fbpx
conecte-se conosco

Mundo Animal

Venha conhecer o famoso “Cão Boiadeiro”; Buldogue Campeiro

Publicado

em

buldogue

Raça rústica, voltada para o trabalho pesado no campo, o Buldogue Campeiro ainda é um excelente cão de guarda e é muito fiel aos donos.

História da raça

Há duas teorias quanto às origens da raça criada aqui no Brasil.

A primeira teoria defende que o Buldogue Campeiro teria se originado do cruzamento entre Antigos Buldogues Ingleses (Old English Bulldog) – já extintos – e cães locais, enquanto que a segunda teoria defende que, na verdade, esta raça seria um remanescente puro do Cão de Fila da Terceira do tipo “Bull”, trazido pelos portugueses.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Acredita-se que a primeira teoria seja a mais provável e que o atual Buldogue Campeiro ainda carrega as mesmas características do Antigo Buldogue Inglês, que possuía um perfil e atributos mais apropriados para o trabalho e que foram sendo perdidos com o tempo nos Buldogues Ingleses, porque criadores privilegiavam mais a estética do que tais traços funcionais, como força, resistência e agilidade.

O cachorro Bulldog Campeiro foi muito utilizado nos campos gaúchos, para controlar e capturar gado (contenção de gado) e também no Estado do Mato Grosso do Sul, onde desempenhava o papel de cão boiadeiro e trabalhava em matadouros.

Conheça a raça Dogue Alemão, famoso “cachorro gigante”

Devido à regulamentação e imposição de leis e medidas sanitárias para matadouros, e também à popularização de outras raças de cachorro, o Buldogue Campeiro quase entrou em extinção durante os anos 70.

Foi graças a um cinófilo, Ralf Schein Bender, que a raça foi resgatada e aprimorada. A partir de 2001 ela foi reconhecida oficialmente pela CBKC (Confederação Brasileira de Cinofilia), mas ainda não é reconhecida pela FCI (Federação Cinológica Internacional).

Hoje, em canil especializado é possível encontrar o buldogue campeiro a venda por um preço na faixa de R$ 1.500,00.

Características físicas

Cão de porte médio e constituição robusta, o Buldogue Campeiro possui membros vigorosos e ossos sólidos. Sua altura (na cernelha) pode variar entre 48 e 58 cm. E o peso ideal dos machos varia entre 35 a 45 kg e das fêmeas, entre 30 e 40 kg.

A cabeça é larga e um pouco arredondada, com maxilares fortes e orelhas triangulares e caídas. Os olhos são ovalados e têm cores escuras.

Os lábios são grossos e pendentes. O focinho é curto e deve ser bem pigmentado. É ideal que a região dos olhos também seja bastante pigmentada. O pescoço é forte, nem muito comprido, nem muito curto.

O peito é largo e o dorso é reto, um pouco curto. A cauda é curta e torta. As pernas são musculosas e bastante resistentes. Uma curiosidade é que o Buldogue Campeiro é capaz de arrastar um boi de até 400 quilos.

A pelagem é curta e lisa, com textura média – nem muito áspera e nem muito macia – podendo apresentar diversas cores.

Personalidade

buldogue
Filhote de Buldogue Campeiro

O Buldogue Campeiro é um cão rústico e versátil, dotado de espírito de luta. Muito fiéis e sociáveis, adoram a companhia de seus donos e costumam se dar muito bem com crianças. No entanto, podem sentir ciúmes e desconfiança diante de estranhos e outros cachorros. Ele é um cão que exige exclusividade.

Também é um ótimo cão de guarda, pois é corajoso e tem uma aparência intimidadora, além de latir somente quando é necessário, sem fazer tanto alarde quanto outras raças que latem por qualquer coisa.

Saúde da raça e cuidados

O Buldogue Campeiro pode viver até 12 anos de vida aproximadamente. E para mantê-lo bem e saudável por tantos anos, é importante tomar alguns cuidados básicos.

Por ser um cão rústico, ele não apresenta muitos problemas de saúde e é de fácil manutenção.

Porém, alguns indivíduos podem apresentar rugas em excesso na pele, que se não forem bem cuidadas acabam apresentando barbelas (dobras de pele sob o pescoço) e dermatites sérias. Por isso, é importante que haja sempre a verificação e limpeza da pele do cão. A pele solta também pode causar outro problema indesejável: prejudica a mordedura e faz com que o cão babe muito.

Confira 7 vantagens de ter um gato em casa

Doenças freqüentes em cães do grupo Molosso, como a displasia coxo-femural e a sarna demodécica, são menos comuns nos Buldogues Campeiros. E raramente apresentam problemas nas articulações. A presença de tumores e câncer nesta raça também é menos freqüente.

Exercícios físicos diários também são recomendados. O Buldogue Campeiro, além da resistência que possui, consegue respirar muito bem, e, desta forma, pode ser um bom companheiro para corridas, caminhadas e trilhas.

Alimentação: a quantidade de alimento a ser dada varia de acordo com o tamanho e idade do animal. Um buldogue campeiro filhote deve consumir de 90 a 340 g de ração de boa qualidade por dia. Já os adultos devem consumir de 270 a 350 g por dia. Para saber melhor sobre as quantidades, veja as instruções dadas pela marca da ração na embalagem.

Escovação dos pelos e banhos podem ser dados esporadicamente.

O lugar ideal para a raça viver

Muito dócil e não mais utilizado no trabalho de contenção de gado, a raça pode ser criada tanto em meios rurais quanto urbanos. Mas, vale lembrar, que o lugar ideal para a raça deve ter de preferência uma área grande como sítios, chácaras, ou até mesmo uma casa com quintal grande, pois devido às suas origens e histórico de cão trabalhador, é bom que ele disponha de um bom espaço para que possa gastar as suas energias.

O Buldogue Campeiro até pode ser criado em apartamento, desde que se faça passeios diários com ele.

A raça também é bastante resistente e consegue aguentar bem climas adversos.

Esse foi então o Buldogue Campeiro. Para quem tem interesse em aliar segurança e companheirismo para a família, esta raça pode ser realmente uma boa pedida. Se você ficou interessado, lembre-se sempre de procurar um criador idôneo!

Fonte: Adoro Cães

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Notícias

Vamos entender porque os gatos caem em pé

Publicado

em

buldogue

Venha entender o motivo desses lindos felinos caírem em pé

Os gatos tem a mania de cair em pé porque eles têm um apurado senso de equilíbrio que lhes permite fazer movimentos rápidos e girar o corpo para cair sobre as quatro patas. Para executar esse incrível malabarismo, o felino conta com grande sensibilidade dos receptores vestibulares que integram o labirinto, uma estrutura na parte interna do ouvido responsável pelo equilíbrio.

gato
Foto Internet

Sempre que o gato está numa posição desconfortável, ocorre um aumento de pressão nessa região, o que funciona como um alerta.

Essas mensagens são somadas às que são captadas pela visão do gato, é enviada para o sistema nervoso central (SNC), que a interpreta e manda vários sinais elétricos (sinapses) para o aparelho locomotor do felino, principalmente os músculos, o sistema nervoso então realizam uma série de movimentos instintivos, que fazem o corpo do animal recuperar o equilíbrio.

“O primeiro movimento é a rotação da cabeça na posição correta em seguida da rotação da porção superior do corpo. Por fim, há a rotação da parte inferior”, diz o veterinário Gelson Genaro, especialista em felinos da USP de Ribeirão Preto (SP).

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Além do nosso querido amigo e companheiro gato, outros membros da família desse felino, cito como exemplo leopardos e jaguatiricas, também são capazes da mesma proeza.

Interessante… Gostou desta matéria? Compartilhe com seus amigos!

Leia também: https://agronewsbrasil.com.br/a-curiosidade-matou-o-gato/

Por Victor Delgado – AGRONEWS com informações de Superinteressante

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Mundo Animal

Veja nomes para cavalos e éguas

Publicado

em

buldogue

Sabemos que encontrar um nome original, bonito e elegante é uma tarefa complicada, afinal é um nome que vamos repetir durante vários anos…

Se você decidiu adotar um cavalo e não sabe que nome vai dar, está com sorte. Aqui você encontra uma lista completa de nomes para cavalos machos e éguas.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Como escolher os nomes

O cavalo é um animal nobre, gracioso e inteligente que não vai demorar para assimilar o seu novo nome. É também um animal de muitos costumes, por isso a repetição de seu nome será um fator chave. Ao contrário de outros animais, eles possuem uma sensibilidade especial na hora de compreender e se relacionar. É capaz de interpretar sentimentos e sensações humanas. Os cavalos também são capazes de sentir emoções como a tristeza, a felicidade e o medo.

https://agronews.tv.br/saiba-como-evitar-as-estereotipias-em-equinos/

Na hora de escolher o nome do seu companheiro equino, tenha em conta essas recomendações:

  • Escolha um nome fácil de lembrar;
  • Deve soar bem, ter uma pronúncia clara;
  • Não utilize um nome que possa confundir o animal.

Nomes para cavalos macho

Veja a seguir uma lista completa de nomes para os machos:

  • Galã
  • Ambicioso
  • Angus
  • Lucky
  • Impetuoso
  • Tremor
  • Corvo
  • Kentucky
  • Zorro
  • Sultão
  • Patife
  • Valente
  • Guloso
  • Tormento
  • Michigan
  • Encantador
  • Arthur
  • Talentoso
  • Bandolero
  • Coral
  • Tzar
  • Antenor
  • Trono
  • Buenaventura
  • Donatelo
  • Sargento
  • Raio
  • Atrevido
  • Genovevo
  • Macário
  • Fervoroso
  • Carbonero
  • Chocolate
  • Macedônio
  • Vicário
  • Charles III
  • Joaquim
  • Tro
  • Nicanor
  • Niceto
  • Odón
  • Relâmpago
  • Pio
  • Elegante
  • Pompeu
  • Jade
  • Ohio
  • Silvestre
  • Simão
  • Victoriano
  • Pegaso
  • Camarão
  • Rubi
  • Diretor
  • Zafiro
  • Poderoso

Nomes para éguas

Esperamos que você encontre, nessa lista um nome com o qual se identifique:

  • Celeste
  • Dama
  • Canela
  • Califórnia
  • Cleópatra
  • Imperatriz
  • Sapeca
  • Puma
  • Cadabra
  • Kiara
  • Esmeralda
  • Cigana
  • Guapa
  • Granada
  • Belga
  • Favorita
  • Muchacha
  • Sinhá
  • Revelação
  • Revanche
  • Sereia
  • Canção
  • Bailarina
  • Garota
  • Morena
  • Única
  • Angel
  • Hera
  • Alabama
  • Nebraska
  • Turquesa
  • Triana
  • Altagracia
  • Benilde
  • Amatista
  • Impetuosa
  • Fera
  • Cayetana
  • Davina
  • Dionisia
  • Dorotea
  • Fortunata
  • Genara
  • Azahara
  • Tormenta
  • Athenea
  • Kenia
  • Feiticeira
  • Libia
  • Arkansas
  • Ágata
  • Indiana
  • Vera
  • Arizona
  • Victoria
  • Dakota
  • Diana
  • Baviera
  • Genoveva
  • Getrudis
  • Gracia
  • Laureana
  • Loreta
  • Rosa negra
  • Máxima
  • Parda
  • Petra
  • Priscila
  • Tadea
  • Esperanza
  • Verísima
  • Frida
  • Strella
  • Duquesa
  • Bruja
  • Amália
  • Pandora
  • Channel
  • Geada
  • Encantada
  • Lenda
  • Nobreza
  • Luna
  • Pérola
  • Paixão
  • Relíquia
  • Aguamarina

Nomes de cavalos de filme

cavalo
  • Tornado: Do filme “A Máscara do Zorro”, de 1998. O cavalo Tornado é o companheiro do herói Zorro e com ele passa por várias aventuras.
  • Jolly Jumper: Dos filmes “Lucky Luke” e “Lucky Luke 2”, de 1990 e sua última versão de 2009. O cavalo é o grande companheiro do caubói Lucky Luke. Ele além de expressar seus pensamentos, ainda conversa e ajuda seu amigo com suas ideias brilhantes.
  • Aquilante: Do filme “O Incrível Exército de Brancaleone”, de 1966. Comédia italiana que faz referência do cavalo Rocinante de Don Quixote. Esse cavalo é diferente dos outros, pois não demonstra uma postura valente, pois tem um jeito ingênuo e atrapalhado.
  • O Negro: Do filme “O Corcel Negro”, de 1979. O cavalo O Negro impressiona pela sua valentia e velocidade. Ele consegue enfrentar vários desafios junto ao seu companheiro.
  • Maximus: Do filme “Enrolados”, de 2010. O cavalo persegue os vilões do filme, é valente, luta com espadas e possui um carisma único dentro da história.
  • Smoky: Do filme “Dívida de Sangue”, de 1966. O tutor do cavalo era um personagem bêbado e o ator Lee Marvin fez muito sucesso pela sua atuação. Ao ganhar o Oscar de melhor ator, ele ofereceu seu prêmio ao companheiro cavalo que também pareceu atuar muito bem no filme.

Nomes de cavalos de famosos

Se você quer fazer uma homenagem a um equino famoso, recomendamos esses nomes famosos:

  • Bucéfalo: Cavalo de Alexandre, o Grande (Rei da Grécia antiga, herói da época);
  • Marengo: Cavalo de Napoleão Bonaparte (Imperador francês, um dos líderes de Revolução Francesa);
  • A Égua Babieca: Cavalo do El Cid Campeador (Rodrigo de Vivar- guerreiro da Espanha);
  • Pégasus: Cavalo de Zeus (Na Grécia Antiga, era considerado o Pai dos Deuses);

Por Agronews – com informações de Perito Animal

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Mundo Animal

Câncer de mama em cães: uma doença silenciosa e comum

Publicado

em

buldogue

O câncer é uma doença que aflige não só seres humanos, mas também nossos amigos de quatro patas. Em outubro, a campanha a respeito da conscientização para diagnóstico e prevenção da doença deve ser lembrada também para os cães, dado que o câncer de mama em cachorro atinge quase metade desses pets.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Portanto, atente-se quanto à própria saúde e a saúde do seu amigo de estimação. Assim, você oferece toda a qualidade de vida necessária para que o cãozinho viva por muitos anos.

Câncer de mama em cachorro: mais comum do que em mulheres

buldogue
Crédito: Agronews

Segundo o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV), o câncer de mama em cachorro atinge pelo menos 45% das cadelas. No caso das gatas, a doença atinge pelo menos 30%. Além disso, a maioria dos casos são malignos. Sendo assim, essa é uma doença que precisa de cuidados e, principalmente, de um diagnóstico precoce a fim de tratar o problema o quanto antes. Aliás, não só cadelas e gatas podem sofrer do câncer de mama, a doença também pode afligir os cães e gatos machos.

Um mês de reflexão e cuidados

A fim de conscientizar mulheres e homens no país inteiro, o mês de outubro deve ser lembrado para os cuidados na região mamária. Portanto, como a doença não atinge só humanos, mas também outros pets mamíferos, é importante fazer o diagnóstico e observar também a saúde do amigo de quatro patas.

Sintomas e prevenção da doença

O câncer de mama em cachorro pode não provocar reações no cão (apatia, vômitos, febre ou mudança no apetite). Isso pode ser muito perigoso, dado que é uma doença silenciosa e que avança rapidamente.

Nesse caso, o principal sintoma do câncer de mama em cachorro está no crescimento de um nódulo na região mamária. Portanto, ao fazer o autoexame, a fim de se prevenir e perceber possíveis tumores, também verifique a presença de um caroço na mama do cachorro.

Leia Cachorro de fazenda: conheça 6 raças ideais

Além de caroço, se o pet estiver com a região das mamas avermelhadas, inchadas, dilatadas, com secreção e/ou odor desagradável, é importante ficar atento. Esses podem ser sintomas de câncer de mama em cadelas.

Vale ressaltar que, a castração nas fêmeas ajuda a reduzir o risco de apresentar tumor. Se o procedimento for realizado após o primeiro cio, chega a reduzir para 96%.

Causas do câncer de mama

A causa do câncer de mama é multifatorial, envolvendo a participação de componentes genéticos, hormonais, nutricionais e ambientais. Além disso, o crescimento desordenado das células mamárias também pode ser o motivo pelo qual o câncer se desenvolve.

No entanto, como as mamas dos cães machos também produzem hormônios, como estrógeno e progesterona, mesmo em menor quantidade, eles estão sujeitos ao câncer de mama em cães. Por isso, é extremamente necessário fazer a prevenção em ambos os pets, mesmo sendo um tumor raro.

Além de tais causas, outros motivos comuns para o câncer de mama em cadela está a gravidez psicológica. Medicamentos hormonais, como anticoncepcionais e alguns tipos de suplementos também pode causar o desenvolvimento da doença.

Cadelas que já foram ou são obesas têm maiores riscos de desenvolver câncer de mama. Além disso, outros fatores, como idade avançada, também podem causar a doença.

Tratamento

O tratamento do câncer em cães deve ser acompanhado de um veterinário, que fará o diagnóstico com exames clínicos na mama, além de exames como citologia aspirativa do nódulo. Lembre-se de fazer o acompanhamento com o especialista, pois o diagnóstico precoce aumenta as chances de cura!

Em caso de tumor maligno a mascote precisa passar por alguns exames, como tomografia, radiografia, ultrassom e de sangue, para melhor escolha de tratamento. Assim como mulher, as fêmeas também podem fazer quimioterapia.

No entanto, antes é feita uma biópsia, uma tomografia e uma ultrassonografia na cachorra com câncer de mama a fim de verificar o estágio da doença.

Não deixe de levar o pet ao veterinário para um check-up periodicamente. Assim, além de câncer, o especialista pode verificar possíveis predisposições e tratá-lo o quanto antes.

Fonte: Petz

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo


Tendências