Feijão é tema de reunião sobre segurança alimentar

Representantes do Conselho Brasileiro de Feijão e Pulses e Secretária de Segurança Alimentar e Nutricional discutem ações para o setor.

Na última terça-feira (24), representantes do Conselho Brasileiro de Feijão e Pulses (CBFP) se reuniram com a Secretária Nacional de Segurança Alimentar e Nutricional, do Ministério do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Lilian Rahal, para tratar assuntos referentes ao combate à fome a aos incentivos necessários para um dos principais itens da dieta do brasileiro – o Feijão.
O presidente do Instituto Brasileiro do Feijão, Pulses e Colheitas Especiais (IBRAFE), Marcelo Eduardo Lüders, participou da reunião ao lado de Amanda Ayres, Marcos da Rosa e Afrânio Migliari, também integrantes do CBFP.

Feijão é tema de reunião sobre segurança alimentar

A secretária pontuou que este governo tem o compromisso de combater a fome e que seu ministério é responsável pelas compras de cestas básicas e pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA). Ela destacou ainda que será colocada em prática a Câmara Interministerial de Segurança Alimentar e Nutricional, com cerca de 20 pastas, entre elas, Ministério da Agricultura, Ministério da Educação e Ministério da Saúde.

Lilian acredita que o combate à fome passa pela alimentação escolar, melhoria de renda, Plano Safra e políticas de preços mínimos. “O ministro do Desenvolvimento e Assistência Social, Família e Combate à Fome, Wellington Dias, pretende atuar em dois ramos – incluir no Plano Safra diretriz específica para a produção de alimentos básicos e para a produção de alimentos regionais”, declarou.

Incentivo

Durante a reunião o representante do CBFP, Afrânio Migliari, pontuou sobre a questão da qualidade dos alimentos adquiridos em compras públicas e como isso afeta a alimentação, principalmente em escolas, creches e hospitais públicos. Ele destacou a importância ao incentivo à utilização sementes de qualidade no plantio, desde o agricultor familiar até o grande agricultor.

A secretária sugeriu então pleitear no Plano Safra também incentivos para pesquisa voltada ao Feijão.

Eventos e exportação

Marcelo Lüders destacou a possibilidade de exportar o excedente de Feijão e que, além do papel do combate à fome, o Feijão gera renda para os produtores. Com isso, ao olhar para o mercado externo, o produtor pode se sentir seguro de plantar outras variedades de Feijão além daqueles mais consumidos internamente, como o carioca.

O presidente do IBRAFE pontuou ainda a importância de ações conjuntas entre o poder público, o setor privado e bancos como a Caixa Econômica para o desenvolvimento das cadeias produtivas dos Feijões e Pulses.

Feijão é tema de reunião sobre segurança alimentar

Ele citou ainda eventos importantes para as discussões dos desafios e oportunidades dessas cadeias produtivas, como o Fórum Brasileiro do Feijão e Pulses, que terá sua 9ª edição em Brasília, e será importante justamente para mobilizar os atores-chave do governo e demais entidades para as demandas do setor.

A secretária se colocou à disposição para participar de eventos em que o assunto transite por segurança alimentar e nutricional e para a promoção de políticas públicas neste sentido.

*Com informações do IBRAFE

AGRONEWS® é informação para quem produz

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

1 Comment

  1. Nicolau Balaszowsays:

    De família pobre, cresci na base de arroz e feijão. Às vezes, bife, frango ou suíno. Grapette, suco natural e de sobremesa, frutas da estação. Viva o Feijão nosso de cada dia. É o melhor remédio contra essa cambada que mama nas tetas do povo.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *