Covas: Viaduto não tem dano estrutural após incêndio, mas reforma deve demorar

O viaduto Alcântara Machado, em São Paulo, não sofreu danos estruturais após o incêndio da noite de quinta-feira (11) e está liberado parcialmente para veículos leves. Carros, motocicletas e caminhonetes VUC estão podendo passar por três faixas em cada sentido desde o fim da manhã desta sexta-feira (13).

A Prefeitura deve realizar, na próxima semana, uma nova avaliação para verificar se pode autorizar o trânsito de caminhões e ônibus.

O prefeito Bruno Covas (PSDB) diz que, mesmo sem danos estruturais, a reforma deve levar mais tempo. “O dano aqui não é um dano estrutural, de acordo com as primeiras avaliações dos técnicos da Secretaria de Obras da Prefeitura, mas toda a recuperação deve levar mais de dois meses, para poder recuperar toda essa avaria que foi feita por conta do incidente.”

De acordo com a Prefeitura, pouco mais de 60 pessoas moravam pela estrutura. A vendedora ambulante Thais Martins dos Santos morava embaixo do viaduto e conta que as chamas se propagaram muito rapidamente. “O barraco começou a esquentar muito, e eu falei ‘nossa, que calor insuportável’, quando vi a minha amiga gritando que havia fogo. Aí quando fui para o meu quarto, ele já estava pegando fogo”, relembra.

A polícia continua investigando as causas do incêndio, que durou aproximadamente duas horas. Alguns moradores afirmam que viram, pouco antes de o fogo pegar, uma pessoa jogando um material líquido na estrutura dos barracos. Por isso, eles acreditam que a causa pode ter sido criminosa.

*Com informações do repórter Tiago Muniz 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.