Mercado FinanceiroNotícias

VBP de 2020 bate recorde e soma mais de R$ 72,5 bilhões no estado de Goiás

VBP de 2020 teve maiores crescimentos foram registrados na produção de arroz, soja, milho, bovinos e suínos

“Para o ano de 2021, o Governo de Goiás vai trabalhar para que o Estado avance e gere ainda mais renda aos produtores e à economia goiana”, destaca Antônio Carlos, titular da Seapa.

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP), em Goiás, somou mais de R$ 72,5 bilhões, em 2020. O valor apresenta crescimento de 18,7% em relação ao ano anterior e se torna recorde entre os registros da série histórica, feita desde 1989. Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 14 de janeiro, pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa). A cifra coloca Goiás entre os seis maiores estados, em relação ao VBP, com uma participação de 8,3% do total nacional, que foi de R$ 871,3 bilhões.

Siga-nos no Facebook – Instagram – Youtube

As lavouras goianas tiveram faturamento de mais de R$ 48,8 bilhões, o que representa aumento de 23,8% em relação a 2019. Já em relação à pecuária, o acréscimo foi de 9,3% em relação ao ano anterior, totalizando VBP de mais de R$ 23,7 bilhões.

Na agricultura, os maiores crescimentos registrados, em relação a 2019, foram nos valores da produção de arroz, soja e milho. O arroz cresceu 57,3% e alcançou VBP de R$ 164,2 milhões (8º lugar no ranking nacional). Já a soja, que teve o segundo maior crescimento (54,8%), foi a produção de maior valor, com o consolidado de R$ 24,6 bilhões; e o milho, que também teve crescimento expressivo, chegou ao faturamento de R$ 10,4 bilhões (aumento de 39,5%). Os VBPs da soja e do milho goianos posicionam o Estado em terceiro lugar nacional, em ambas as culturas.

O tomate foi destaque pela representatividade em relação ao ranking nacional. O fruto mantém o Estado como o maior VBP da produção nacional, em primeiro lugar no ranking, com faturamento de R$ 2,7 bilhões.

Em relação à pecuária, houve crescimento no faturamento da produção de bovinos e suínos. O VBP dos bovinos foi de R$ 11,7 bilhões (aumento de 17,8% em relação a 2019) e o dos suínos de R$ 1,1 bilhão (acréscimo de 18,7%). O faturamento do leite também é destaque, com crescimento de 11,4% e total de R$ 4,9 bilhões.

Para o secretário de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Antônio Carlos de Souza Lima Neto, apesar de 2020 ter sido um ano de desafios e dificuldades, o agro conseguiu movimentar a economia no Estado e contribuir sobremaneira para a consolidação do faturamento nacional. “Se por um lado nossos produtores conseguiram manter abastecidos os mercados internos, também foi possível gerarem renda e movimentar a economia nacional, graças às vendas no mercado interno e às exportações que foram favoráveis ao setor durante o ano. O Governo de Goiás tem trabalhado para ouvir as demandas do setor, em todas as suas vertentes, sanar gargalos e investir em políticas públicas que beneficiam toda a cadeia. Tudo isso, aliado aos esforços do setor, contribui para esse recorde alcançado”, avalia. “Para 2021, queremos avançar ainda mais e levar Goiás a patamares mais altos. Para isso, sob a liderança do governador Ronaldo Caiado, a Seapa e suas jurisdicionadas, Emater, Agrodefesa e Ceasa, vão trabalhar com ainda mais afinco, de maneira a beneficiar a produção e estimular nossos produtores.”

VBP

O VBP mostra a evolução do desempenho das lavouras e da pecuária ao longo do ano e corresponde ao faturamento bruto dentro do estabelecimento. Calculado com base na produção da safra agrícola e da pecuária, e nos preços recebidos pelos produtores nas principais praças do país, dos 26 maiores produtos agropecuários do Brasil. O valor real da produção, descontada a inflação, é obtido pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI) da Fundação Getúlio Vargas. A periodicidade é mensal com atualização e divulgação até o dia 15 de cada mês.

Por Comunicação Setorial da Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa) – Governo de Goiás, com informações do Mapa

AGRONEWS – Informação para quem produz

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados