, o preço da torta de algodão disponível exibiu baixa de 0,52% no comparativo semanal, precificado a R$ 1.433,40/toneladas;
  • Baixa: diante da ausência de fatores macroeconômicos que impulsionassem o preço da pluma, o contrato de dez/22 na Bolsa de NY exibiu queda de 0,36% na semana.

Por Daniele Balieiro com informações do Imea

AGRONEWS® é informação para quem produz

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *