Como tratar cãibras em vacas

Confira a seguir como tratar cãibras nas vacas:

A subnutrição no rebanho pode ser uma das causas dessas cãibras em vacas. A luxação de patela nos bovinos, conhecida como “cãibras”, é comum nos rebanhos, com isso o AGRONEWS® separou algumas orientações para você amigo pecuarista poder ajudar seu rebanho, confira!

Sintomas

  • Dor;
  • Desconforto;
  • Problemas no casco;
  • Falta de apetite;
  • Dificuldade de locomoção;
  • Diminuição na produção de leite.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Prevenção

cãibras

Vamos evitar as dores e sofrimento animal? Podemos evitar cirurgia e o processo de recuperação é uma ótima ação, além de economizar nos custos.

É possível fortalecer a saúde do animal. Mas como proceder? É simples, amigo produtor. Da forma mais prática e fácil: no cocho. Assim como os humanos, os bovinos também precisam de cálcio e magnésio para o fortalecimento de ossos e músculos.

Além disso, o fósforo também é fundamental para as vacas, principalmente as matrizes e produtoras de leite. Suplementos próprios para o gado leiteiro que não deixam resíduos químicos por serem naturais é uma ótima forma de prevenção.

O cálcio pode ser servido para o gado no cocho através da suplementação por meio de aditivos que ajudam, não só na melhora da saúde e longevidade do animal, mas também na qualidade do leite produzido, e assim como citado não deixam resíduos químicos por serem naturais.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Tratamento

O tratamento se dá por meio cirúrgico. Embora simples, a operação deve ser realizada por um médico veterinário para evitar complicações. A recuperação total do animal leva em média 02 (dois) dias.

A cirurgia é sempre recomendável, pois a cãibra dificulta o movimento das vacas, causando grande desconforto e até mesmo problemas no casco.

Por Daniele Balieiro/AGRONEWS® 

AGRONEWS® é informação para quem produz

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *