Ao vivo: lançamento do Portal da Desertificação, unidade de pesquisa do MCTIC

O Portal da Desertificação reúne um conjunto de indicadores que reflete as múltiplas relações entre a sociedade e a natureza, produzidos a partir de dados das esferas ambiental, socioeconômica e institucional.

Visando assim, possibilitar o diagnóstico da suscetibilidade ao processo de desertificação da região semiárida, auxiliando na definição de políticas públicas de convivência com a região e de combate à desertificação.

O lançamento da plataforma esta acontecendo neste momento, dia 18 de setembro a partir das 14h, na sede do Instituto Nacional do Semiárido (Insa/MCTIC). Acompanhe!

https://www.youtube.com/watch?v=soOKalFkLAM

A plataforma é composta por duas aplicações: O Sistema de Avaliação da Desertificação (SADes), que é um Sistema de Informação Geográfica na Web (SIGWEB), voltado para a comunidade acadêmica científica, sendo estruturado para análise e estatística espacial da desertificação na região semiárida brasileiro, e está dividido em três ambientes: Camadas, Aplicações e Documentos. A segunda aplicação é composta pelos Índices de Desertificação (IDS) , onde é possível realizar um menu interativo que aproxima ou reduz a imagem e escolhe o indicador ou índice de interesse para respostas, que estão organizados em 5 classes: Força Motriz, Pressão, Estado, Impacto e Respostas.

Nessa perspectiva, o Portal de Desertificação viabiliza um sistema de múltiplas relações entre a sociedade e a natureza, especialmente na região semiárida brasileira, de modo a identificar como causas e efeitos do processo e, consequentemente, como medidas essenciais para o seu enfrentamento.

portal da desertificação
Tela do aplicativo em funcionamento

SOBRE O INSA

O Instituto Nacional do Semiárido (Insa) é uma unidade de pesquisa integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), com enfoque no Semiárido brasileiro, tendo sido criado pela Lei nº 10.860, de 14 de abril de 2004, como unidade de pesquisa integrante da estrutura básica do então Ministério da Ciência e Tecnologia, (MCT), na forma do disposto no Decreto nº 5.886, de 6 de setembro de 2006.

Como instituição federal de pesquisa, viabiliza soluções interinstitucionais para a realização de ações de formação, difusão e formulação de políticas para convivência sustentável com a semiaridez, a partir das potencialidades socioeconômicas e ambientais da região.

Por meio de ações de articulação e de execução participativa de estudos e pesquisas, busca ser um instituto de referência para construção de um Semiárido que contribui para o desenvolvimento do país.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *