fbpx
conecte-se conosco

Diárias de Mercado

Café: bolsa de NY recua e negócios com café podem perder ritmo no Brasil

Publicado

em

café

O mercado brasileiro de café deve perder ritmo na comercialização nesta quinta. Neste momento, dólar e Nova York registram perdas, o que deverá afastar os negociadores após um bom momento nesta semana

O mercado registrou preços mais altos mais uma vez na quarta-feira. A alta do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) deu sustentação às cotações no mercado nacional. O dia foi mais ativo na comercialização novamente, com maior volume de negociações ocorrendo nos picos de preço em NY e no dólar. Depois o dólar acomodou e os ganhos foram reduzidos na bolsa, o que também arrefeceu o movimento no Brasil.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de catação terminou o dia em R$ 750,00/755,00 a saca, no comparativo com R$ 740,00/745,00 de ontem. No cerrado mineiro, arábica bebida dura com 15% de catação teve preço de R$ 755,00/760,00 a saca, contra R$ 745,00/750,00 do dia anterior.

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 540,00/545,00, no comparativo com R$ 535,00/540,00 de ontem. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, ficou em R$ 455,00/460,00 a saca, no comparativo com R$ 445,00/450,00 de ontem.

Leia também:  Suíno: preço do vivo volta ao patamar de novembro/20

Comercialização

A comercialização da safra de café do Brasil 2020/21 (julho/junho) chega a 90% até o dia 13 de abril. O dado faz parte de levantamento de SAFRAS & Mercado, que mostra que as vendas evoluíram em 3 pontos percentuais em relação ao mês anterior.

As vendas estão levemente avançadas em relação ao ano passado, quando 89% da safra 2019/20 estava comercializada até então e também acima da média dos últimos 5 anos para o período, que é de 88%. Assim, já foram comercializadas 62,80 milhões de sacas de 60 quilos, tomando-se por base a estimativa de SAFRAS & Mercado, de uma safra 2020/21 de café brasileira de 69,5 milhões de sacas.

Segundo o consultor de SAFRAS & Mercado, Gil Barabach, o dólar alto e a recuperação na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) acabou elevando os preços no físico interno, o que trouxe um pouco mais de vendedores ao mercado. “Apesar do interesse, o fluxo de negócios segue bem cadenciado”, indica o consultor.

As vendas de arábica subiram para 89% da produção, em leve vantagem em relação a igual período do ano passado (88%) e também acima dos 87% de média histórica. Já as vendas de conilon ganharam um pouco mais de ritmo e alcançam 95% da safra, contra 92% em igual período do ano passado e 91% na média de 5 anos. “A chegada da safra brasileira 2021 explica o avanço no fluxo de vendas”, comenta Barabach.

Leia também:  Café: colheita do robusta deve ganhar ritmo em breve

Nova York

Os contratos com entrega em julho registram desvalorização de 0,15% na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 131,90 centavos de dólar por libra-peso. Os contratos com entrega em julho/2021 fecharam o dia a 134,05 centavos de dólar por libra-peso, com alta de 2,10 centavos, ou de 1,6%.

Câmbio

O dólar comercial registra desvalorização de 0,51% a R$ 5,64.

Indicadores Financeiros

As principais bolsas da Ásia encerraram mistas. Xangai, -0,52%. Tóquio, +0,07%.

As principais bolsas na Europa registram cotações firmes. Paris, +0,34%. Londres, +0,46%.

O petróleo opera em baixa. Maio do WTI em NY: US$ 62,78 o barril (-0,55%).

O Dollar Index registra baixa de 0,08% a 91,62 pontos.

Por Dylan Della Pasqua – Agência Safras

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diárias de Mercado

Arroz: no RS, demanda enfraquecida pressiona cotações

Publicado

em

arroz

Os preços do arroz em casca recuaram no Rio Grande do Sul nos últimos dias

Segundo colaboradores do Cepea, apesar da postura firme dos vendedores, que têm expectativa de melhora nas negociações nas próximas semanas, compradores não demonstraram interesse em adquirir o produto nos atuais patamares de preços, fundamentados na possível maior oferta da safra 2020/21 e na consequente desvalorização do cereal.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Assim, entre 4 e 11 de maio, o Indicador ESALQ/SENAR-RS, 58% grãos inteiros (média ponderada e pagamento à vista), recuou 2,1%, para a média de R$ 84,59/sc de 50 kg nessa terça-feira, 11.

Fonte: Cepea

AGRONEWS – Informação para quem produz

Leia também:  Colheita de milho de verão 2020/21 atinge 82,7% no Brasil, analisa Safras
Continue lendo

Diárias de Mercado

Boi gordo: recuo na cotação do boi em São Paulo

Publicado

em

arroba do boi

Com as escalas relativamente melhores, parte dos frigoríficos abriram a terça-feira ofertando menos e, consequentemente, travando as negociações.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Negócios em R$306,00/@, preço bruto e a prazo, no boi gordo para o mercado interno se concretizaram, um recuo de R$1,00/@ na comparação feita dia a dia. As cotações das fêmeas ficaram estáveis.

Bovinos jovens, com até 4 dentes, apresentaram um ágio de até R$9,00/@.

Por Scot Consultoria

AGRONEWS – Informação para quem produz

Leia também:  Arroz: no RS, demanda enfraquecida pressiona cotações
Continue lendo

Diárias de Mercado

Algodão: indicador se estabiliza

Publicado

em

algodão

Os preços do algodão em pluma estão praticamente estáveis no mercado interno

De acordo com pesquisadores do Cepea, a liquidez está baixa, tendo em vista que está acirrada a “queda de braço” entre compradores e vendedores. Enquanto agentes de indústrias ofertam preços menores na aquisição de novos lotes, muitos vendedores se mostram resistentes.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Neste caso, pontualmente, vendedores estiveram mais flexíveis, acompanhando os momentos de recuos nos preços externos e o enfraquecimento do dólar frente ao Real. No acumulado do mês (até o dia 11), o Indicador CEPEA/ESALQ do algodão em pluma, 8 dias para pagamento, recuou ligeiro 0,4%, fechando a R$ 5,149/lp nessa terça-feira, 11.

Fonte: Cepea

AGRONEWS – Informação para quem produz

Leia também:  Foi prorrogada a redução do ICMS do milho em grãos no estado de Sergipe
Continue lendo


Tendências