NotíciasMato Grosso

Independência Indígena: Xavantes dão início à primeira colheita de arroz em MT

Nesta sexta-feira(23) teve o início da colheita, que mudou a paisagem do lugar, bem como a vida desta comunidade Xavante. Há 4 meses, os Índios Xavantes, da reserva Sangrador, deram início a preparação da terra para o plantio de arroz através do projeto Independência Indígena e os resultados foram promissores.

Independência Indígena

O evento de abertura da colheita contou com a presença de diversas autoridades políticas e de 57 caciques das Aldeias que serão beneficiadas com a ação. O projeto foi lançado em 2019 e prevê a disponibilização de ferramentas para que os índios produzam inicialmente alimentos para a sua subsistência e futuramente para comercialização. Segundo o secretario estadual de Agricultura Familiar, Silvano Amaral, o governo de Mato Grosso tem uma expectativa de poder dar uma independência financeira, social e econômica, além de qualidade de vida aos indígenas. “Dá para ver claramente que podemos juntar o respeito ao meio ambiente, o respeito à cultura, aos costumes dos nossos indígenas, para que eles também possam ter qualidade de vida e renda dentro da sua propriedade.“, comenta Silvano.

O superintendente de assuntos indígenas, Agnaldo Santos, explica que a estratégia é levar esse modelo para todo estado de Mato Grosso. “Outros governadores que passou pelo estado de Mato Grosso nunca deram atenção a comunidade indígena como o governador Mauro Mendes e a primeira dama Virgínia.

Parcerias

Além do governo, a Independência Indígena, conta também como parceiros, o Sindicato Rural de Primavera do Leste e a Fundação Nacional do Índio – Funai. Segundo informações, o povo Xavante é considerado o mais carente do estado e este projeto vai trazer possibilidade de uma fonte de renda através da comercialização da produção. Para o líder indígena, Bartolomeu Patira, este é só começo e a intenção é abrir mais áreas para a produção. “Hoje, com esta independência aqui, nós precisamos abrir mais, todo o nosso espaço, dentro dos direitos legais que podemos dar sustentabilidade ao nosso povo da terra indígena Sangrador.“, comemora Patira.

Marcelo Xavier, presidente da Funai, entende que está uma solução viável para os povos indígenas. “Eles vão ter alimentos ali dentro e no futuro muito próximo poderão também comercializar, aferir renda com isso, o que trará certamente diginidade para as aldeias.

Ao todo, mais de 3.000 Xavantes serão beneficiados com o projeto, a área a ser utilizada para o plantio é de 999 hectares, no local também haverá plantação de milho e feijão, cujo cultivo deverá ter início dos próximos meses. O deputado federal, Neri Geller, que acompanhou o evento de abertura da colheita, avalia que a opção de escolher a forma de viver tem que ser do índio e comemora os resultados desta ação. “Esse é o grande trabalho que o Marcelo tem feito enquanto presidente da FUNAI, se aliando com as entidades de classe que representam o setor agropecuário do Brasil, para trazer inclusive qualificação profissional para os povos indígenas, para fazer a produção de forma sustentável respeitando o meio ambiente, mas dando as condições deles se desenvolverem.

Por: Vicente Delgado, com informações da TV SECOM-MT.

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados