Conheça Rosemary, a cerveja brasileira que combate o diabetes

Rosemary é uma inovação brasileira que pode revolucionar o mercado de cervejas. Confira!

Já pensou em uma cerveja que combate o diabetes e além disso pode auxiliar a proteger o fígado de quem consome? Parece brincadeira, mas ela existe, se chama Rosemary e foi desenvolvida por pesquisadores brasileiros, que devem colocar o produto no mercado em breve.

Rosemary, a cerveja brasileira que combate o diabetes

Desenvolvida pela Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro) em Guarapuava, no Paraná, Rosemary (alecrim em inglês) é composta por bioativos do alecrim campestre que ajudam a reduzir a glicemia e a gordura no sangue, além de proteger o cérebro e o fígado dos consumidores.

O alecrim campestre é uma planta nativa da América do Sul encontrada principalmente na Argentina, Bolívia, Paraguai e Uruguai, a cerveja ajuda a reduzir a glicemia e o nível de gordura no sangue, além de proteger o fígado e os rins dos pacientes.

Conheça Rosemary, a cerveja brasileira que combate o diabetes

A Cervejaria Heimdall, especializada em cervejas artesanais na região Centro-Sul do Paraná, terá a licença para produzir e distribuir a cerveja Rosemary em larga escala. Além da Heimdall, o licenciamento também envolve o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Paraná (IFPR) e a Fundação de Apoio ao Desenvolvimento da Unicentro (FAU). A transferência de tecnologia para a empresa permitirá que a cerveja Rosemary entre em produção industrial e seja disponibilizada para àqueles que desejam cuidar da saúde enquanto se divertem.

O Dr. em Bioquímica Carlos Ricardo Maneck Malfatti, responsável pelo estudo, afirma que a licença da universidade para produção de cerveja incentiva a ciência de maneira significativa. Ele explica que quando os resultados de estudos acadêmicos são comercializados no mercado, as instituições de ensino superior obtêm mais recursos para produzir novas tecnologias e inovações.

Essa ação reforça a importância da tríplice hélice entre academia, governo e mercado. Nesse cenário, as universidades desenvolvem as pesquisas, o setor público promove o fomento às pesquisas e o empresário contribui para o desenvolvimento econômico”, afirma o pesquisador.

Conheça Rosemary, a cerveja brasileira que combate o diabetes
Dr. Carlos Ricardo Maneck Malfatti – Bioquímico

A cerveja Rosemary é o resultado de 5 anos de estudos para encontrar possíveis benefícios à saúde humana. No ano passado, o projeto foi finalista da primeira edição do Programa de Apoio à Propriedade Intelectual com Foco no Mercado (Prime). Este programa, idealizado pela Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti) do Paraná, tem como objetivo promover a inovação e a propriedade intelectual, além de qualificar professores, estudantes e pesquisadores das instituições de ensino superior e de pesquisas científicas e tecnológicas do Paraná.

O que dizem os especialistas

Vamos começar a análise sobre cerveja e diabetes, ouvindo um cara que conhece bem do assunto quando se fala em beber uma cervejinha. Zeca Pagodinho, considerado um especialista no consumo de cerveja, revelou em entrevista ao podcast “Quem Pode, Pod” que, devido a problemas com diabetes, precisou “maneirar” e trocar a cerveja por vinho. Ele conversou sobre isso com Fernanda Paes Leme e Giovanna Ewbank.

Perguntado se: quem tem diabetes pode beber? o cantor respondeu de maneira simples e rápida: “cuidado!”, disse Zeca. Muitos especialistas concordam que ele tomou a decisão certa ao “maneirar na dose“.

De acordo com Ricardo Botticini Peres, endocrinologista do Hospital Israelita Albert Einstein (SP), “o paciente diabético é alguém que precisa diminuir o consumo calórico para perder peso e controlar a glicemia no sangue. Mas o álcool é um alimento, é uma caloria. Um grama de açúcar tem quatro calorias, um grama de gordura tem nove e um grama de álcool tem sete calorias. Fora as calorias da cevada, do trigo, e das outras bebidas destiladas.”, explica o médico.

Além disso, o álcool também pode aumentar o apetite e levar a escolhas alimentares inadequadas ou ao consumo calórico excessivo, o que contribui para o quadro de hiperglicemia associado às bebidas. Peres também alerta para o perigo de diabéticos que esquecem de se alimentar enquanto estão bebendo, o que pode resultar em um quadro de hipoglicemia (glicose no sangue abaixo de 70 mg/dl), o que pode causar mal-estar, perda de consciência e até consequências mais graves.

Portanto, a cerveja Rosemary, cujo nome é uma tradução do inglês para alecrim, vem como uma inovação interessante para os apaixonados pela bebida e pode ser consumida diariamente por pessoas pré-diabéticas (uma unidade) e diabéticas (duas unidades). Vale ressaltar que além de seus benefícios para a saúde, ela também possui um aroma e sabor agradáveis.

Sobre o alecrim campestre

O alecrim campestre (Rosmarinus officinalis) é uma planta aromática e medicinal da família Lamiaceae, originária da região do Mediterrâneo. É conhecida por seus benefícios para a saúde, incluindo a capacidade de melhorar a memória, aliviar dores de cabeça, estimular a digestão e fortalecer o sistema imunológico.

O alecrim também possui propriedades antioxidantes e anti-inflamatórias, o que o torna útil no tratamento de doenças crônicas, como a diabetes e a obesidade. Ele também é usado como tempero culinário e para fins aromáticos. O alecrim campestre é uma planta resistente e pode ser cultivada facilmente em jardins ou vasos. No entanto, é importante lembrar que o uso medicinal do alecrim deve ser feito sob orientação médica ou de um profissional de saúde qualificado.

Conheça Rosemary, a cerveja brasileira que combate o diabetes

Alerta

E para concluirmos essa matéria queremos alertar que embora a Rosemary seja uma bebida associada a alguns benefícios, o consumo excessivo de álcool pode ter graves consequências para a saúde e o bem-estar. Essa prática pode aumentar o risco de problemas de saúde mental, doenças hepáticas, problemas cardíacos, câncer e acidentes.

Além disso, o álcool pode afetar negativamente a vida social e profissional, prejudicando relacionamentos e comprometendo o rendimento no trabalho. É importante lembrar que o consumo moderado de álcool, se houver, deve ser feito com responsabilidade e de acordo com as recomendações de segurança e saúde. Em caso de dependência de álcool ou problemas relacionados ao seu consumo, procurar ajuda médica é fundamental.

AGRONEWS® é informação para quem produz

3 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *