Produtores do Pantanal acreditam que PL 03/2022 é “péssimo” e tornará inviável atividade

O presidente do Sindicato Rural de Poconé, Raul Santos, esteve presente na Sessão Extraordinária da Comissão de Meio Ambiente da Assembleia de MT, que aconteceu nesta terça-feira(1º) e comentou ao AGRONEWS® da insatisfação dos produtores e empresários da região, com a possibilidade da exigência de compensação ambiental das atividades que já estão estabelecidas há mais de 300 anos.

A pecuária extensiva, por exemplo, que já acontece há mais de 300 anos dentro do Pantanal e atividades novas como o turismo e outras afins, terão que fazer algum tipo de compensação. Então essa Lei torna-se inviável para o produtor que está ali. O objetivo real nós ainda não conseguimos saber o que é, mas pra nós isso é péssimo.“, afirma Raul.

O Deputado Carlos Avalone, esclareceu a inviabilidade do plantio de soja no Pantanal e enfatizou a importância da avaliação criteriosa do Projeto de Lei com a participação de representantes do setor produtivo.

Fica claro pra mim que todas as vezes que a gente (Parlamento) não houve direito o homem pantaneiro, a gente tem uma chance maior de errar. Aqui claramente foi isso que aconteceu, houve pouca conversa com o homem pantaneiro. A proposta foi feita na primeira Sessão deste ano, uma Sessão Extraordinária e precisava de mais discussões. Agora a comissão pede o sobrestamento da votação, nós vamos consultar isso com a própria mesa diretora e vamos aguardar a apresentação de um projeto que nós contratamos da Embrapa, junto com a Sema, para que possamos ter mais informações sobre o Pantanal e a partir daí possamos voltar a discutir o PL 03/2022.“, explica Avalone.

Outros representantes do parlamento e convidados técnicos se pronunciaram também. Clique aqui e veja a cobertura completa da Sessão Extraordinária da Comissão de Meio Ambiente que aconteceu nesta terça-feira(1º) na ALMT.

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.