CuriosidadesNotícias

Marimbondo – qual a função desse inseto na natureza?

Certamente você faz parte do grupo daquelas pessoas que não são muito fãs de insetos. Talvez um dos mais odiados seja o famoso, e temido, marimbondo. Um novo estudo indica que o marimbondo é bastante odiado pelas pessoas. Em contraste, a pesquisa mostra que as pessoas amam as abelhas.

Apesar disso, será que essa fama de má é justa? No fim das contas, um fato é que esses animais são tão importantes para o meio ambiente quanto as próprias abelhas.

Os estudiosos ainda sugerem que seja feita uma campanha de marketing para mudar a imagem do marimbondo junto à população. Ainda segundo os pesquisadores, a fama ruim está relacionada ao pouco conhecimento do papel desse inseto na natureza.

A pesquisa que indica isso foi feita com 750 pessoas de 46 países na qual foi detectado que os marimbondos estão entre os insetos mais odiados.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Primeiramente, os participantes da pesquisa listaram insetos numa escala de preferência que variava de -5 a 5. Ou seja, dos que provocavam reações negativas aos que atraíam sentimentos positivos. Entre a maioria dos participantes, as abelhas ganharam nota 3 ou acima de 3. Em contraste, os marimbondos receberam notas negativas, -3 ou inferior.

marimbondo

Quando perguntadas sobre quais palavras podiam associar com as abelhas, as respostas mais frequentes foram “mel”, “flor” e “polinização”. Em contrastem, os marimbondos foi “ferrão”, “irritante” e “perigoso”.

Seirian Summer, da universidade britânica UCL (University City of London), responsável pelo estudo, afirma que a maioria das pessoas não sabe de todas as coisas boas que os marimbondos fazem. Consequentemente, eles são considerados um incômodo. Acontece que marimbondos também são responsáveis pelo transporte do grão de pólen das flores e por matar pragas.

“As pessoas não percebem o quão incrivelmente valiosos eles são”, disse a pesquisadora à BBC News.  Além disso, Summer descobriu, também, que praticamente não há pesquisa sobre os impactos positivos dos marimbondos no meio ambiente.

Ao analisar os estudos, a pesquisadora identificou que 97,6% de um total de 908 pesquisas, todas produzidas depois de 1980, trataram de abelhas. Ou seja, quase nenhum pesquisador quer falar sobre os marimbondos. Isso é um problema, pois os números de marimbondos estão diminuindo devido à perda de habitat e mudanças climáticas.

Primeiramente, os marimbondos são insetos que pertencem à ordem dos himenópteros. Eles são responsáveis pela polinização de diversas espécies de plantas. Dividem-se nas subordens Apocrita e Symphyta. As larvas da subordem Apocrita são usualmente carnívoras ou parasitoides, enquanto que as da Symphyta são herbívoras. No Brasil e em Angola são chamadas de marimbondos, as vespas da família Vespidae, Pompilidae ou Sphecidae.

Além disso, Elas possuem dois pares de asas, um ovipositor ou um ferrão. A maior parte é de vida terrestre, havendo um conjunto de vespas parasitóides de vida aquática da superfamília Chalcidoidea entre as quais pertencentes à família Trichogrammatidae, Mymaridae e Eulophidae que parasitam coleópteros da família Dytiscidae, Hygrobiidae entre outros. Também são predadores ou parasitas.

Para completar, eles são importantes no controle biológico uma vez que quase todos os insetos considerados como praga têm uma vespa como predador natural. As casas são semelhantes às das abelhas. Elas são divididas em favos, que servem como depósito de uma substância feita a partir de larvas de pequenos insetos.

Fonte: BBC

AGRONEWS® – Informação para quem produz

 
telegram agronews

Um Comentário

  1. Eu amo os marimbondos
    Há 30 anos convivo com aqueles do tipo cavalo ou caçador, pacificamente. Nunca fui ferroada. Respeito eles e sou poupada. Tenho no quintal a bacia com hortelã plantada. Todos os dias coloco um copo de água para eles beberem…eles.fazem uma verdadeira festa. Acho lindo… Todos temos direito à vida, somos todos filhos do mesmo DEUS Pai! Adorei a matéria!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados