Suinicultores alemães sofrem após fechamento do frigorífico

A suinocultura alemã está sendo interrompida pelo fechamento de um dos maiores matadouros do país após um surto de coronavírus.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Cerca de 600.000 pessoas em Guetersloh, no estado alemão do norte da Renânia do Norte-Vestfália, foram forçadas a voltar ao isolamento social em 23 de junho, depois que mais de 1.500 trabalhadores no frigorífico de Toennies e na fábrica de processamento de carne apresentaram resultados positivos para o COVID-19.

A fábrica de Toennies em Rheda-Wiedenbrueck, na Renânia do Norte-Vestfália, normalmente abate e processa entre 12% a 14% dos suínos da Alemanha e é uma parte importante da indústria suína do país, disse a Associação de criadores de suínos alemães. Uma data para a reabertura da planta ainda não foi anunciada.

“Cada semana do fechamento da fábrica está forçando cerca de 100.000 porcos a permanecer nas fazendas, mesmo estando prontos para serem abatidos”, disse a associação. “Os criadores de suínos são vítimas do fechamento da fábrica.”

O surto na fábrica de processamento de carne provocou um debate sobre os padrões da indústria alimentícia da Alemanha e sua dependência de mão-de-obra migrante, principalmente da Romênia.

Fonte: Acrismat

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/cuidados-essenciais-com-os-equinos-durante-o-inverno/

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *