Mundo Animal

Fogos de artifício são o medo número 1 dos nossos amigos

O grupo de pesquisadores descobriu que 72,5% dos cães sofriam de pelo menos um dos seguintes distúrbios:

O grupo de pesquisadores descobriu que 72,5% dos cães sofriam de pelo menos um dos seguintes distúrbios:

  • sensibilidade excessiva ao ruído;
  • medo geral: esconderijo de cães, medo de estranhos e situações desconhecidas;
  • medo de alturas e superfícies como telhas refletivas de vidro, por exemplo;
  • comportamento compulsivo de mastigar um objeto implacavelmente ou perseguir a própria cauda;
  • desatenção e impulsividade;
  • agressão à família ou a estranhos;
  • medo da separação: cão que faz xixi ou late em excesso na sua ausência.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

A sensibilidade ao ruído é a condição mais comum, afetando 32% dos cães de todas as raças. Em mente, o medo de fogos de artifício diz respeito a 17% dos cães; paradoxalmente, quanto mais velho o cão, mais frequente é esse sintoma. Isso significa que seu cachorro definitivamente não está se acostumando às festividades. 15% dos cães têm medo de estranhos, 14% têm comportamentos agressivos, 11% temem novas situações e 6% tendem a se morder.

A pesquisa também identificou que os distúrbios de ansiedade são frequentemente associados um ao outro. Um cão que sofre de medo da separação tem, portanto, 4,1 vezes mais chances de ser hiperativo ou impulsivo, e um cão agressivo tem 3,2 vezes mais chances de ser também um cão medroso.

AGRONEWS – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/voce-sabia-que-o-cerebro-do-gato-e-semelhante-ao-do-humano-seguimos-com-mais-curiosidades-sobre-esse-bichano/

Fonte: Socientifica

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados