CuriosidadesNotícias

Conheça o Texugo ‘Jones’, animal que descobriu tesouro arqueológico Romano excepcional

Conheca-o-Texugo-Jones-animal-que-descobriu-tesouro-arqueologico-Romano-excepcional

Um Texugo com espírito de caçador ao estilo Indiana Jones, desenterrou nada mais, nada menos que parte das 209 moedas do séculos III e V que estavam em uma caverna no noroeste da Espanha. Os investigadores, que qualificaram a descoberta como “excepcional” e sugerem que as moedas foram depositadas no local em “um contexto de instabilidade política“. Confira!

Descoberta arqueológica

Um tesouro composto por mais de 200 moedas do período Romano foi encontrado no noroeste da Espanha, graças a um texugo que procurava alimento, segundo informaram os arqueólogos. A descoberta foi revelada no fim de dezembro último, nos Cadernos de Pré-História e Arqueologia da Universidade Autônoma de Madri, uma publicação periódica.

A imprensa espanhola repercutiu a descoberta nesta semana, quando se completa exatamente um ano da gigantesca nevasca Filomena, que paralisou boa parte do país no início de 2021 e causou perturbações no ecossistema, obrigando alguns animais a buscar comida em lugares diferentes dos habituais.

Conheça o Texugo 'Jones', animal que descobriu tesouro arqueológico Romano excepcional
Três arqueólogos trabalham no local onde o tesouro asturiano-romano de La Cuesta de Berció (Astúrias) foi encontrado.
MINISTÉRIO DA CULTURA DO PRINCIPADO DAS ASTÚRIAS

Segundo o artigo publicado pelos arqueólogos, as moedas foram encontradas na caverna de La Cuesta, em Berció, nas Astúrias, “em meio a toda a areia extraída possivelmente por um texugo, na entrada de sua toca“.

Um morador da região viu as moedas e alertou as autoridades. Em abril do ano passado, um grupo de investigadores e arqueólogos foi até o local para recolher as moedas e desenterrar as que ainda estavam sob o solo.

Trata-se de um conjunto de 209 peças de entre os séculos III e V“, originárias “do norte e do Mediterrâneo oriental“, de lugares como Antioquia, Constantinopla, Tessalônica, Roma, Arles, Lyon e até mesmo Londres, segundo o artigo.

Os investigadores, que qualificaram a descoberta como “excepcional“, sugerem que as moedas foram depositadas no local em “um contexto de instabilidade política“, principalmente por causa da invasão dos suevos, um povo germânico, no noroeste da Península Ibérica.

Sobre o texugo caçador de tesouros

Os texugos são animais de pernas curtas e atarracados, de pelagem castanha ou negra, carnívoros que pertencem à família dos mustelídeos (Mustelidae, a mesma família de mamíferos dos furões, doninhas, lontras, e muitos outros tipos de carnívoros). Existem oito espécies de texugo, divididos nestas três subfamílias: Melinae (texugos da Europa e Ásia – ver ligações nas listas de espécies abaixo), Mellivorinae (o ratel ou texugo-do-mel), e Taxideinae (o texugo-americano). O texugo-fedido asiático do gênero Mydaus costumava ser incluído com os Melinae, mas recentes evidências genéticas indicam que seriam, de fato, parentes do Velho Mundo dos cangambás (família Mephitidae).

Os texugos típicos (Meles, Arctonyx, Taxidea e Mellivora) têm pernas curtas e são corpulentos. O maxilar inferior é articulado ao superior por meio de um côndilo transversal firmemente fixado a uma cavidade longa do crânio, para que a deslocação do maxilar seja quase impossível. Isto permite, ao texugo, manter a sua presa com uma tenacidade máxima, porém limita o movimento de sua mandíbula a dobrar de forma a abrir e fechar ou escorregar de lado a lado, sem o movimento de torção possibilitado pelas mandíbulas da maior parte dos mamíferos.

Conheça o Texugo 'Jones', animal que descobriu tesouro arqueológico Romano excepcional

Os texugos e sua relação com humanos

Muitos texugos na Europa foram mortos por gás durante os anos 1960 e 1970 para controlar a raiva. Até os anos 1980, essa prática foi usada no Reino Unido para controlar a extensão da tuberculose bovina. O costume escandinavo é de pôr cascas de ovo ou isopor nas botas de alguém ao andar no território do texugo, pois se acredita que texugos parem de morder ao ouvir uma mastigação ruidosa. A caça de texugos é comum em muitos países, seja para se eliminar a peste representada pelos texugos, seja simplesmente como esporte. Tal modalidade de caça, no entanto, requer licença do governo. Ostensivamente, os texugos são protegidos no Reino Unido pela lei 1 992.

A luta de texugos é um desporto sangrento proscrito no Reino Unido pelo ato 1 835 de crueldade aos animais bem como pela lei 1 992 de proteção aos texugos.

A raça de cães Dachshund foi criada especialmente para caçar texugos (dachshund significa, literalmente, “cão de texugo”ː dachs, texugo e hund, cão).

Alguns habitantes de Baçorá, no Iraque, dizem que as Forças britânicas soltaram texugos que comem humanos naquela região do país depois da invasão de 2003. Esta alegação foi negada pelos cientistas britânicos. Foi especulado que os animais eram nativos da área.

Há algumas discrepâncias entre estudiosos da língua japonesa ao se traduzir タヌキ (cão-guaxinim) para outras línguas. Esse problema é mais comum de ocorrer nos Estados Unidos devido ao desconhecimento desse animal. Erroneamente, o cão-guaxinim é chamado de texugo, embora sejam animais distintos e ambos conhecidos e existentes no Japão.[10] Alguns traduzem até como guaxinim.

Na saga Harry Potter, o Texugo é o animal que representa a casa Hufflepuff (lufa-lufa).

Texugo é o mascote da unidade de Bauru da Universidade Júlio de Mesquita Filho (UNESP).

O Texugo é um dos Símbolos do estado de Wisconsin, nos Estados Unidos. Os times que representam a Universidade do Wisconsin-Madison são chamados de “texugos de Wisconsin“.

E com esta nova descoberta arqueológica, com toda certeza a sua biografia animal contará com mais um atributo, o de “caçador de tesouros perdidos“.

Sobre a inspiração aventureira

Apelidamos nosso querido animalzinho de Texugo ‘Jones’ em homenagem ao mais conhecido caçador de tesouros de todos os tempos. Confira abaixo um pouco deste personagem icônico dos cinemas.

Henry ‘Jones’, Jr., ou simplesmente Indiana Jones, é um personagem da série de filmes Indiana Jones, criado por George Lucas e Steven Spielberg, George lucas criou o personagem em homenagem aos heróis de séries e filmes de ação dos anos 1930. O personagem apareceu pela primeira vez em 1981 em Indiana Jones e Os Caçadores da Arca Perdida, dirigido por Steven Spielberg e vivido por Harrison Ford. O personagem também aparece em séries de televisão.

O personagem se distingue pela sua aparência (chicote, chapéu, mochila e jaqueta de couro), senso de humor, conhecimento profundo de muitas civilizações e línguas antigas e medo de cobras.

Henry Jones Júnior (Indiana Jones) é um indivíduo com vida dupla: além de um pacato professor de Arqueologia, é um aventureiro destemido e pouco convencional, que carrega um revólver, um chicote e seu inseparável chapéu, ele é mais conhecido por Indiana, apelido tirado do nome do cão que tinha quando criança (na vida real, o cão pertencia a George Lucas).

A maioria de suas aventuras ocorre na década de 1930. No primeiro e terceiro filme, o herói enfrenta forças nazistas que querem se apossar de famosas relíquias judaico-cristãs, a Arca da Aliança e o Santo Graal, respectivamente, para assim, tentar dominar o Mundo. O segundo filme ambienta-se na Índia, e o quarto filme começa nos EUA e termina nas selvas da América do Sul.

Assista abaixo algumas curiosidades sobre o caçador de tesouros mais famoso dos cinemas.

E então, qual será a próxima aventura do nosso Texugo ‘Jones’ e quais descobertas ele revelará desta vez? Escreva nos comentários…

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.