Embrapa

Controle biológico de pragas é tema de visita à Embrapa

A Embrapa Milho e Sorgo recebe, esta semana, a visita do biólogo e entomologista Malik Ba, do Niger, país da África, funcionário do International Crops Research Institute for the Semi-Arid Tropics – Icrisat (Instituto Internacional de Pesquisa de Cultivos para os Trópicos Semi-Áridos). Ele foi recebido pelos chefes Antônio Álvaro Corsetti Purcino e Sidney Neto Parentoni e pelo pesquisador Ivan Cruz.

Malik Ba trabalha com controle biológico, utilizando parasitoides, notadamente o Telenomus remus, um parasitoide de ovos de Spodoptera frugiperda. Este parasitoide já é estudo há muitos anos pelo pesquisador Ivan Cruz. Malik estava no Brasil participando do evento internacional sobre Biocontrole na América Latina, “Biocontrol Latam 2019”, realizado pela Associação Brasileira de Controle Biológico, de 28 a 30 de agosto, em Campinas-SP. Pela proximidade com Minas Gerais, aproveitou a oportunidade para visitar a Embrapa Milho e Sorgo e conversar com o pesquisador Ivan Cruz, que já conhecia de eventos internacionais em diferentes países africanos, sobre o seu programa de pesquisa com macrorganismos e as possíveis parcerias com o Icrisat, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e governos africanos. 

Segundo Malik, “o Icrisat tem laboratório que pesquisa agentes para controle biológico de pragas e seria importante conhecer um pouco mais sobre o controle biológico da lagarta-do-cartucho (S. frugiperda), principal praga que atinge as lavouras de milho e de sorgo nos países africanos, desde 2016”. Para ele “o controle biológico é uma das principais ferramentas utilizadas nas lavouras da África, para manejo da lagarta e de outras pragas. E o sorgo é um cereal importante para a economia dos países”.

Ivan Cruz ressaltou as diversas missões já realizadas na África com o objetivo de discutir e propor soluções para o controle da praga nas lavouras do continente, por meio de projetos realizados com diferentes organizações internacionais, entre elas a FAO. “Buscamos realizar um consórcio de projetos de pesquisas e de transferência do conhecimento, e, mais uma vez, mostrar a importância do controle biológico para as lavouras africanas”, diz Cruz.

Malik Ba visitou também o Banco Ativo de Germoplasma (BAG), para conhecer os trabalhos desenvolvidos pelo setor. Muitos dos acessos de sorgo do BAG da Embrapa Milho e Sorgo têm origem no Banco de Germoplasma do Icrisat.

Durante a visita, Malik teve oportunidade de conversar com os pesquisadores Fernando Hercos Valicente, sobre o programa de controle biológico com microrganismos, e Paulo Afonso Viana, sobre o uso de extrato de plantas para o controle da lagarta-do-cartucho-do-milho.

 

A Embrapa Milho e Sorgo recebe, esta semana, a visita do biólogo e entomologista Malik Ba, do Niger, país da África, funcionário do International Crops Research Institute for the Semi-Arid Tropics – Icrisat (Instituto Internacional de Pesquisa de Cultivos para os Trópicos Semi-Áridos). Ele foi recebido pelos chefes Antônio Álvaro Corsetti Purcino e Sidney Neto Parentoni e pelo pesquisador Ivan Cruz.

Malik Ba trabalha com controle biológico, utilizando parasitoides, notadamente o Telenomus remus, um parasitoide de ovos de Spodoptera frugiperda. Este parasitoide já é estudo há muitos anos pelo pesquisador Ivan Cruz. Malik estava no Brasil participando do evento internacional sobre Biocontrole na América Latina, “Biocontrol Latam 2019”, realizado pela Associação Brasileira de Controle Biológico, de 28 a 30 de agosto, em Campinas-SP. Pela proximidade com Minas Gerais, aproveitou a oportunidade para visitar a Embrapa Milho e Sorgo e conversar com o pesquisador Ivan Cruz, que já conhecia de eventos internacionais em diferentes países africanos, sobre o seu programa de pesquisa com macrorganismos e as possíveis parcerias com o Icrisat, Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) e governos africanos. 

Segundo Malik, “o Icrisat tem laboratório que pesquisa agentes para controle biológico de pragas e seria importante conhecer um pouco mais sobre o controle biológico da lagarta-do-cartucho (S. frugiperda), principal praga que atinge as lavouras de milho e de sorgo nos países africanos, desde 2016”. Para ele “o controle biológico é uma das principais ferramentas utilizadas nas lavouras da África, para manejo da lagarta e de outras pragas. E o sorgo é um cereal importante para a economia dos países”.

Ivan Cruz ressaltou as diversas missões já realizadas na África com o objetivo de discutir e propor soluções para o controle da praga nas lavouras do continente, por meio de projetos realizados com diferentes organizações internacionais, entre elas a FAO. “Buscamos realizar um consórcio de projetos de pesquisas e de transferência do conhecimento, e, mais uma vez, mostrar a importância do controle biológico para as lavouras africanas”, diz Cruz.

Malik Ba visitou também o Banco Ativo de Germoplasma (BAG), para conhecer os trabalhos desenvolvidos pelo setor. Muitos dos acessos de sorgo do BAG da Embrapa Milho e Sorgo têm origem no Banco de Germoplasma do Icrisat.

Durante a visita, Malik teve oportunidade de conversar com os pesquisadores Fernando Hercos Valicente, sobre o programa de controle biológico com microrganismos, e Paulo Afonso Viana, sobre o uso de extrato de plantas para o controle da lagarta-do-cartucho-do-milho.

 

Comentários

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar
Botão Voltar ao topo