Café: cenário teve oscilação nos preços

O cenário também foi de oscilação dos preços do café em agosto, ainda que as altas tenham prevalecido

O Indicador CEPEA/ESALQ do tipo 6 peneira 13 acima terminou o dia 31 a R$ 749,71/sc, elevação de 4,8% em relação ao último dia útil de julho. O tipo 7/8 fechou a R$ 738,91/sc, avanço de 4,9% no acumulado de agosto.

O aumento dos preços do robusta está atrelado à presença cada vez mais forte da indústria no mercado, ainda que com negociações envolvendo pequenos lotes. Vendedores seguem estocando os cafés, à espera de preços ainda mais elevados.

Além disso, agências de notícias internacionais apontam que a seca no Vietnã é outro fator para as altas dos preços externos do robusta e, consequentemente, internos, devido aos possíveis impactos na produção vietnamita, o que aumentaria a procura dos cafés brasileiros.

No campo, agentes seguem atentos ao clima. Em Rondônia, muitos produtores têm induzido a florada com irrigação, mas estão preocupados com a ausência de chuvas. No Espírito Santo, o panorama é similar, mas as rajadas de vento preocupam os agentes, devido à queda de folhas nos cafezais.

O acumulado de chuvas em agosto, segundo o Inmet, foi de 38,6 mm em Porto Velho (RO) e de apenas 8 mm em Linhares (ES) entre 1º e 31 do mês.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Colheita do café arábica

As atividades devem ser finalizadas nos próximos dias. Levantamentos do Cepea mostram que cerca de 95% do café arábica já tenha sido colhido nacionalmente, restando apenas a finalização de varrições.
Regionalmente, o Noroeste do Paraná já finalizou a colheita. Na região de Garça (SP), a atividade também está próxima de terminar, somando entre 95% e 99%.

Nas Matas de Minas, o total é de 95% a 98%. Já o Cerrado Mineiro está com os trabalhos entre 92% e 99%, enquanto o Sul de Minas segue próximo de 90% a 98%. Por fim, na praça da Mogiana (SP), o percentual é de 90% a 95%.

Com a finalização da colheita da safra 2022/23, cafeicultores começam a se preparar para o ciclo 2023/24, atentos ao clima e à espera de chuvas nas próximas semanas, já que o mês de agosto registrou baixo volume de precipitação nos cafezais.

De acordo com o Inmet (Instituto Nacional de Meteorologia), o acumulado de chuvas entre 1º e 31 de agosto foi de 128 mm em Londrina (PR), de 79 mm na estação de Marília (Garça – SP), de 17 mm em Franca (SP) e em Varginha (MG) e de 1,4 mm em Patrocínio (MG).

Por Cepea

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.