fbpx
conecte-se conosco

Mundo Animal

Confira 7 vantagens de ter um gato em casa

Publicado

em

gato

Inteligentes, limpos e engraçados, os gatos ganham o coração dos donos no primeiro miau…

Assim, a fofura dos bigodinhos e das patinhas são difíceis de ignorar quando os felinos pedem atenção. No entanto, não é só o aspecto físico que fazem dos gatunos ótimas companhias para se ter no lar.

1 – Independente:

Um animal de estimação sempre precisa de cuidados. Porém, os gatos trazem tranquilidade para o dono. Isso porque os felinos são mais auto suficientes que outros pets, a exemplo do cachorro. Tal fato é uma característica da espécie, que descende de leões e tigres. Um estudo da Escola de Ciências da Vida da Universidade de Lincoln Reino Unido) descobriu que os gatos não precisam dos seres humanos para se sentirem seguros. Porém, essa constatação não se concretiza em menos carinho e atenção. Os pets precisam de cuidados e dedicação dos tutores mesmo sendo mais independentes.

2 – São Higiênicos:

Se você quer uma companhia animal limpa, os gatos são a melhor opção. Com uma língua feita para sua limpeza, se lambem com frequência para tirar as sujeiras do corpo. Ainda, ao ter uma caixa de areia, os felinos procuram sempre esse local para fazer suas necessidades, o que torna a vida do dono muito mais fácil na hora da faxina.

Leia também:  Câncer de mama em cães: uma doença silenciosa e comum

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Outro ponto interessante, é que os amiguinhos de quatro patas se lavam após fazerem xixi e cocô. Mesmo assim, os donos devem ser responsáveis em relação à pulgas e carrapatos, assim como o banho é recomendado de dois em dois meses.

3 – Ajudam na hora de dormir:

Dormir com um pet é sempre muito bom. Contagiados pelo calor do corpo animal, sentir o carinho dos pets nos tranquiliza para ter um sono mais leve. Nessa perspectiva, uma pesquisa de uma clínica de saúde do sono dos Estados Unidos concluiu que as pessoas com animais de estimação dormem melhor. No estudo, 41% dos entrevistados que tinham gatos relataram ter uma noite mais relaxante quando estão ao lado dos felinos.

4 – O Ronronar nos faz bem:

Fazer carinho em um gato e sentí-lo ronronar é muito bom, não é mesmo? Esse som é característico dos felinos e é utilizado por eles para demonstrar seus sentimentos, como quando estão com fome, incomodados ou gostando do momento. Assim, esses barulhos são benéficos também para o ser humano. Especialistas descrevem que o ronronar ajuda contra a ansiedade e o estresse, devido às vibrações com frequência entre 20 e 150 Hz e sons graves produzidos. Frequências essas que são usadas na medicina esportiva para acelerar as cicatrizes e recuperar lesões.

Leia também:  Vamos entender porque os gatos caem em pé

As raças de gatos mais inteligentes do mundo

Além disso, pesquisadores afirmaram que o ronronar dos gatos provoca transformações nas ondas cerebrais dos donos. Segundo uma pesquisa da Universidade de Minnesota, pessoas que tem gato apresentam até 30% menos chances de morrer de um ataque de coração. Então, nada melhor do que dedicar um tempo do dia para dar carinho e atenção aos bichinhos.

5 – A brincadeira rola solta:

Não é à toa que alguns dos vídeos mais viralizados da internet contam com a participação dos gatos. Afinal, eles são animais caricatos e estão sempre aprontando alguma coisa. Ainda, brincar com os pets é muito fácil. Basta ter um cordão velho ou um laser que a diversão está garantida. Dessa forma, ser dono de um felino com certeza renderá gargalhadas de todos integrantes da casa.

6 – Redução de alergias:

Ao terem filhos, muitos pais acham que ter um gato por perto pode fazer mal à crianças. No entanto, estão enganados. Isso significa que, segundo especialistas, a relação do pet com o bebê é benéfica, de forma que o contato com o animal ajuda na criação de anticorpos no corpo dos pequenos. Mesmo que haja uma reação alérgica no começo, é bom para a elaboração de resistência no corpo humano. Dessa maneira, o convívio da garotada com os felinos é benéfica para o desenvolvimento do organismo das pessoas desde cedo.

Leia também:  Será que os cachorros sentem frio? Confira:

7 – São Companhias leais:

É comum ouvirmos que gatos são animais frios. Porém, essa ideia está errada e qualquer gateiro pode desmentir. Os felinos são pets amáveis, brincalhões e dóceis. Para quem continua duvidando, um estudo da Universidade de Oregon revelou que a maior parte dos gatos se sentem desconfiados e incomodados em não ter o dono por perto.

Confira 7 vantagens de ter um gato em casa

Assim, ter gatos em casa traz vantagens diversas para os moradores. Então, não precisa ficar em dúvida na hora de adotar um felino para sua companhia. Afinal, amor e carinho sempre são bem vindos.

Por Crema Pet

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo Animal

Será que os cachorros sentem frio? Confira:

Publicado

em

cachorro com frio

Inverno chegando, temperaturas baixando e a vontade de ficar debaixo do cobertor aumentando… nesta época do ano, muita gente têm dúvidas em relação aos cuidados com os cães. Afinal, cachorro sente frio? A pelagem é o bastante ou devemos fazer alguma coisa para mantê-los quentinhos e confortáveis? É o que vamos te explicar nesta matéria.

Por mais que pareça óbvio para muita gente, essa é uma dúvida bastante comum entre os tutores. Por isso, é importante saber se o cachorro passa frio e o que fazer para esquentá-lo.

Cachorro sente frio?


Sim, cachorro sente frio assim como nós humanos, mas não da mesma forma que a gente. Isso porque algumas raças são mais sensíveis às baixas temperaturas do que outras. Por exemplo, um Husky Siberiano, devido à pelagem espessa feita especialmente para resistir ao frio, é mais resistente que um Pinscher, uma raça de pelo curto nada adaptada a condições tão adversas.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Dessa forma, devemos deixar claro que quanto mais pelos um cachorro tiver, maior será a resistência dele ao frio. Isso significa que os cães de pelos curtos ou até mesmo os pelados precisam de uma atenção especial durante o inverno.

Leia também:  Comercialização de café da safra 2020/21 do Brasil em 90%, analisa SAFRAS

Raças de cachorro que mais passam frio

Além da densidade da pelagem, que ajuda a controlar o calor, a gordura corporal também é um fator que contribui para o cachorro ser mais resistente ao frio. Ou seja, os cães magros e com pelos mais curtos e menos densos são os que mais sofrem.

Veja algumas raças de cachorro que mais sentem frio:

  • Chihuahua
  • Pinscher
  • Greyhound
  • Whippet
  • Galgo italiano
  • Dachshund
  • Braco Alemão de Pelo Curto
  • Boxer
  • Boston Terrier
  • Fox Paulistinha (Terrier Brasileiro)

Obviamente seu pet não vai chegar até você e pedir uma blusa de moletom. Por isso, é preciso se atentar a alguns sinais para saber se o seu cachorro sente frio. Como:

  • Tremedeira;
  • Passar muito tempo deitado e encolhido;
  • Dormir mais que o habitual;
  • Respiração e movimentos mais lentos que o normal;
  • Letargia;
  • Busca por abrigos e locais mais isolados;
  • Querer ficar próximo de pessoas e outros animais;
  • Percebeu que os sinais de que um cachorro sente frio são bem parecidos com os nossos? Mas, além disso, podemos ter uma ideia de como está o corpo do pet tocando a ponta das orelhas ou coxins (as almofadinhas das patas). Se essas partes estiverem geladas, corra e pegue um cobertor ou roupinha para ele!
Leia também:  Você sabia que as vacas passam por mudança de personalidade na adolescência?

Qual temperatura o cachorro sente frio?

A temperatura corporal média dos cães é de 39 graus. Dessa forma, quando ela está abaixo disso, eles buscam algumas maneiras de se esquentar (como deitar e se encolher ou tremer). Porém, caso ainda sintam frio, eles podem ter problemas de saúde como “gripe” e pneumonia, por exemplo.

https://agronews.tv.br/conheca-o-famoso-cao-boiadeiro-brasileiro-pastor-da-mantiqueira/

Em casos mais extremos, para um cão em situação de rua, existe a chance de ocorrer um quadro de hipotermia, que é a redução drástica da temperatura, o que pode levar o animal a um quadro grave e até ao óbito.

Cachorro com frio: como proteger?

A primeira dica de como proteger o cachorro do frio é: ofereça um local quentinho e confortável para ele dormir. Caso o seu cachorro fique fora de casa, você deve colocar a casinha dele em um espaço onde não chova ou tenha correntes de vento.

Além disso, utilizar roupa para cachorro também é uma excelente forma de protegê-lo do frio, principalmente se o seu pet for de pelo curto. O ideal é acostumá-lo desde cedo a usar o acessório para que não estranhe ou fique incomodado.

Leia também:  Será que os cachorros sentem frio? Confira:

Agora, se o seu cão fica dentro de casa a maior parte do tempo, você deve oferecer uma caminha para cachorro e até um cobertor ou edredom para ele se manter ainda mais aquecido. Em alguns casos, a roupinha para cachorro também é uma boa ideia.

Ah, e para os que têm dificuldade em colocar a roupinha no cachorro, temos uma matéria com dicas valiosíssimas de como fazer o pet se acostumar com a roupa.

Outros cuidados com cachorro no inverno:

  • Reduzir a frequência de banhos;
  • Banhá-los com água morna;
  • Reduzir a quantidade de tosas.
  • Passeios em locais fechados ou, se possível, vesti-lo com uma roupinha para cachorro para sair de casa.

Por Pet Love

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Mundo Animal

Você sabia que o cérebro do gato é semelhante ao do humano?

Publicado

em

gato

“Sei que pode parecer tendencioso, mas devo dizer que, nós gatos somos animais inteligentes, amorosos… resumindo em uma palavra: – Únicos!! Segue algumas curiosidades desvendadas para que nos conheçam ainda melhor.”

Por Gato
gato

1 – A maior raça existente de gatos se chama Maine Coon, em que um gato pode pesar cerca de 12 kg, isso mesmo equivalente à 06 sacos de açúcar;

2 – A coluna do gato é extremamente flexível, porque possuí mais de 53 vértebras enquanto nós humano possuímos apenas 34 vértebras;

3 – Esse bichano passa em média 2/3 do dia dormindo. Isso significa que em 9 anos de vida, ele fica acordado apenas 3 anos durante sua via;

4 – O cérebro de um gato é biologicamente mais similar ao de um humano do que o cérebro de um cão. Ambos, humanos e gatos, têm uma região idêntica no cérebro que é responsável pelas emoções;

Leia Quantos anos vive um gato?

5 – Um gato roça num humano não apenas para mostrar afeto, mas também para marcar o seu território, devido ao odor que as glândulas à volta da sua face liberam… interessante sabermos que a cauda e as patas também possuem o mesmo odor;

Leia também:  Faça sua inscrição: Senar lança programa Agrodigital com cursos gratuitos a distância

6 – Ele consegue correr a 49 km por hora em curtas distâncias e saltar 5 vezes a sua altura num único salto, fantástico!!

7 – A menor raça existente é a Singapura, que pesa cerca de 1,8 kg, um verdadeiro enfeite para a sua sala;

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

8 – Os pequenos tufos de pelo nas orelhas de um gato servem para manter a sujidade fora, direcionar sons para o ouvido e isolar as orelhas;

9 – Um gato, em média, pode viver até 20 anos, o que equivale a cerca de 100 anos de vida dos humanos;

10 – Existem mais de 500 milhões de gatos domésticos no mundo, e aproximadamente 40 raças reconhecidas, são verdadeiros amigos da humanidade!!

E você, também tem um gato que faz a alegria do seu dia-a-dia? Deixe o seu comentário abaixo…

Por Daniele Delgado – AGRONEWS

AGRONEWS – Informação para quem produz

Leia https://agronewsbrasil.com.br/voce-sabia-que-as-vacas-enfrentam-mudancas-de-personalidade-na-adolescencia/

Continue lendo

Notícias

Vamos entender porque os gatos caem em pé

Publicado

em

Venha entender o motivo desses lindos felinos caírem em pé

Os gatos tem a mania de cair em pé porque eles têm um apurado senso de equilíbrio que lhes permite fazer movimentos rápidos e girar o corpo para cair sobre as quatro patas. Para executar esse incrível malabarismo, o felino conta com grande sensibilidade dos receptores vestibulares que integram o labirinto, uma estrutura na parte interna do ouvido responsável pelo equilíbrio.

gato
Foto Internet

Sempre que o gato está numa posição desconfortável, ocorre um aumento de pressão nessa região, o que funciona como um alerta.

Essas mensagens são somadas às que são captadas pela visão do gato, é enviada para o sistema nervoso central (SNC), que a interpreta e manda vários sinais elétricos (sinapses) para o aparelho locomotor do felino, principalmente os músculos, o sistema nervoso então realizam uma série de movimentos instintivos, que fazem o corpo do animal recuperar o equilíbrio.

“O primeiro movimento é a rotação da cabeça na posição correta em seguida da rotação da porção superior do corpo. Por fim, há a rotação da parte inferior”, diz o veterinário Gelson Genaro, especialista em felinos da USP de Ribeirão Preto (SP).

Leia também:  Faça sua inscrição: Senar lança programa Agrodigital com cursos gratuitos a distância

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Além do nosso querido amigo e companheiro gato, outros membros da família desse felino, cito como exemplo leopardos e jaguatiricas, também são capazes da mesma proeza.

Interessante… Gostou desta matéria? Compartilhe com seus amigos!

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/a-curiosidade-matou-o-gato/

Por Victor Delgado – AGRONEWS com informações de Superinteressante

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo


Tendências