NotíciasGeralMato Grosso

Jornal Europeu destaca o potencial da soja no norte de MT

O jornal El País, da Espanha, na edição do último sábado (24) destacou o superpoder da soja no coração do Brasil, com ênfase na produção dos grãos nos municípios de Sinop e Sorriso, na região norte de Mato Grosso.

Para o presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da CNA – Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil, Ricardo Arioli,, nos últimos 20 anos, a soja tem sido o vetor do desenvolvimento do estado de Mato Grosso. Ele destaca que o agro tem possibilitado melhoria da qualidade de vida da população da região, com geração de emprego e renda, além da elevação do IDH – Índice de Desenvolvimento Humano. “O soja tem sido o vetor do desenvolvimento do estado de Mato Grosso, e as duas margens ao longo da BR 163, estão concentrados os municípios com maior produção de soja do país, começando por Diamantino, Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso e Sinop”.

soja no norte de MT,soja,sorriso,sinop,mato grosso,mt
Presidente da Comissão Nacional de Cereais, Fibras e Oleaginosas da Confederação Nacional de Agricultura e Pecuária do Brasil – CNA, Ricardo Arioli

Na reportagem, a jornalista do El País, Naiara Galarraga Gortázar, considerou que nesses locais “a soja reina”. Ela destaca que as plantações ocupam cerca de 38 milhões de hectares, e comparou o tamanho da Alemanha. Isso demonstra que Mato Grosso é um gigante pela própria natureza ao produzir 35.403.507 milhões de toneladas, sendo responsável por mais de 10% da produção mundial do grão. A previsão para este ano é que a produção chegue a quase 36 milhões de toneladas. Gortázar lembrou ainda, que com a pandemia, o setor econômico do agronegócio foi o único que conseguiu crescer no Brasil.

Leia também!

O produtor rural Ricardo Arioli ressalta também que devido ao “boom” do agronegócio hoje o estado passa por uma segunda onda de industrialização nessa região prospera de Mato Grosso. “Avicultura e suinicultura, em Lucas do Rio Verde e Sorriso, por exemplo, onde os farelos de soja e milho são usados na agregação de valor na produção de carne”, observa Arioli. Ele destaca ainda a chegada das indústrias de etanol de milho, sendo que algumas já em funcionamento.

Por: Márcio Moreira – AGRONEWS

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

Verifique também
Fechar