Mercado FinanceiroNotícias

Os preços externos da carne de frango recuperam-se, mas estão longe dos valores máximos

Em 2021, o preço médio alcançado pelos quatro principais itens de carne de frango componentes do mix exportado pelo Brasil vem registrando forte recuperação em relação a 2020 ou mesmo a anos anteriores. Ainda assim, os preços mais recentes permanecem a uma significativa distância dos recordes já registrados, um deles insuperável há mais de uma década, ou seja, desde setembro de 2008

Os dados mensais da SECEX/ME vêm demonstrando, para este ano, sensível valorização dos quatros principais itens exportados. Assim, embora tenham registrado o menor índice de incremento anual, os cortes de frango, com aumento de 12,52%, apresentaram valorização considerada expressiva. O melhor, no entanto, ficou com o frango inteiro – valorização de 28,56% – e, sobretudo, com os industrializados e a carne de frango salgada – com aumentos de 36,01% e 32,86%, respectivamente.

Porém, todos eles se encontram a relativa distância dos recordes já registrados. Daí os quatro itens permanecerem com resultados negativos. O frango inteiro, por exemplo, alcançou seu melhor preço em abril de 2013, ocasião em que a tonelada do produto foi comercializada por mais de US$2 mil. Agora, registra valor 25% inferior.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

O curioso, no caso, é que naquela ocasião o preço alcançado pelo frango inteiro correspondeu a quase 94% do valor que a carne salgada havia alcançado dois anos antes.

Falando em carne salgada, ela e os cortes de frango registraram seus recordes em setembro de 2011. Os cortes, com US$3.486,57 por tonelada; a carne salgada comUS$2.266,63/tonelada. Hoje, alcançam valor cerca de 16% e 19% inferior.

Mas o caso mais significativo é o dos industrializados que, em setembro de 2008 – isto é, há mais de 13 anos – registraram preço médio de US$3.486,53 por tonelada, alcançando um resultado praticamente igual ao recorde dos cortes, que seria atingido exatos três anos depois.

É interessante notar, neste caso, que o valor superior a US$3.000,00/tonelada dos cortes foi registrado não apenas em setembro de 2008, mas por oito meses consecutivos daquele ano, entre março e outubro.

Por Avisite

AGRONEWS® – Informação para quem produz

Siga-nos no Google News: CLIQUE AQUI

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Artigos relacionados