fbpx
conecte-se conosco

Curiosidades

Vamos conhecer 08 curiosidades sobre a soja

Publicado

em

grãos

Quem vê uma semente de soja, de meio centímetro de diâmetro, não imagina o tanto de história que ela carrega nem o tamanho de seu potencial produtivo e econômico

Descoberta há cerca de 5 mil anos, essa oleaginosa saiu do Oriente para a Europa e só chegou ao Brasil no fim do século XIX. Hoje, é a planta mais cultivada no País segundo dados da Companhia Nacional de Abastecimento (CONAB).

Abaixo, confira 08 curiosidades que você nem imaginava sobre a soja:

1 – Tem origem chinesa

A existência do grão foi mencionada pela primeira vez em livros chineses, cerca de 3 mil anos A.C. As espécies primitivas da herbácea Glycine max eram rasteiras e viviam ao longo do Rio Azul (Yangtzé), o maior da Ásia. Eram consideradas sagradas, assim como o arroz, o trigo, a cevada e o milheto. Dois mil anos depois, duas variedades selvagens de soja foram domesticadas e melhoradas por cientistas, a partir de cruzamentos, e essa oleaginosa passou a servir como moeda de troca, alternativa ao abate de animais e fonte de proteína vegetal, leite, queijo, pão e óleo. Da China, as linhagens mais adequadas ao consumo humano se espalharam pela Coreia, pelo Japão e Sudeste Asiático.

2 – Foi alvo das grandes navegações e adornava jardins

A soja chegou ao Ocidente, pela primeira vez, no fim do século XV, por meio de navegadores europeus que faziam comércio com o Oriente. Por mais de 200 anos, porém, o grão permaneceu apenas como uma curiosidade botânica e ornamental, presente em jardins ingleses, franceses e alemães. Foi só no século XVIII que começou a produção de ração animal e óleo, e a partir de 1950 o óleo e a proteína de soja passaram a despertar interesse industrial. Várias tentativas de cultivo em países muito frios, como Rússia, Inglaterra e Alemanha, porém, fracassaram. A oleaginosa desembarcou nos Estados Unidos no fim do século XIX e era destinada à alimentação animal.

Leia também:  Brasil desenvolve sua 1ª soja com tecnologias para manejo de percevejo e ferrugem

Siga-nos no facebook e instagram

3 – Chegou ao Brasil via EUA e Japão

As primeiras variedades de soja de que se tem notícia no Brasil vieram dos Estados Unidos com destino à Bahia, em 1882. A adaptação não foi boa, e uma nova tentativa ocorreu em Campinas (SP), uma década depois. Mas os grãos que melhor se desenvolveram no País foram trazidos por imigrantes japoneses, a partir de 1908. O primeiro cultivo oficial em solo brasileiro aconteceu, de fato, em 1914, na região de Santa Rosa (RS), e os plantios comerciais começaram dez anos depois. Em 1940, a soja chegou ao Paraguai e, na década seguinte, à Argentina e ao México.

4 – MT, PR e RS são os maiores produtores do País

O top 3 do ranking nacional em produção de soja é formado por Mato Grosso, Paraná e Rio Grande do Sul. O primeiro é líder isolado, com uma produção de 30,5 milhões de toneladas em uma área de 9,3 milhões de hectares, de acordo com dados da CONAB. Já o vice-campeão produziu 19,5 milhões de toneladas em uma área de 5,2 milhões de hectares, enquanto o terceiro lugar alcançou 18,7 milhões de toneladas em 5,5 milhões de hectares.

curiosidade soja
Imagem Internet

Paraná também se destaca na produtividade, com uma média de 62 sacas por hectare – índice que é, inclusive, 6,3% superior ao dos Estados Unidos. Outros Estados brasileiros expressivos na produção de soja são Goiás, Mato Grosso do Sul, Bahia e Minas Gerais. Além disso, segundo a CONAB, há um avanço acelerado no Pará e na região do Matopiba (que abrange Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia), com um potencial de expansão de 10 milhões de hectares.

Leia também:  Soja: indicador Paraná atinge recorde nominal

5 – É uma commodity

Todo produto que funciona como matéria-prima, é produzido em larga escala, pode ser estocado sem perder a qualidade e tem negociação em bolsa de valores (como a BM&FBOVESPA) é considerado uma commodity, ou seja, uma mercadoria. A soja se encaixa nesse perfil – assim como milho, algodão, café, açúcar, ouro, boi gordo, petróleo e suco de laranja (concentrado e congelado).

O preço da soja no mercado mundial, portanto, é consequência da oferta e da demanda, não sendo determinado pela empresa que a produz. Na época da entressafra, por exemplo, há aumento de preços, o que afeta o valor final do produto.

6 – Está presente em muitos alimentos industrializados

Da soja, vêm subprodutos como o óleo utilizado na formulação de margarinas, maioneses e molhos (de tomate e para salada). “O shoyu com que se tempera o sushi, aliás, nada mais é do que um fermentado de soja”, afirma o biólogo e doutor em genética de microrganismos Airton Vialta, do Instituto de Tecnologia de Alimentos (ITAL), em Campinas (SP). Essa oleaginosa também está presente em derivados como leite, farelo (para ração animal), farinha (ingrediente de pães, biscoitos, macarrão e produtos infantis), lecitina (ajuda a misturar óleo e água em chocolates e no leite em pó) e isolados proteicos, usados em sopas, bebidas e subprodutos de carne.

No Brasil, porém, o consumo direto de soja na alimentação (como fonte de proteína) ainda é restrito: apenas 3,5% da produção, em média, simplesmente por não fazer parte dos hábitos da população, ao contrário do que ocorre em países orientais. Vale destacar, porém, que a adição de 20% de farinha de soja a pães, bolachas e massas chega a dobrar o conteúdo proteico desses alimentos.

Leia também:  Classificação e preço do grão serão prioridades do novo presidente da Aprosoja Brasil

7 – Traz benefícios à saúde

A soja é fonte de vitaminas do complexo B, como tiamina (B1), riboflavina (B2) e niacina (B3); de vitaminas C, E e K, fibras, ferro, ácido fólico, ômega 3, cobre, fósforo, potássio, zinco, magnésio e triptofano (aminoácido que, assim como a niacina e o magnésio, atua como precursor da serotonina, neurotransmissor responsável pela sensação de prazer e bem-estar). Também tem alto teor de gorduras boas (mono e poli-insaturadas), baixo teor de gordura ruim (saturada) e é livre de colesterol.

Além disso, contém isoflavona, um composto orgânico que atua na prevenção de cânceres de mama, colo do útero e próstata. Por ter uma estrutura química semelhante ao hormônio feminino estrógeno, a isoflavona é capaz, ainda, de aliviar os efeitos da tensão pré-menstrual (TPM) e da menopausa, e atua na prevenção de doenças cardiovasculares, diabetes e osteoporose.

8 – Tem vários “primos” e uma flor delicada

A soja pertence ao grupo das leguminosas, do qual também fazem parte o feijão, a ervilha, a lentilha e o grão-de-bico, todos excelentes fontes de proteína vegetal, carboidratos, fibras, vitaminas e minerais. A vagem da soja verde lembra, inclusive, a da ervilha torta. Suas sementes são lisas, ovais (ou em forma de elipse) e de cor amarelada, preta ou verde.

O cultivo leva entre dois e quatro meses, e a planta pode chegar a 1,5 metro de altura. As flores da soja são bem pequenas (até 8 mm de diâmetro), ficam localizadas na base dos ramos e têm coloração branca, púrpura ou roxa.

Por Luna D’Alama – Boas práticas agronômicas

AGRONEWS BRASIL – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Curiosidades

Você sabia que as vacas passam por mudança de personalidade na adolescência?

Publicado

em

leptospirose

Humanos passam por crises de personalidade na adolescência, por conta dos picos hormonais: alguns de nós ficam mais corajosos, outros, acabam mais retraídos, do que eram quando sonhavam em ir para a Disney.

Bovinos passam por isso também, de acordo com um novo estudo, feito com vacas leiteiras

A pesquisa, da Universidade de Colúmbia Britânica, no Canadá, concluiu que elas podem se tornar mais tímidas ou mais ousadas à medida em que passam da infância para a idade adulta.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

O que os pesquisadores fizeram foi testar por um bom tempo as personalidades de várias vacas nesse período de suas vidas. Eles tiravam os animais de seus rebanhos e iam observando como eles se comportavam diante de pessoas desconhecidas e objetos que nunca tinha visto.

A ideia era justamente mapear dois traços de personalidade: a ansiedade por explorar coisas novas e a timidez. E não deu outra: algumas vacas que eram retraídas na infância ficaram mais saidinhas. Outras, que eram mais caras de pau nos tempos de bezerra, ficaram mais retraídas. Gente como a gente.

vaca

Na infância e na vida adulta, por outro lado, esses traços de personalidade são mais estáveis. De novo, igual acontece com humanos.

Leia também:  Ao vivo: Câmara dos Deputados discute aumento de ICMS nos fertilizantes

Espera-se que os resultados ajudem no desenvolvimento de melhores práticas na pecuária.

“Nosso objetivo geral é melhorar a vida dos animais nas fazendas”, disse ao The Guardian a pesquisadora de bem-estar animal Heather Neave, uma das responsáveis pelo estudo.

A motivação não é exclusivamente a empatia com os animais. A saúde dos bichos impacta diretamente na qualidade dos produtos agropecuários. Vacas estressadas, afinal, comem menos, demoram mais para crescer e, no fim, se tornam más produtoras de leite.

“Idealmente, no futuro, as práticas de manejo serão adaptadas ao indivíduo, não ao rebanho, de forma que todos os bezerros e vacas tenham a oportunidade de prosperar na fazenda, e atingir todo o seu potencial produtivo.”

Fonte: Super Interessante

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Curiosidades

Robô movido a energia solar é capaz de semear e capinar 24h sem carga

Publicado

em

curiosidade soja

O modelo de robô movido à energia solar consegue realizar um desempenho de 24 horas sem carga. Recomendado para plantações até 20 hectares em cultivos orgânicos.

A automatização da mão de obra

Hoje, um dos grandes desafios da tecnologia é a substituição da mão de obra direta no agronegócio por maquinário. Tirar os trabalhos mais pesados das mãos humanas e transferir para as máquinas é uma garantia de aumento da produtividade.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Além disso, é possível abrir novos nichos de trabalho para a mão de obra humana, uma vez que estas máquinas precisam de manutenção e reparos. Sendo assim, a empresa Farm droid aps, uma Agtech, criou um modelo de robô movido à energia solar que pode ajudar nesse processo.

As Agtechs são grupos de empresas que tem o objetivo de trazer a tecnologia para o agronegócio. Ou seja, a missão é exatamente facilitar o trabalho de quem produz e cultiva bem como de todos os envolvidos nessa cadeia.

Leia também:  Arroz: negociações seguem pontuais neste mês

Um robô movido à energia solar

Nesse contexto, a criação do modelo tem por base a autossuficiência. O modelo tem alta precisão nas atividades, funcionando com quatro painéis fotovoltaicos e baterias externas. Assim, o projeto garante 24 de funcionamento sem necessidade de recarga.

Acima de tudo modelo também valoriza a precisão, contando com semeadura milimétrica dividida em seis linhas. Ainda, a velocidade de trabalho fica entre 450 a 950m por hora. Nesse contexto, a capinação ainda ajuda na diminuição do uso de químicos e pesticidas.

Conforme o vídeo abaixo, você pode ver o desempenho do robô e a dinâmica de funcionamento:

Hoje, existem mais de 50 robôs funcionando em 6 países da Europa. O valor para compra está avaliado em R$427 mil reais. Porém os desenvolvedores acreditam que o retorno do investimento pode acontecer no máximo após dois anos de uso do modelo.

Fonte: Engenharia Hoje

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Curiosidades

Pitomba 2.0: saiba tudo sobre esta excelente fonte de saúde

Publicado

em

pitomba

Características: Fruta exótica e ainda desconhecida para muitos, a Pitomba possui propriedades incríveis para a saúde do corpo.

Conheça todos os benefícios da Pitomba para a saúde. A árvore pode ser encontrada em quase todo o território brasileiro, principalmente na Caatinga, Amazônia, Mata Atlântica e Cerrado. Pode ser encontrada também na Bolívia e no Paraguai.

A pitomba é o fruto da pitombeira, árvore que pode atingir mais de 10 metros de altura. A frutificação acontece a partir de 5 a 10 anos de idade. Sua planta adulta pode chegar a produzir, em boas condições, aproximadamente 100 cachos, com 10 a 25 unidades cada.

As pitombeiras dão frutos de janeiro a abril, mas na região da Paraíba, elas estão bem carregadas ainda no mês de maio. Portanto, a pitomba é uma fruta encontrada em regiões amazônicas.

pitomba

A Pitomba possui uma grande quantidade de nutrientes essenciais para saúde geral do corpo. A fruta pertence à família Myrtaceae e é encontrada da região Amazônica até a Mata Atlântica. O fruto da pitombeira tem seu nome originado do tupi e siginifica “sopapo”.

É conhecida também como olho-de-boi, Pitomba-da-mata, Pitomba-de-macaco e caruiri, sendo muito cultivada no Nordeste. A árvore da Pitomba podem chega até 10 metros de altura e pode ser utilizada na recuperação de áreas degradadas, pois serve de alimentação para inúmeras espécies de aves. Pode ser empregada também na arborização de parques e praças.

A polpa dessa fruta fica protegida por uma casca dura e quebradiça de cor marrom. Sua polpa é esbranquiçada, suculenta, com um sabor doce e levemente ácido, porém agradável.

Essa fruta pode ser ingerida ao natural ou como licor, não sendo muito utilizada na culinária.

PROPRIEDADES DA PITOMBA

A pitomba é uma fruta que possui grande quantidade de sais minerais, entre eles o ferro e o cálcio.

É rica também em vitaminas, principalmente a A e a C, além de proteínas: quando juntas, estas substâncias atuam na prevenção e tratamento de várias doenças.

Leia também:  Agropecuária brasileira é reconhecida por sua sustentabilidade na Convenção-Quadro das Nações Unidas

A pitomba é de acesso fácil, porque pode ser encontrada em feiras livres e supermercados.

TABELA NUTRICIONAL DA PITOMBA

A cada 100g da fruta, você encontra:

  • Proteínas: 0,4g
  • Cálcio: 15mg
  • Fósforo: 9mg
  • Ferro: 0,8mg
  • Vitamina A: 30mg
  • Vitamina B1: 0,04mg
  • Vitamina B2: 0,04mg
  • Vitamina C: 33mg

Veja também:

pitomba
Pitomba 2.0: saiba tudo sobre esta excelente fonte de saúde

BENEFÍCIOS DA PITOMBA

Com relação à saúde de nosso organismo, a pitomba pode atuar em várias áreas. Dentre elas, as principais são:

  • Fortalece o sistema imunológico;
  • Protege o sistema vascular;
  • Atua no desenvolvimento dos ossos;
  • Colabora na formação de hemoglobinas.

Veja agora mais benefícios da pitomba em nosso organismo:

1 – Fortalece o sistema imunológico

  • Devido à sua grande quantidade de vitamina C, a pitomba pode ser consumida para ajudar o organismo a evitar doenças, tais como gripe e resfriado;
  • A fruta também beneficia o sistema vascular. Por exemplo, ela evita problemas de saúde como a anemia;
  • Ainda com relação ao sistema vascular, a pitomba colabora na formação da hemoglobina;
  • Essa fruta tem também ação antioxidante, combatendo os radicais livres que causam a degeneração das células;
  • Dessa forma, o envelhecimento precoce da pele é evitado e as rugas diminuem.

2 – Combate os problemas intestinais

  • A pitomba contém fibras em sua composição, por isso, além de ajudar a digestão dos alimentos, ela pode tratar diarreias graves.

3 – Proteção óssea

  • Como é rica em cálcio, a fruta atua no fortalecimento e desenvolvimento ósseo;
  • Além disso, doenças como a osteoporose são evitadas.

4 – Propriedade antioxidante

  • A pitomba favorece a função glandular. Por exemplo, ela pode ajudar na cicatrização de feridas;
  • Ela também tem uma ação adstringente, que ajuda na desinfecção dos ferimentos, o que leva à não infecção.
Leia também:  Doenças causadas pela cigarrinha na lavoura de milho serão cobertas pelo Proagro
curiosidade soja
Pitomba 2.0: saiba tudo sobre esta excelente fonte de saúde

COMO CONSUMIR A PITOMBA

Uma das formas mais comuns de consumo é ao natural. Para isso, remova a casca que envolve a polpa. Outra maneira muito comum de consumir a pitomba é através do preparo do suco.

Veja algumas receitas para colocar a fruta em sua alimentação.

RECEITAS COM PITOMBA

pitomba
Pitomba 2.0: saiba tudo sobre esta excelente fonte de saúde

SUCO DE PITOMBA

Ingredientes:

  • 100ml de água filtrada;
  • 8 pitombas;
  • Açúcar ou adoçante a gosto;
  • Gelo a gosto.

Modo de preparo:

  • Higienize as frutas e descasque-as;
  • Com o liquidificador, acrescente as pitombas e o açúcar ou adoçante a gosto;
  • Bata bem, feito isso, antes de ingerir a recomendação é passar o suco pela peneira.
  • Somente isso. Fácil, não é mesmo?

Outra receita muito simples de fazer usando a pitomba é preparando seu molho, vamos ver a receita:

MOLHO DE PITOMBA

Ingredientes:

  • Uma xícara de chá de água;
  • 20 unidades de pitomba;
  • 1 colher de sopa de maionese;
  • 1 unidade de cravo;
  • 1 colher de chá de coentro;
  • 1 colher de sopa de açúcar;
  • 1 pitada de sal

Modo de preparo:

  • Descasque a pitomba e coloque-a para cozinhar com a quantidade de água recomendada na receita.
  • Junto, acrescente o açúcar e o cravo;
  • Deixe no fogo por uns 10 minutos;
  • Passado o tempo, desligue o fogo e deixe esfriar por uma hora;
  • Com a ajuda de uma peneira, passe toda a mistura, esfregando o caroço, para retirar o máximo de polpa possível;
  • Acrescente a maionese, o sal e o coentro picadinho.

A dica é servi-lo gelado.

CAIPIROSKA DE PITOMBA

Ingredientes:

  • 1 lata de leite condensado;
  • 6 a 8 pitombas descascadas;
  • Açúcar a gosto;
  • Gelo;
  • Vodka.

Modo de preparo:

  • Coloque as pitombas e o açúcar em uma coqueteleira;
  • Bata até obter um creme homogêneo;
  • Acrescente a vodka e por último o gelo.

OUTRAS UTILIDADES RELACIONADAS À PITOMBA E À PITOMBEIRA

Recuperação de áreas degradadas

A pitombeira pode ser usada na recuperação de áreas degradadas, graças ao fato de servir de alimentação, para diversas espécies de aves.

Leia também:  Jornal Europeu destaca o potencial da soja no norte de MT

Combate ao apodrecimento do couro

Devido à presença de tanino em sua composição, as folhas da pitomba são usadas para impedir que o couro apodreça ao ser curtido.

Combate a fungos e carunchos em plantações

Uma proteína presente na pitomba promete ser eficiente para combater fungos e carunchos em plantações de cana-de-açúcar e café, além de grãos de feijão e de soja que ficam estocadas.

Arborização

A árvore da pitomba pode ser utilizada na arborização de parques e praças.

DICAS DE COMO CULTIVAR A PITOMBA

  • Seu cultivo é fácil e resistente a baixas temperaturas (até – 3ºC) e a secas de até 3 meses ou mais, sem chuva após 2 anos de idade;
  • Começa a frutificar de 2 a 3 anos e pode ser cultivada com sucesso em vasos grandes de 40 cm por 50 cm de altura;
  • As sementes são arredondadas de cor esbranquiçada (perdem o poder germinativo em 20 a 30 dias);
  • Precisam ser plantadas assim que colhidas em substrato organo-arenoso;
  • A germinação ocorre em 30 a 50 dias, e as mudas atingem 50 cm com 8 meses de viveiro;
  • As mudas desenvolvem-se tanto em pleno sol, como na sombra;
  • O espaçamento de plantação das árvores é de 5 x 5m;
  • Faça covas quadradas com 50 cm nas 3 dimensões e coloque adubo;
  • A melhor época de plantio é de outubro a novembro;
  • Irrigar a cada 15 dias nos primeiros 3 meses, posteriormente apenas caso falte água no período da florada.

Agora acompanhe um vídeo produzido pelo Canal Djr Horta Frutas e Flores, que mostra mais detalhes desta fruta exótica.

Fantástico não é mesmo? Se você não conhecia esta fruta maravilhosa, agora você já pode consumir e começar o cultivo da sua plantação de Pitombas.

E não se esqueça de compartilhar esta matéria para que outras pessoas também conheçam os benefícios da Pitomba.

Por Vicente Delgado – AGRONEWS BRASIL, com informações do Souagro e No Amazonas é Assim.

Continue lendo


Tendências