fbpx
conecte-se conosco

Previsão do tempo

CLIMATEMPO 11 de abril 2021, veja a previsão do tempo no Brasil

Publicado

em

climatempo 11 de abril 2021

Assista o Boletim CLIMATEMPO 11 de abril 2021 e veja a previsão do tempo em todas as regiões do Brasil neste domingo.

Frente fria provoca chuva e diminuição do calor no Sudeste

Depois de alguns dias marcados por ar seco e temperaturas altas no período da tarde, as condições do tempo mudam no Sudeste do Brasil ao longo da próxima semana.

O fim de semana ainda segue bastante seco. Muitos municípios podem registrar índices críticos de umidade relativa do ar. O sol brilha forte e as temperaturas seguem altas, perto ou até acima dos 30°C na Região. Apenas as noites e madrugadas que seguem com sensação de frio.

Tanto no sábado, quanto no domingo, só há possibilidade de chuva nas áreas do nordeste do Espírito Santo, e mesmo assim é uma chuva isolada e que não acumula grandes volumes. Em todas as outras áreas, inclusive nas quatro capitais, o tempo segue firme.

Mudanças no tempo

Na segunda-feira, 12 de abril, uma frente fria vai avançar pelo litoral do Sudeste. Este sistema vai trazer mudanças no tempo em toda faixa leste da Região ao longo da semana. Além dos ventos mais frios, a umidade aumenta e volta a chover em várias áreas ao longo dos próximos dias.

Na segunda-feira(12), volta a chover no sul e leste de São Paulo e no Rio De Janeiro.

As áreas entre o Vale do Ribeira e o litoral sul de São Paulo, já podem ter chuva pela manhã. Será um dia de muitas nuvens e com temperaturas mais amenas. Na Baixada Santista as nuvens aumentam já pela manhã e a chuva chega a partir da tarde.

O sol ainda aparece, mas a chuva vem a partir da tarde entre as regiões de Itapetininga, Sorocaba, a Grande SP, litoral norte, Vale do Paraíba e todo o centro-sul do Rio de Janeiro, inclusive o Grande Rio. A chuva vai aliviar a secura dos últimos dias e, além disso, as temperaturas ficam mais baixas.

Na terça a frente fria avança mais e leva chuva para áreas do sul de Minas, Zona da Mata Mineira e para o Espírito Santo.

Ao longo dos próximos dias a chuva deve acumular os maiores volumes entre o litoral norte de São Paulo, a região da Costa Verde(RJ), Região Serrana e Grande Rio. Não há expectativa para volumes excepcionais, mas a chuva de forma contínua deixa essas áreas em atenção.

CLIMATEMPO 11 de abril – mar agitado

Outro destaque importante para os próximos dias é em relação ao mar. Já na segunda-feira, a expectativa de mar agitado no litoral sul de São Paulo. Na terça, 13 de abril, o mar fica agitado em todo litoral de São Paulo e na costa do Rio de Janeiro. Entre terça à noite(13) e quarta-feira(14) há risco para ressaca, principalmente entre Costa Verde e a Região dos Lagos, no Rio de Janeiro. As ondas podem chegar aos 2 metros e meio. Atenção!

climatempo 11 de abril 2021
CLIMATEMPO 11 de abril 2021, veja a previsão do tempo no Brasil

Fonte: CLIMATEMPO

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Previsão do tempo

CLIMATEMPO 07 de maio 2021, veja a previsão do tempo em todas as regiões do BR

Publicado

em

climatempo 07 de maio 2021

Assista o Boletim CLIMATEMPO 07 de maio 2021 e veja a previsão do tempo em todas as regiões do Brasil nesta sexta-feira.

Frio avança pelo país, confira todos os detalhes.

Nova onda de frio se espalha sobre o Brasil e Sul terá geada

Uma nova massa de ar frio de origem polar se espalha sobre o Brasil e vai causar queda de temperatura de norte a sul do país nos próximos dias. Mas quem gosta muito do frio, não deve se animar por enquanto. Esta massa de ar frio vai influenciar o Brasil por poucos dias. Mesmo assim, alguns recordes podem acontecer nos estados do Sul, em algumas áreas do Sudeste e também do Centro-Oeste do país e até nas áreas do Norte do Brasil.

Como sempre acontece, o Rio Grande do Sul foi o primeiro a sentir os efeitos dessa nova massa de ar frio. As temperaturas máximas no dia 5 de maio não passaram dos 20°C no Rio Grande do Sul. Em Porto Alegre, a tarde de 5 de maio foi a mais fria do ano até agora, com temperatura máxima de 19°C, pela medição do Instituto Nacional de Meteorologia.

Caminho do ar frio sobre o Brasil

Essa massa de ar frio de origem polar terá um deslocamento continental no início de seu período de atuação. O centro da massa de ar frio, que é a região mais fria do sistema, alcançou o norte da Argentina no dia 5 de maio. Nesta quinta-feira, 6 de maio, o centro do ar frio avança devagar em direção ao Rio Grande do Sul e ao Uruguai fazendo o frio aumentar muito nessas regiões. Mas nessa posição, o ar frio também chega com mais facilidade ao Mato Grosso do Sul e também nas áreas de fronteira com a Bolívia. Por isso, as áreas a oeste de Mato Grosso do Sul, oeste de Mato Grosso, oeste de Rondônia e o sul do Acre vão começar a sentir um vento frio já no decorrer desta quinta-feira.

climatempo 07 de maio
CLIMATEMPO 07 de maio 2021, veja a previsão do tempo em todas as regiões do BR

Durante a sexta-feira, dia 7 de maio, o centro do ar frio estará passando sobre o Rio Grande do Sul e sobre o Uruguai, o que facilita o espalhamento do frio sobre o Sul do Brasil. Mas até a noite da sexta-feira, o centro do ar frio já estará sobre o oceano, na altura do litoral do Uruguai e da província de Buenos Aires. Durante o sábado, 8 de maio, o centro desta massa de ar frio de origem polar já estará sobre o oceano, próximo ao litoral do Rio Grande do Sul e do Uruguai, e por isso o seu poder de frio sobre o Brasil já será menor. No decorrer do domingo, 9, o centro do ar frio vai se deslocando pelo mar, se afastando do Brasil, permitindo uma diminuição do frio no país.

Ressaca no Sul e Sudeste. Ondas chegam ao Nordeste

A frente fria que nessa quinta-feira chega ao Sudeste provoca vento intenso sobre uma extensa área oceânica, como indicado na figura abaixo.

climatempo 07 de maio
CLIMATEMPO 07 de maio 2021, veja a previsão do tempo em todas as regiões do BR

O vento soprando forte e persistente sobre o mar forma as ondas que a partir desta quinta-feira (6) chegam ao litoral da Região Sul do Brasil deixando o mar agitado, com ressaca.

A figura abaixo indica a previsão de altura das ondas e da ondulação do mar na quinta-feira (6) à noite.

climatempo 07 de maio
CLIMATEMPO 07 de maio 2021, veja a previsão do tempo em todas as regiões do BR

Notamos que a ondulação do mar é de sul. A altura das ondas chega a dois metros nas praias do Rio Grande do Sul e do sul de Santa Catarina, com ondulação predominante de sul.

A previsão, como indicado no próximo mapa, é de que no decorrer da sexta-feira (7) a altura das ondas aumente no litoral sul do Brasil. As ondas chegam também às praias do Sudeste.

A ondulação do mar é de sul em toda a faixa litorânea entre o Rio Grande do Sul e o Rio de Janeiro. A altura das ondas chega a 3,5m no litoral gaúcho e sul catarinense e a 3 metros à noite nas praias de São Paulo e do Rio de Janeiro.

Mesmo se afastando do Brasil, após a passagem desta massa de ar frio, o ar seco combinado com as noites com poucas nuvens vão manter as madrugadas frias em muitas áreas do Sul, Sudeste e em parte do Centro-Oeste.

O vento frio desta massa de ar polar deve chegar ao litoral da Bahia durante a sexta-feira e se intensifica na costa leste do Nordeste no fim de semana do Dia das Mães.

CLIMATEMPO 07 de maio 2021

Confira agora como o ar frio vai se espalhar sobre o Brasil, quais as possibilidades de recordes, as áreas onde pode gear e quanto tempo o frio vai ficar por aqui:

Região Sul

A queda de temperatura no Sul do país começou no dia 5 de maio sobre o Rio Grande do Sul. Durante os dias 6 e 7 de maio, quinta e sexta-feira, a temperatura vai cair mais em todos os estados.

Para esta quinta-feira, 6 de maio, ainda há condições de chuva em algumas áreas ao norte do Rio Grande do Sul, em Santa Catarina e no sul e leste do Paraná. Na sexta-feira, 7, só deve chover no leste do Paraná.

No fim de semana do Dia das Mães, a sensação de frio ainda será grande no Sul do Brasil durante a noite e ao amanhecer, mas a tendência geral já é de elevação de temperatura. O sol predomina. Atenção para o risco de ressaca nos próximos dias.

Região Sudeste

O ar frio de origem polar começa a ser sentido no estado de São Paulo. A queda da temperatura começa a ser sentida em algumas áreas no oeste do estado no decorrer desta quinta-feira. Mas é durante a sexta-feira que o ar esfria em todo o estado de São Paulo e a capital paulista poderá ter a tarde mais fria do ano até agora.

No Rio De Janeiro a quinta-feira é muito quente, mas a temperatura despenca durante a sexta-feira, 7 de maio. A chuva e o vento frio se espalham sobre o estado do Rio de Janeiro fazendo a temperatura baixar de forma geral.

Durante a quinta-feira 6 de maio, o calor ainda vai predominar sobre a região Sudeste do Brasil. mas o vento frio vai começar a ser sentido em áreas do estado de São Paulo.

Durante a sexta-feira 7 de maio, o resfriamento deve ser geral no Estado de São Paulo e também no Rio de Janeiro, no sul de Minas e na Zona da Mata mineira. As demais áreas da região Sudeste continuam quentes.

Durante o fim de semana, 8 e 9 de maio, o vento frio se espalha sobre a região Sudeste fazendo a temperatura baixar no Espírito Santo em áreas do centro-sul e leste de Minas Gerais. Porém, o ar vai apenas refrescar. Não há expectativa de frio intenso. Mas é claro que no sul de Minas e nas áreas mais elevadas serranas, a sensação de frio será maior.

Região Centro-Oeste

O ar frio de origem polar começa a ser sentido novamente em Mato Grosso do Sul e nas áreas da centro-oeste e sul de Mato Grosso durante a quinta-feira, 6 de maio. A sensação será de um pouco de frio especialmente à tarde e à noite em todo o centro-oeste e sul de Mato Grosso do Sul. O ar vai refrescar bastante no oeste e sul de Mato Grosso, incluindo a região de Cuiabá. Apesar do aumento da nebulosidade nessas áreas, a chance de alguma chuva é remota. Áreas na fronteira de Mato Grosso do Sul com Paraguai podem ter alguma chuva leve ou garoa.

As demais áreas do Centro-Oeste continuam quentes e secas durante esta quinta-feira.

Na sexta-feira, 7 de maio, o vento frio de origem polar persiste sobre o Mato Grosso do Sul e se espalha mais sobre o Mato Grosso e também sobre Goiás. Na maioria das áreas desses estados pode ocorrer uma leve queda de temperatura, apenas para diminuir o calor.

Porém, em Mato Grosso do Sul e nas áreas a oeste e sul de Mato Grosso, a sensação de frio aumenta durante a sexta-feira.

O vento frio pode chegar muito fraco até a região de Brasília durante a sexta-feira.

No fim de semana do Dia das Mães, o ar frio já estará saindo do Centro-Oeste do país e a tendência é de rápido aquecimento em todas as áreas. Porém as madrugadas e o amanhecer ainda serão com temperaturas amenas.

Região Norte

A nova massa de ar frio de origem polar que avança sobre o Brasil vai conseguir levar o ar frio até o Acre, Rondônia e ao sul do Amazonas. O vento frio vai chegar de forma suave à estas regiões, mas mesmo assim vai conseguir provocar queda da temperatura

O vento frio já começa a ser sentido em Rondônia e no Acre no decorrer desta quinta-feira, 6 de maio, diminuindo o calor à tarde nesses estados.

O ar frio vai atuar com mais força sobre o Acre e Rondônia durante a sexta-feira, 7 de maio. A madrugada do sábado, 8, também será com temperatura baixa, mas à tarde já esquenta bastante com o rápido afastamento do ar polar.

Região Nordeste

A frente fria que está trazendo esta nova massa de ar frio de origem polar vai passar pelo litoral sul da Bahia durante o sábado, 8 de maio. As condições para chuva aumentam no sul da Bahia nesse dia.

O ar frio polar não chega de fato a se espalhar sobre o interior do Nordeste, porém, os ventos frios desta massa polar vão soprar moderados a fortes pela costa leste do Nordeste a partir da sexta-feira e principalmente no fim de semana do Dia das Mães. É a intensificação do vento marítimo que vai também intensificar as áreas de instabilidade na costa leste do Nordeste especialmente a partir do próximo domingo.

Geada

Desta vez, as condições para geada vão ficar restritas ao Sul do Brasil.

A madrugada mais fria na Região Sul do Brasil, dentro desta massa de ar frio, deve ser a da sexta-feira, 6 de maio. O dia amanhece gelado e com geada na Campanha gaúcha e nas áreas serranas do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina. Também pode gear em alguns locais do Planalto Sul catarinense.

Com maior ou menor intensidade, essa nova massa de ar frio de origem polar vai causar alguma queda de temperatura em todos os estados da região Sudeste do Brasil. mas o resfriamento não será suficiente para causar geada em áreas como sul de Minas ou mesmo no Estado de São Paulo.

Apesar da queda acentuada de temperatura esperada para o Mato Grosso do Sul, não há expectativa de ocorrência de geada no estado durante a passagem desta massa de ar frio de origem polar. As menores temperaturas no estado deve ficar em torno de 10 graus.

Não há condições para resfriamento intenso com potencial para provocar geada na Região Norte e nem no Nordeste.

Fonte: CLIMATEMPO

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Previsão do tempo

Veja os impactos no setor de energia do Ciclone Bomba

Publicado

em

ciclone

Os ciclones extratropicais são extremamente importantes para a manutenção das chuvas nas bacias, porém também apresentam impactos negativos para o setor de energia, principalmente para as concessionárias de transmissão e distribuição de energia

Dois episódios de formação de ciclone bomba receberam grande destaque na mídia brasileira nos meses de junho e de setembro de 2020. Os episódios foram responsáveis por ocorrências de tempo severo no Sul do Brasil, acompanhados de ventania de até 60 km/h no interior do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina e ventos mais intensos, de até 90 km/h na região entre o litoral norte gaúcho e a costa sul catarinense. As empresas de distribuição e transmissão de energia parceiras da Climatempo costumam acompanhar de perto com nossa equipe de meteorologistas o desenvolvimento e deslocamento deste fenômeno meteorológico. Infelizmente não conseguimos deter a ação do sistema, mas um alerta unido ao planejamento efetivo pode não só evitar grandes prejuízos, como também salvar vidas.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Como estamos nos aproximando do segundo semestre de 2021, vamos falar um pouco sobre a parte técnica de formação e atuação destes fenômenos no Brasil, seus impactos no setor de energia e como podemos nos planejar.

É importante ressaltar que por definição os ciclones são sistemas meteorológicos associados a áreas de baixa pressão em superfície (Petterssen, 1956) que modificam as condições de tempo e de Clima das regiões em que atuam, sendo responsáveis pela formação de grandes áreas de nebulosidade associadas a episódios de chuva e vento intenso. Existem três tipos de ciclones que a princípio podem ser classificados de acordo com a faixa de latitude em que ocorrem: tropical (5° e 20°), subtropical (15° e 35°) e extratropical (sul de 25°).

Diferença Entre os Tipos de Ciclones

No entanto, estes ciclones apresentam diferentes mecanismo de gênese (ciclogênese) e de dissipação (ciclólise). A principal diferença está no processo de formação, que resulta em sistemas com diferentes estruturas verticais. Os ciclones subtropicais e tropicais apresentam núcleos de baixa pressão sobrepostos em diferentes níveis da atmosfera, como se estivessem “empilhados” um sobre o outro, desde a superfície até níveis mais altos da atmosfera. O centro de baixa pressão dos ciclones extratropicais, por outro lado, não são alinhados na vertical. As áreas de baixa pressão em altitude ficam deslocadas ou inclinadas para oeste em relação ao centro de baixa em superfície (Figura 1). Para formação deste tipo de sistema, é necessário gradientes horizontais de temperatura em superfície (baroclinia) e a proximidade com um cavado na alta ou média troposfera.

Figura 1: Estrutura vertical dos diferentes tipos de ciclones
Figura 1: Estrutura vertical dos diferentes tipos de ciclones

Gradientes de temperatura são observados ao longo do oceano Atlântico Sul, de forma que resultam na formação de três regiões ciclogenéticas (área favorável a formação de ciclones, indicada por RC na Figura 2), localizadas no sul da Argentina, na costa do Uruguai e na costa Sul/Sudeste do Brasil, respectivamente (Reboita et al., 2009).

Figura 2: Densidade de ciclogêneses (10-4 km-2) no período de 1990 a 1999, que se iniciaram com vorticidade menor ou igual a -1,5×10-5s-1. Adaptado de Reboita et al. (2010)
Figura 2: Densidade de ciclogêneses (10-4 km-2) no período de 1990 a 1999, que se iniciaram com vorticidade menor ou igual a -1,5×10-5s-1. Adaptado de Reboita et al. (2010)

Ciclones no Setor de Energia

Para a matriz energética brasileira, que ainda é extremamente dependente da geração hídrica, os ciclones extratropicais são extremamente importantes para a manutenção das chuvas nas bacias e reservatórios do Sul do Brasil devido a formação e passagem de sistemas frontais, principalmente nos meses de inverno. Já para o Sudeste e Centro-Oeste brasileiro, este sistema também impacta diretamente a posição da Zona de Convergência do Atlântico Sul (ZCAS), um dos principais sistemas meteorológicos atuantes da estação chuvosa (Robertson e Mechoso, 2000; Cavalcanti, 2006).

https://agronews.tv.br/entrevista-com-o-senador-wellington-fagundes-o-agro-no-combate-ao-covid-19/

Porém, os ciclones também apresentam impactos negativos para o setor de energia, principalmente para as concessionárias de transmissão e distribuição de energia. Para as empresas de distribuição de energia, os ciclones mais intensos tendem a causar sérios impactos na rede elétrica principalmente devido a ação do vento e queda de árvores. Este combo (vento + árvores) é extremamente perigoso para a população, pode causar grandes danos urbanos e também impacta diretamente nos indicadores de continuidade das concessionárias. Visto este cenário, a Climatempo desenvolveu em 2019 um índice de criticidade que prevê através de inteligência artificial a % de CHI (Cliente hora interrompido) por microrregiões da área de distribuição com até 72 horas de antecedência. Esta tecnologia retira a subjetividade humana do operador no despacho das equipes e pode auxiliar na redução do DEC principalmente. Este projeto já virou um produto operacional e está disponível em nosso sistema de monitoramento e alerta (SMAC).

É importante ressaltar que a Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) exige que as distribuidoras de energia mantenham um padrão de continuidade no fornecimento de energia elétrica em suas áreas de concessão, e para tal providencia limites para os indicadores coletivos de continuidade (DEC e FEC). O DEC mostra a duração em horas que um conjunto de consumidores ficou sem energia elétrica, enquanto o FEC é a frequência equivalente de interrupção por unidade consumidora (ANEEL).

Ciclone Bomba

A nomenclatura de Ciclone Bomba surgiu devido ao aprofundamento do sistema de baixa pressão de forma muita mais rápida do que é observado em outros episódios de ciclone. Normalmente o ciclone bomba possui uma queda de pressão superior a 24 hPa em um intervalo de 24 horas, um forte indicativo de tempestade intensa, com rajadas de vento que podem atingir 90 km/h.

Para o setor de energia, os impactos foram sentidos principalmente por empresas responsáveis pela distribuição e transmissão de energia elétrica no Sul do Brasil. Quedas de árvores, devido a intensas rajadas de ventos, deixaram mais de 600 mil pessoas sem energia elétrica no Rio Grande do Sul em junho de 2020. Além disso, rompimento de cabos e quedas de torres de transmissão também foram observados no estado de Santa Catarina.

Figura 3: registro de área destruída no município de Chapecó - Foto: Prefeitura de Chapecó (SC)
Figura 3: registro de área destruída no município de Chapecó – Foto: Prefeitura de Chapecó (SC)

Para as transmissoras de energia que costumam ter ativos cruzando Estados, o impacto pode ser ainda mais prejudicial com queda de diversas torres em cascata. Para isso a Climatempo desenvolveu um módulo do SMAC (faça um trial ) focado na transmissão de energia, com monitoramento de tempo severo ainda em países vizinhos e possibilidade de alertas por trechos de linhas. Após o impacto é possível ainda a consulta do histórico por faixa de servidão da linha de transmissão. Esta ferramenta é fundamental para a segurança das equipes em campo e otimiza o planejamento das atividades de operação e manutenção, evitando a parcela variável.

Autores: Patricia Madeira – COO; Vitor Hassan – Head of Energy; Rafael Benassi – Meteorologista | Setor Elétrico; Filipe Pungirum – Meteorologista – Climatempo

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Previsão do tempo

CLIMATEMPO 06 de maio 2021, veja a previsão do tempo no Brasil

Publicado

em

climatempo 06 de maio 2021

Assista o boletim CLIMATEMPO 06 de maio 2021 e veja a previsão do tempo em todas as regiões do Brasil nesta quinta-feira.

As instabilidades se intensificam nas áreas do Rio Grande do Sul nesta quinta-feira. A chuva vai ser frequente por todo o estado de Santa Catarina. Na capital Porto Alegre, no extremo sul do Paraná, as pancadas intensificam entre a tarde e a noite. Alerta para chuva forte em toda a faixa entre o leste do Amapá e Oeste do Rio Grande do Norte.

Em Salvador Alagoas e Recife o dia será marcado por sol com chuva rápida e passageira entre a tarde e a noite. O tempo segue instável no Norte do país. No Acre e Rondônia, há alerta para chuva forte também nesta quinta-feira. O sol vai aparecer e as pancadas se concentram entre a tarde e a noite no Norte do Tocantins e Norte do Mato Grosso.

Assista abaixo o CLIMATEMPO 06 de maio 2021 com a previsão do tempo nas demais regiões do país.

Frio pode ser recorde em São Paulo no fim da semana

A semana começou com predomínio de uma grande massa de ar seco no estado de São Paulo. Apesar das noites e madrugadas frias, as tardes estão sendo marcadas por temperaturas mais altas. No entanto, a tendência é que semana termine bem diferente. Confira a previsão!

Mudanças no tempo

Como vimos no Boletim CLIMATEMPO 06 de maio 2021, a passagem de duas frentes frias pela costa do Brasil vão aumentar a umidade em São Paulo nos próximos dias. Os sistemas não vão trazer muita chuva para o estado, mas o que vai chamar a atenção é a queda de temperatura. As massas de frio de origem polar que acompanham as frentes frias vão se juntar e provocar uma acentuada queda de temperatura na próxima sexta-feira, 7 de maio. Confira as temperaturas previstas para a capital paulista nos próximos dias:

climatempo 06 de maio
CLIMATEMPO 06 de maio 2021, veja a previsão do tempo no Brasil

Na quinta-feira, 6 de maio, já chove a partir da tarde entre o Vale do Ribeira, litoral sul e a Baixada Santista. Na Grande SP o céu fica mais nublado no fim do dia e pode garoar à noite.

Na sexta-feira, 7 de maio, o céu já enche de nuvens por todas as áreas do sul e leste do estado e pode chover em vários momentos do dia entre os Vales do Paraíba e Ribeira e no litoral do estado.

Atenção!

Há risco de chuva forte e volumosa no litoral paulista, principalmente entre sexta sexta e sábado.

A Grande São Paulo terá uma sexta-feira de céu nublado e com garoa. Além disso, como citado acima, as temperaturas já ficam bem mais baixas. A mínima do dia deve ser registrada à noite, ou seja, o período mais frio será no fim do dia.

Possibilidade de novo recorde de frio

Na cidade de São Paulo, a menor temperatura máxima registrada neste ano de 2021 foi no dia 22 de abril, com apenas 19°C. Com a máxima prevista de 19°C na sexta-feira, não dá para descartar um novo recorde de tarde mais fria na cidade.

As nuvens aumentam e as temperaturas diminuem em regiões como Sorocaba, Itapetininga e Campinas, porém nestas áreas não há previsão de chuva. As demais áreas do interior terão uma redução do calor, mas não esfria tanto quanto as áreas do sul e leste do estado.

Fim de semana das mães

O fim de semana do Dia das Mães será marcado por frio no sul e leste de São Paulo.

O litoral segue com céu nublado, chuva e temperaturas baixas. Na Grande SP as condições para chuva diminuem, mas ainda será um fim de semana com muitas nuvens e sensação de frio.

Atenção!

Há risco de chuva forte e volumosa no litoral paulista, principalmente entre sexta e sábado.

Fonte: CLIMATEMPO

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo


Tendências