Política: Tendência nacional de jogadas de toalha aporta também em MT

Por Halisson Lasmar – jornalista e publicitário

Pouco mais de 24 horas para definição de transferências partidárias, definições de chapas e acomodações, finalização de cálculos e apresentação dos candidatos à candidatos, o cenário nacional vai desenhando o roteiro que deve contaminar os Estados.

Cenário nacional

Moro que foi alçado a fazer parte da história recente como um dos expoentes do combate a corrupção, paladino mor da justiça e juiz combativo, que acreditava-se ser o Presidente dos sonhos até bem pouco tempo atrás, caiu em desgraça, teve credibilidade abalada, decisões anuladas e popularidade enterrada… Sai meio que honradamente pela porta lateral, desiste forçadamente a sair do embate e vai tentar um cargo mais condizente com o eleitorado que as pesquisas lhe permitem.

Menos um.

Doria, o mais fashion e retórico dos candidatos também pula fora, dá ré da disputa como esperado, atira no partido elegendo um companheiro como algoz do seu fracasso, falta de carisma, compromissos e projetos. Não convenceu, criou inimigos de todos os lados, passou a ser ridicularizado e tenta sem muitas chances de emplacar, vender a imagem de que pode ser cooptado por algum dos candidatos, como se seus menos e meros 1% apontados pelo eleitorado, fossem sonho de consumo de apoio… De Bolsodoria para Bolsolula é só uma questão de quem vai querer agora.

Menos dois.

Cenário regional

Por MT as expectativas são mais ou menos parecidas. Emanuel que passou enchendo o peito se preparando para seu samba imaginário, deve anunciar amanhã que seu amor por Cuiabá e pela Prefeitura é maior que a coragem. Vai continuar agarrado no Alencastro enquanto pode, a lei permite e as pesquisas e as férias de 15 dias de construção de projeto anunciado com estardalhaço minguar geral… Assistiu no turismo político que fez pelo interior que não é bom negócio peitar a máquina que tanto critica. Desistiu sem nunca ter realmente tentado.

Menos três.

Favaro, Leitão, Nery e mais algumas estrelas que anunciaram a possibilidade de rebeliões e revoltas, ao que vem sendo escrito, vão todos se acomodar no lotado palanque de Mendes e sua indiscutível frente rumo a reeleição.

O mais legal dos acontecimentos não se concentra nas majoritárias, são sim as acomodações e chapas do jet set político de MT, que não esperava tamanha disputa antes da disputa.

Batidas de porta na cara para quem ficou por meses anunciando que “definiremos isso lá na frente e no momento adequado” não estão encontrando espaço, riscos de estrelas ficarem de fora foram o acontecimento da semana estampados na ativa e sedenta imprensa local e mais, nomes dados como certos e eleitos estão em rota de colisão com o insucesso nas urnas e nos números de votos que vai se precisar para ganhar as sonhadas cadeiras nos parlamentos… Pânico no ar.

Menos um monte.

Imaginar o desenrolar dos acontecimentos, fazer prognósticos e apostas, procurar ligar pontas de entrelinhas, adivinhar vogais e charadas e esperar os anúncios oficiais, são o motivo das pizzas em redações nessa antevéspera decisiva, fria e nervosa do prazo da Justiça Eleitoral.

O final do pula pula de partidos e anúncios de quem vai ser candidato ao Governo, Senado e todos os cobiçados cargos e mandatos que estão por vir, com poucas novidades esperadas, vai ao ar hoje. Observemos.

Grandes emoções.

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.