fbpx
conecte-se conosco

Mundo Animal

Fogos de artifício são o medo número 1 dos nossos amigos

Publicado

em

carrapato

O grupo de pesquisadores descobriu que 72,5% dos cães sofriam de pelo menos um dos seguintes distúrbios:

  • sensibilidade excessiva ao ruído;
  • medo geral: esconderijo de cães, medo de estranhos e situações desconhecidas;
  • medo de alturas e superfícies como telhas refletivas de vidro, por exemplo;
  • comportamento compulsivo de mastigar um objeto implacavelmente ou perseguir a própria cauda;
  • desatenção e impulsividade;
  • agressão à família ou a estranhos;
  • medo da separação: cão que faz xixi ou late em excesso na sua ausência.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

A sensibilidade ao ruído é a condição mais comum, afetando 32% dos cães de todas as raças. Em mente, o medo de fogos de artifício diz respeito a 17% dos cães; paradoxalmente, quanto mais velho o cão, mais frequente é esse sintoma. Isso significa que seu cachorro definitivamente não está se acostumando às festividades. 15% dos cães têm medo de estranhos, 14% têm comportamentos agressivos, 11% temem novas situações e 6% tendem a se morder.

A pesquisa também identificou que os distúrbios de ansiedade são frequentemente associados um ao outro. Um cão que sofre de medo da separação tem, portanto, 4,1 vezes mais chances de ser hiperativo ou impulsivo, e um cão agressivo tem 3,2 vezes mais chances de ser também um cão medroso.

AGRONEWS – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/voce-sabia-que-o-cerebro-do-gato-e-semelhante-ao-do-humano-seguimos-com-mais-curiosidades-sobre-esse-bichano/

Fonte: Socientifica

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mundo Animal

Altas temperaturas podem causar queimadura na pata e óbito em cães

Publicado

em

Médico veterinário ensina o que os tutores devem evitar e o que podem fazer para garantir a saúde dos cães durante a estação mais quente do ano

Sombra e água fresca não devem ser privilégio apenas dos humanos em dias mais quentes, principalmente durante o verão. Os pets também precisam de ambientes ventilados, água à vontade e que os passeios ocorram em horários mais frescos, para evitar ferimentos nas patinhas e hipertermia ou insolação, que pode resultar que o cão venha a óbito.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Segundo o médico veterinário João Gustavo P. de Souza, do Hospital Veterinário Lovely Dog, os pets transpiram pelos coxins (as almofadinhas das patas) e pela boca, e não pela pele como nós. No caso dos cães braquicefálicos, como o Pug, Bulldogues, Shih Tzu e Boxer, a dificuldade de perder calor é ainda maior, pois possuem o focinho mais curto, por isso requerem cuidados redobrados no verão.

No entanto, embora os braquicefálicos sejam os mais acometidos, todos os cães estão sujeitos a sofrer com a alta temperatura. O aumento da temperatura corpórea pode elevar a frequência respiratória, evoluir para falta de ar, causar desmaios, convulsões, levando o pet ao risco de morte.

Então fique atento aos principais sintomas: hipersalivação; respiração ofegante acima do normal; pele muito quente; batimento cardíaco acelerado; cansaço, fraqueza, indisposição.

Nesse sentido, confira seis cuidados sugeridos pelo médico veterinário capazes de garantir a integridade da saúde do seu pet:

1) Queimadura nas patas

Ao contrário do que muitos pensam, as patas dos cães são sensíveis e podem sofrer queimaduras durante um passeio em horários entre 10h e 16h. Isso porque a camada de gordura presente nos coxins (almofadinhas das patas) não é suficiente para isolar a alta temperatura da areia da praia, do asfalto e das calçadas de pedra e cimento. Se a temperatura do chão estiver quente para você, também estará quente para o seu companheiro de caminhada.

2) Desidratação

Recomenda-se colocar mais potes de água em casa, com alguns cubos de gelo. Durante o passeio, é importante levar uma garrafinha de água e oferecer ao poucos ao cão.

3) Refresco

Existem algumas formas para os cães se refrescarem em dias em que a temperatura está mais elevada. Comidinhas e frutas congeladas em forma de gelo são opções que podem agradar os pets. Outra alternativa é colocar alguns brinquedos preferidos do cão no freezer, o que os deixam ainda mais atrativos enquanto brincam.

4) Cão no carro

Deixar o cão no carro, no calor, pode levá-lo à óbito. Mesmo com a janela aberta, o carro esquenta rapidamente o que contribui no aumneto da temperatura corpórea .

5) Focinheira

Opte por focinheiras de grade de modo que permita que o cão possa abrir melhor a boca e assim, perder calor.

6) Parasitas

O calor contribui para o aumento de pragas como mosquitos (que transmitem a Dirofilariose – popularmente conhecida como verme do coração – e Leishmaniose – que não tem tratamento de cura), assim como pulgas e carrapatos. Então, certifique-se de que seu cão esteja devidamente protegido mesmo que more em apartamento. E se for em casa, manter o ambiente limpo e dedetizado para esses insetos pode ser a opção mais adequada.

7) Praia

Embora seja proibida a presença de cães no litoral, muitos tutores ignoram a Lei. Nesse caso, ao colocá-los em contato com a água do mar e areia da praia, além de machucar as patinhas por conta do calor do solo, os grãos também podem prejudicar os olhos, e com a umidade, causar dermatites e otites. Então, limpar os olhos com soro em abundância e secar bem o animal, são alguns cuidados importantes.

Após todos os cuidados recomendados, bom verão e divirta-se com o seu pet!

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Notícias

Conheça a raça de cão de trabalho: Pastor Maremano Abruzês

Publicado

em

O Pastor Maremano Abruzês possuí instinto de cuidar do rebanho e não requer muito treinamento, desde pequeno possuem o contato com eles se acostumando com a presença um do outro

A importância desta raça de cães junto ao rebanho é para evitar o ataque de outros predadores e por isso a presença do cão em locais mais afastados da fazenda é indispensável. O seu instinto não é de atacar, mas ao latir para proteger faz com que o predador se afugente.

São cães que trabalham de dia, mas principalmente à noite, pois é o momento em que muitos predadores costumam atacar. Originários da Itália, se diferenciam do Border Collie pois costumam se misturar com os animais para sempre estar verificando se possui algum perigo à vista e isso faz com que o rebanho não tenham medo deste protetor.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Uma boa curiosidade desta raça é em relação ao pelo, pode se pensar que a sua pelagem pode incomodar o cão, justamente por viver diariamente no campo em dias quentes e frios. Mas ela é fundamental para proteger de possíveis ataques de predadores, tornando-se uma dificuldade para machucar o cão.

Gostou de saber mais sobre essa raça? Comente e compartilhe!

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Notícias

Conheça as raças de gatos mais inteligentes do mundo

Publicado

em

Gatos são inteligentes? Se você tem um, provavelmente vai acreditar que sim

Algumas pessoas os consideram criaturas completamente inexprimíveis, confundindo sua autossuficiência com a estupidez. Mas, ao contrário do que se pode pensar, gatos são tão inteligentes quanto cachorros, e existem raças de gatos cuja inteligência pode ser até superior a dos cães. Conheça algumas raças de gatos consideradas inteligentes pela psicologia animal e por seus próprios donos.

Gato Siamês

Crédito: Agronews

Os gatos siameses não são apenas espertos, mas também teimosos e, portanto , é quase impossível forçá-los a agir com violência – nesses casos, animais de estimação podem mostrar agressividade. Mas os gatos siameses rapidamente compreendem tudo o que é novo, adaptam-se facilmente às novas circunstâncias, podem compreender o que pode e o que não pode ser feito. Mas eles não gostam de outros animais da casa.

Vale ressaltar que os ancestrais dessa raça eram usados ​​como guardas domésticos – em outras palavras, os gatos siameses serviam como cães. Essa é sem dúvida uma das raças de gatos mais inteligentes.

Gato de Bengala

Ele se distingue por uma astúcia excepcional e vivacidade de espírito, é dinâmico e até possui uma intuição natural. Mostra capacidade de adaptação ao líder, ou seja, ao dono — ele estuda sutilmente as pessoas ao seu redor. Ele se acostuma fácil e rapidamente com a casa, e possui uma memória muito boa. Diferente da maioria dos gatos, ele pode e deve ser treinado.

Gato Abissínio

O gato abissínio é curioso desde a infância e isso não desaparece com a idade.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Esse é um dos representantes das raças de gatos que são inteligentes e treináveis, sempre cheios de energia e aprendem coisas novas com vontade. Em alguns aspectos, ele aparenta ter a ‘personalidade’ do gato siamês.

Gato Balinês

Tendo obtido a atenção e o apoio do dono, ele domina dezenas de truques, estuda todos os membros da família, estabelece contato com quaisquer outros animais, entrega-se a jogos e amizades até a velhice.

Ele têm um caráter animado e não gosta de ficar entediado.

Que gato inteligente…

Gato Siberiano

O gato siberiano vive bem em um apartamento ou casa. Quase nunca abandonam seus donos, e sempre volta se solto. Ele é um voraz caçador e, ao mesmo tempo, excepcionalmente afetuosos, capazes de estudar uma pessoa e encontrar um caminho para seu coração. Você pode ensiná-lo a viver em casa sem muita dificuldade e tão sociável que se esforça para agradar o dono.

Existem muitas raças de gatos, cujos representantes se distinguem por excelentes habilidades mentais. Mas é importante notar um fato: o gato de quintal, aquele com raça indefinida e mais comum nas cidades e lares, também é excepcionalmente inteligente.

Fonte: SoCientífica

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo
Publicidade

Tendências