Embrapa

Expansão do zoneamento pedoclimático para culturas agrícolas é apresentado ao Governador da Paraíba

No dia 1º de agosto, o coordenador técnico da Unidade de Execução de Pesquisa e Desenvolvimento de Recife (PE), vinculada à Embrapa Solos (Rio de Janeiro, RJ), André Júlio do Amaral, e os pesquisadores Alexandre Hugo Cézar Barros e José Coelho de Araújo Filho, estiveram reunidos com o Governador da Paraíba, João Azevedo Lins Filho, em João Pessoa. Em pauta, a apresentação dos resultados parciais do projeto Zoneamento do potencial pedoclimático para culturas agrícolas na área de influência do Canal das Vertentes Litorâneas da Paraíba (ZON-PB).

Na primeira parte do encontro, os resultados preliminares do projeto foram apresentados por Alexandre e José, abordando a aptidão climática e o mapeamento de solos na escala 1:50.000. A dupla também demonstrou a integração dos dados do ZON-PB na plataforma GeoInfo.

Expansão do trabalho

Logo após, André Amaral apresentou a proposta de expansão do projeto, abrangendo novas áreas sob influência do eixo leste da transposição das águas do Rio São Francisco, o que será a etapa II do ZON-PB. Foram discutidos os planos de ação, as culturas agrícolas a serem estudadas e o plano de trabalho com orçamento e prazos para execução. Agora, o governador vai analisar a proposta e, após isso, segundo André, deve acontecer a assinatura do termo de cooperação técnica entre a Embrapa Solos e o Governo da Paraíba, ainda em setembro de 2019.

O projeto vai beneficiar 21 municípios das mesorregiões da Borborema e do Agreste Paraibano, abrangendo uma área de 7.500 km2, buscando o fortalecimento de políticas públicas voltadas para o incentivo à produção de forragens e frutas, visando ao aproveitamento dos recursos hídricos disponíveis do eixo Leste da Transposição das águas do Rio São Francisco. Isto permitirá potencializar a exploração da agropecuária irrigada e o desenvolvimento de cadeias produtivas locais.

Também estiveram na reunião os secretários de estado da agropecuária e da pesca, recursos hídricos e de agricultura familiar.

 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Botão Voltar ao topo