Multiverso Agro: O Brasil SEM produção de bebidas alcoólicas

Na sequência da nossa série Multiverso Agro, vamos abordar um tema do qual os entusiastas da campanha contra o agronegócio provavelmente não se atentaram, a produção de cachaça. E olha que todos nós sabemos que um grande líder de movimentos esquerdistas no Brasil é um adepto inveterado desta bebida destilada. Então vamos começar a nossa aventura alcoólica.

Multiverso Agro

Em um Brasil sem agro, não teríamos cachaça suficiente para abastecer o mercado interno e a demanda de exportações deste produto, pois nem todo o esforço dos produtores familiares seria suficiente para atender a quantidade necessária de cana-de-açúcar para produção de cachaça, açúcar e álcool combustível, na quantidade que necessitamos para manter os números atuais.

É bom saber que quando falamos de cachaça, devemos lembrar que a capacidade da produção brasileira é de 1,2 bilhão de litros por ano e é a segunda bebida alcoólica mais consumida no País e representa singelos 72% do mercado de destilados no Brasil, segundo o IBRAC (Instituto Brasileiro de Cachaça).

Multiverso Agro: O Brasil sem produção de bebidas alcoólicas
Produção de Cachada no Brasil

Apenas em 2019, a cachaça representou U$ 14,45 milhões em exportação e o setor faturou R$ 14 bilhões.

Somente em 2020, temos mais de 1.130 estabelecimentos, fabricando mais de 4000 produtos diferentes. A Cachaça foi exportada para 77 países, com mais de 50 empresas exportadoras, gerando mais de 600 mil empregos diretos e indiretos. E como diria o grande Faustão “O loco meu…”

Além do universo 51

Mas, na sua opinião, quando falamos de bebidas alcoólicas é apenas a nossa famosa Cachaça que ajuda a impulsionar o Agro? Certamente que você respondeu que NÃO. E de fato não é somente a bebida destilada. Vamos analisar os números de outra bebida que está no gosto popular dos brasileiros, a cerveja.

Para a fabricação da cerveja precisamos basicamente de 4 ingredientes básicos:

  1. Lúpulo: A planta interfere nas características sensoriais, como amargor e aroma;
  2. Malte: Trata-se do grão germinado, seco e torrado – pode ser de cevada, trigo, centeio, etc.
  3. Leveduras: Responsáveis pelo processo de fermentação;
  4. E obviamente, água.

Começando pelo Lúpulo, um levantamento da Associação Brasileira de Produtores de Lúpulo (Aprolúpulo), que contou com a colaboração de 109 produtores de todo o país, mostra que o Brasil tem cerca de 42 hectares cultivados, e a produção total aproximada gira em torno de 24 toneladas. Os estados que tem os maiores produtores do produto são, Santa Catarina (27%), Rio Grande do Sul (22%), São Paulo (18%), Paraná (7%), Minas Gerais (6%) e Rio de Janeiro (5%).
As variedades de lúpulo mais plantadas no País, em ordem, são: Cascade, Comet, Chinook, Columbus, Nugget, Saaz, Hallertau Mittelfrüeh, Hallertau, Magnum, Centennial e Zeus.

O Brasil é o 3º maior produtor de cerveja do mundo, atrás apenas de China e Estados Unidos, segundo pesquisa publicada em 2020 pela Barth-Haas Group. De acordo com a Associação Brasileira da Indústria da Cerveja (CervBrasil), a produção nacional é de aproximadamente 14 bilhões de litros por ano e representa 1,6% do Produto Interno Bruto (PIB), com faturamento de R$ 100 bilhões/ano e geração de 2,7 milhões de empregos.

Multiverso Agro: O Brasil sem produção de bebidas alcoólicas
Grãos de Cevada

Nosso próximo ingrediente da cerveja é a cevada, uma das matérias-primas do malte, principal fonte de açúcares fermentáveis, que confere corpo, cor, aromas e sabores para a bebida. Segundo a Embrapa, a produção de cevada em 2019 (429,4 mil toneladas) foi recorde no Brasil. Em 2021, a expectativa é de produção de 424,1 mil toneladas. A demanda por malte, atualmente na ordem de 1,6 milhão de tonelada. A produção brasileira de trigo é de 6,2 milhões de toneladas, em 2020 o Brasil faturou U$ 1.275.825.419,00 com o produto.

Além dos produtores da bebida, também são envolvidos neste processo os produtores de cana de açúcar, trigo, cevada, lúpulos e outros produtos do Agro, este segmento ainda impulsiona o mercado dos fabricantes de rótulos, garrafas, latas, tampas, rolhas e lacres, caixas, além dos serviços de transporte, armazenamento, logística, entre outros.

Outros setores e produtos

No setor vinícola brasileiro, apenas no Estado do Rio Grande do Sul, em 2021 deverá ser alcançada a marca de 800 toneladas de uvas produzidas e a produção de vinhos em 2021 deverá superar a do ano passado que foi de 430 milhões de litros.

Lembrando que o setor vinícola movimenta, além da produção de uvas e vinhos, também a produção de rolhas, lacres, rótulos, caixas e toda a cadeia comum de produção.

Em resumo, apenas nestes produtos, a ausência do Agro no Brasil já traria prejuízos imensos para a balança comercial, geração de empregos e para a própria cultura nacional.

E não podemos esquecer que além dos produtos citados acima, o Brasil produz outras bebidas alcoólicas, sucos de frutas, refrigerantes, entre outros.

Na sua opinião, e acreditando em um Multiverso Agro, quais as possibilidades e o que deixaríamos de ganhar se no Brasil não houvesse agronegócio? Comente logo abaixo.

Se você não viu a matéria anterior que narra um pouco desta iniciativa sobre um Multiverso Agro, eu recomendo que leia clicando aqui.

Por: Gilberto Vieira – Assessoria Animal e Vicente Delgado – AGRONEWS®

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.