fbpx
conecte-se conosco

Geral

Asta inicia retomada gradual de suas operações em Mato Grosso

Publicado

em

Cronograma começou com a rota entre Cuiabá e Juína, que será intensificada a partir de 15 de junho, e incluirá as demais cidades atendidas pela empresa a partir de 1º de julho

A Asta iniciou a retomada gradual de suas operações em Mato Grosso, começando pela rota entre Cuiabá e Juína. A partir do dia 15 de junho, a companhia vai operar com mais regularidade nesta linha e, em 1º de julho, dará continuidade às viagens para as demais cidades atendidas, de acordo com as demandas de seus clientes.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Yoututbe

Tendo como foco principal o agronegócio da região, a Asta busca atender as necessidades das empresas e profissionais do setor, com voos que partem da capital mato-grossense para: Água Boa, Aripuanã, Canarana, Juara, Juína, Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Pontes e Lacerda, Primavera do Leste e Tangará da Serra.

A empresa destaca que, entre as medidas adotadas para conter a disseminação da Covid-19, passou a ser obrigatório o uso de máscaras de proteção pelos passageiros e tripulantes, durante os voos. Também foram reforçados todos os procedimentos de segurança, de acordo com os protocolos recomendados pela OMS (Organização Mundial da Saúde) e determinações dos governos federal e estadual, incluindo:

Leia também:  Conseleite é criado para fortalecer a cadeia produtiva de Mato Grosso

*Disponibilidade de álcool em gel nas aeronaves;
*Uso de equipamentos de proteção pelos colaboradores;
*Obrigatoriedade do uso de máscaras pelos passageiros;
*Medidas especiais de higienização das aeronaves.

Além dessas ações, como as aeronaves da Asta não são pressurizadas, o ar é trocado continuamente. Em caso de dúvidas sobre a Covid-19, a empresa recomenda a consulta apenas de sites oficiais governamentais ou de autoridades sanitárias.

Mais informações no site www.voeasta.com.br

Notícias

Anvisa inicia inspeção de laboratórios do agro para produzir vacinas contra Covid-19

Publicado

em

covid

Senadores devem decidir esta semana data de diligência às plantas industriais capazes de produzirem Insumo Farmacêutico Ativo para vacinas humanas

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) iniciou as visitas técnicas aos laboratórios de produtos de saúde animal para avaliar capacidade técnica para produção de vacinas contra Covid-19. A informação foi confirmada nesta sexta-feira, 7, pela diretora Meiruze Freitas, durante reunião da Comissão Temporária do Senado.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

A inspeção técnica atende a proposta do relator da CT, senador Wellington Fagundes (PL-MT), prevista no Projeto de Lei 1343/2021 – aprovada no Senado e que deve ser votada semana que vem pela Câmara dos Deputados.

As empresas visitadas pela Anvisa foram Ceva Brasil, unidade de Juatuba, na Grande Belo Horizonte (MG); e Ouro Fino, no município de Ribeirão Preto, interior de São Paulo. A agência reguladora deverá inspecionar ainda a unidade da Merck Sharp & Dohme, farmacêutica, química e de ciências biológicas global, com sede em Valinhos, e a Boehringer, em Paulínia, ambas em São Paulo.

Leia também:  Leite: preço reage e sobe 2,3% em abril, com oferta limitada

A utilização dos laboratórios de saúde animal na produção de vacinas contra a Covid-19, uma vez autorizados, pode ampliar a oferta de vacinas em 400 milhões de doses, a partir da transferência de tecnologia. As quatro plantas industriais já atuam na produção de Insumo Farmacêutico Ativo para saúde animal. Segundo Fagundes, esse número é suficiente para garantir a imunização da população brasileira.

“A produção de vacina aqui mesmo é uma garantia. Não existem vacinas no mundo e hoje ninguém sabe dizer quando a vacina chegará ao braço das pessoas. Precisamos gerar segurança à população e temos condições para isso” – frisa o senador. A produção pode se dar num prazo de 90 dias.

https://agronews.tv.br/entrevista-com-o-senador-wellington-fagundes-o-agro-no-combate-ao-covid-19/

Paralelo às visitas técnicas da Anvisa, senadores da CT deverão realizar também diligências às plantas industriais. A data da visita – com acompanhamento também da imprensa – está em fase de definição.

De acordo com diretores da Anvisa, a produção de vacinas está dentro do esforço nacional para aumentar a oferta de imunizantes, indispensável ao enfrentamento à crise sanitária. Meiruze Freitas, a Anvisa relatou que a agência já autorizou a fábrica de Bio-Manguinhos, da Fundação Oswaldo Cruz, fazer a produção do insumo farmacêutico ativo da vacina de Oxford. O Instituto Butantan ainda tem a perspectiva, no início do próximo ano, da produção do IFA.

Leia também:  Grupo de Trabalho é criado em busca de encontrar alternativas para evitar aumento de ICMS para os fertilizantes

Sputinik V

A reunião da CT da Covid-19 também concentrou na não aprovação da vacina Sputnik V pela Anvisa. O diretor Alex Machado Campos, relator do pedido, disse que a vacina russa está sob a avaliação da agência, por meio das modalidades da importação, feita principalmente pelos estados. Há ainda a avaliação da vacina para autorização de uso emergencial, pedido feito pela representante brasileira União Química.

Segundo o diretor da Anvisa, não foi apresentado relatório técnico da vacina russa à agência, que notificou todos os importadores, enviando expediente para 62 países que aprovaram o uso emergencial da Sputnik para saber os motivos das referidas aprovações. Campos afirmou que há previsão de manifestação legal de autorização dos imunizantes no Brasil apenas com a garantia da eficácia, segurança e qualidade.

Mais agilidade

Além de Wellington Fagundes, os senadores Styvenson Valentim (Podemos-RN), Rose de Freitas (MDB-ES), Luis Carlos Heinze (PP-RS), Eliziane Gama (Cidadania-MA), Zenaide Maia (Pros-RN) e Humberto Costa (PT-PE) somaram-se aos questionamentos quanto à aprovação da Sputnik V, ao mesmo tempo que clamaram pela mais rápida solução junto à Anvisa.

Leia também:  Normando Corral é o novo presidente do Conselho da Agroindústria – Coagro/Fiemt

Foto: Reprodução TV Senado

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Notícias

Aranha gigante em BH traumatiza moradores e não é o primeiro caso

Publicado

em

aranha gigante em BH

Moradores do Buritis relatam presença de uma aranha gigante armadeira em prédios e condomínios. Animal pode chegar ao tamanho da palma da mão de um adulto aberta.

Não é fake, a foto da aranha gigante armadeira que abre este texto, encontrada em um apartamento do 8° andar do Bairro Buritis, Região Oeste de Belo Horizonte, aguçou a desconfiança dos mais céticos nas redes sociais. Há quem garanta que o clique é uma montagem.

O caso ganhou repercussão depois que a imagem foi postada em um grupo do Facebook. Outros moradores do Buritis relatam ter recebido a “visita” de aracnídeos semelhantes.

Aranha gigante em BH

Quem dera fosse fake!“, brinca Renata Barros, dona da casa invadida pelo animal. O espelho onde a aranha gigante repousa é do banheiro do imóvel dela. A gerente comercial conta que mandou a foto para vizinhos na quarta-feira (5/5), pouco depois de “enfrentar” o bicho, como forma de alerta.

Uma das pessoas para quem mandei foi a Flávia Prado, vizinha do 9° andar que fez o post que repercutiu no grupo do Facebook“, relata a moça.

Renata mora com o marido, o relações públicas Eduardo Barros, e duas filhas de 1 e 5 anos. O traumático encontro com a armadeira está registrado em ao menos mais 3 fotografias, incluindo o momento em que o animal foi morto. “Foi tenso!“, comenta a jovem.

Leia também:  Bayer inaugura unidade da SuperFrio em MT, evento será transmitido ao vivo

“Sobrou para nós”

A moradora diz que se deparou com a aranha gigante no banheiro de casa por volta de 13h. “Tomei um baita susto! Quando vi aquela criatur enorme, do tamanho de uma mão aberta, gritei meu marido. Ele achou que eu estava exagerando, até que viu a cena!“, relata.

Sem saber como agir e com medo de que o bicho viesse a atacar as crianças, que são mais vulneráveis ao veneno de peçonhentos, o casal afirma que chegou a acionar autoridades, empresas e especialistas.

Primeiro, conta ela, o Corpo de Bombeiros, que ajudou a identificar a espécie do aracnídeo, mas informou que não poderia capturá-lo. Depois, uma empresa de dedetização, que também não se dispôs á tarefa.

“Sobrou pra nós mesmo. Ligamos então para um amigo biólogo e para o meu irmão, que é policial. Eles nos instruíram manter distância e nos deram algumas ideias, como vestir roupas compridas e botas antes da captura para evitar picadas, além de usar bastante inseticida”, diz Renata.

A empreitada foi bem-sucedida. Derrotada, a aranha gigante foi presa dentro de um potinho e, posteriormente, descartada.

Depois desse episódio, ficamos meio paranóicos. Demos uma geral na casa e, agora, sacudimos roupas, sapatos, lençois e cobertores sempre antes de nos deitarmos. Também acionamos o síndico do nosso prédio solicitando dedetização, que já foi marcada para semana que vem“, diz Renata.

Leia também:  Conseleite é criado para fortalecer a cadeia produtiva de Mato Grosso

“Não são monstros”

A aranha gigante em BH é caracterizada pelo grande porte – até 20 centímetros de envergadura – e pelas patas agrupadas em duplas, que se armam diante de situações interpretadas como ameaças, as aranhas do gênero Phoneutria são popularmente conhecidas como armadeiras, aranhas-macaco ou aranhas-de-bananeira.

aranha gigante
Aranha gigante em BH traumatiza moradores e não é o primeiro caso

Segundo o aracnólogo do Instituto de Ciências Biológicas da UFMG, Adalberto Santos, o animal é relativamente comum em ambiente urbano. Típico de ambientes com entulhos, costuma sair de sua toca para caçar. Os machos também circulam a procura de fêmeas na época do acasalamento.

O estudioso explica que o peçonhento pode ser perigoso, já que seu veneno é neurotóxico, ou seja, causa muita dor. Sintomas como vômito e taquicardia também são comuns. Caso leve uma picada, a pessoa deve procurar deve procurar atendimento médico. Em Belo Horizonte, o Hospital João XXIII é o serviço mais indicado.

De qualquer forma, não há motivo para pânico. O escorpião amarelo, por exemplo, é bem mais perigoso. Não é pra brincar com esses bichos, claro, mas eles também não são monstros”, tranquiliza o professor da UFMG.

Não é o primeiro caso no mundo

Em março deste ano, uma australiana se deparou com aranha gigante no box do chuveiro e pediu socorro imediatamente.

aranha gigante

Imagine entrar no box do banheiro para tomar banho e se deparar com uma aranha gigante olhando para você. Foi o que aconteceu com Cathy Cox, uma australiana que compartilhou a foto do aracnídeo na parede de sua casa. Talvez o zoom da foto faça com que a percepção sobre o tamanho da aranha seja maior do que ela realmente é, mas as aranhas da espécie “caçadora” têm patas de até 30 cm, são comuns no país e constantemente aparecem nas residências, embora não sejam letais.

Leia também:  Etanol mais barato: CCJ revoga resolução da ANP que reserva mercado para distribuidoras

Eu tenho o que acredito ser uma linda caçadora grávida no meu chuveiro. Ela está fora de perigo, mas devo realocá-la? Para sua informação, o coração disparou só de pensar na segunda opção“, escreveu Cox em um grupo sobre aranhas no Facebook.

Alguns tentaram ajudar a mulher, outros fizeram piada com a situação. “Jesus, ela é grande, moça”, disse um comentário. “É Halloween? Você vestiu seu cachorro?”, escreveu outro usuário. “Quer saber, saia! Ela pode ficar com a casa”, brincou uma terceira pessoa.

* Com informações do Estado de Minas Gerais e UOL.

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Geral

Vaca Nelore é arrematada por R$ 1 milhão de reais na Expozebu 2021

Publicado

em

vaca

Matriz da raça Nelore, mãe de vários touros de central, Rem Constelação foi comercializada em leilão realizado na Expozebu 2021, confira os detalhes.

Aconteceu no último dia 06 de maio o 3º Leilão Terra Brava, Camparino e Genética Aditiva, evento virtual que integrou a programação oficial da Expozebu 2021. Os três grandes criatórios ofertaram doadoras de alto padrão genético, entre novilhas, bezerras, primíparas e multíparas da raça Nelore. “São animais diferenciados, com avaliacão e um biotipo muito interessante. Qualquer lote escolhido dentro do leilão entra, com certeza, na cabeceira de doadoras de qualquer fazenda do Brasil “, revela Flávio Sandim, Gerente de Pecuária da Genética Aditiva.

O destaque absoluto da noite, foi uma das principais doadoras da Genética Aditiva, Rem Constelação, filha do Rem Vokolo em vaca Noturno. Considerada a estrela da Expozebu 2021, a vaca foi comercializada em 100% de suas cotas e arrematada pelo valor de R$ 33.500,00 (valor de uma parcela, no total são 30), totalizando R$ 1.005.000,00. O comprador foi o pecuarista Mauro Christianini, da Nelore JMP.

Leia também:  Independência Indígena: Xavantes dão início à primeira colheita de arroz em MT
Vaca é vendida por  R$ 1 milhão na Expozebu 2021
Vaca é vendida por R$ 1 milhão na Expozebu 2021

O valor pago pela matriz é justificável, ela é mãe de seis touros que estão em centrais de inseminação, todos oriundos do criatório da Genética Aditiva, são eles: Rem Espião, Rem Hummer, Rem Faixa Preta, Rem Futuro, Rem Goleador e Rem Império. Sua hierarquia é extensa, a vaca possui vários destaques como avó paterna, dos seguintes touros: Rem Garantido, Rem Galo, Rem Hot, Rem Hunter, Rem Hermoso, Rem Herdeiro e Rem HB. Outro destaque na sua árvore genealógica é Rem Huracan, sendo avó materna do touro.

Sobre o comprador

Sobre o comprador, Nelore JMP Mauro Christianini, comprador da matriz, está entre os empresários de sucesso que transformaram a difícil vida em profissão. Há quase 10 anos só comprando P.O, hoje, a Nelore JMP, é exemplo de um dos melhores plantéis que se tem no Estado. Em 2014, Mauro entrou com força para o Nelore Elite e o gado de corte, e hoje, ele não apenas vende, na verdade, empresta qualidade.

Fonte: Comprerural

Leia também:  Leite: preço reage e sobe 2,3% em abril, com oferta limitada

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo


Tendências