Zarc milho: informações auxiliam no planejamento da safra

Desde 2016, produtores acreanos contam com o Zoneamento Agrícola de Risco Climático (Zarc) para a cultura do milho

O Zarc informa sobre as épocas mais propícias para semeadura do milho de primeira e segunda safras, com cultivares de ciclo precoce, médio e tardio, em solos de textura arenosa, média e argilosa. As janelas de plantio definidas pelo Zarc se aplicam às cinco regionais do estado (Alto Acre, Baixo Acre, Purus, Tarauacá-Envira e Juruá). Essas informações proporcionam maior segurança na atividade produtiva e facilitam o planejamento da safra, essencial para o sucesso da lavoura.

De acordo com o pesquisador da Embrapa, Falberni Costa, em função das chuvas que se mostram cada vez menos intensas no estado, para a primeira safra, que envolve variedades de milho comuns (convencional), a recomendação é realizar o plantio nos meses de setembro e outubro, para colher em janeiro. Para a segunda safra o período indicado para a semeadura é entre março e abril, com colheita de acordo com o ciclo da variedade utilizada, mas geralmente em junho e julho. Plantar no início da janela reduz os riscos de uma colheita tardia, que pode atrasar a safra seguinte.

“Quem utiliza variedades de milho precoce também deve fazer o plantio logo que iniciar a janela recomendada (começo de outubro), para evitar veranicos que podem comprometer a safra. Produtores que seguem as orientações do Zarc ficam menos sujeitos a prejuízos decorrentes de problemas climáticos. Entretanto, além das janelas de plantio, é essencial que o produtor rural adote as demais medidas necessárias para o desenvolvimento dos cultivos e sucesso na produção”, ressalta o pesquisador.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Planejar com antecedência

A agricultura envolve riscos de natureza diversa, que podem afetar a segurança alimentar e a economia local, regional ou nacional. Uma forma de minimizar esses riscos é realizar cada etapa da cultura no tempo recomendado. Conhecer as épocas adequadas para plantio facilita o planejamento da safra agrícola, processo que inclui a aquisição de sementes e fertilizantes, contratação de mão de obra e outros gastos envolvidos na produção.

“Na cultura do milho, a safra deve ser planejada com o mínimo de seis meses de antecedência do plantio. O ideal é que após a colheita da segunda safra se comece a planejar a safra convencional do ano seguinte. Os agricultores que se antecipam nesse planejamento otimizam o tempo nas atividades produtivas, conseguem insumos a preços mais acessíveis, evitam despesas desnecessárias e podem obter vendas antecipadas para a produção”, ressalta Costa.

A adoção do Zarc possibilita melhor gestão da produção, uma vez que as informações disponibilizadas orientam a tomada de decisão na implantação e condução das lavouras. Além disso, o uso da ferramenta permite acesso ao crédito rural, por meio de iniciativas como o Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro) e o Programa de Subvenção Federal ao Prêmio do Seguro Rural (PSR), entre outras políticas governamentais de apoio à produção que exigem a adoção das janelas de plantio recomendadas. No âmbito privado, muitas instituições financeiras adotam como critério para concessão de financiamento agrícola que, além das janelas de plantio os produtores utilizem culturas zoneadas.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Zarc para o consórcio de milho com braquiária

milho

O cultivo de grãos consorciado com forrageiras tropicais é uma tendência crescente em algumas regiões do país. Estudos mostram que a associação de culturas anuais com pastagens, em sistema de plantio direto, além de aumentar a produção, proporciona ganhos ambientais como reciclagem de nutrientes e produção de palhada, o que mantém o solo coberto e protegido, além de melhoria na estrutura física desse recurso em função da incorporação de matéria orgânica. Esses e outros benefícios contribuem para uma produção mais sustentável em relação ao cultivo convencional.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Sobre o zoneamento

O Zarc é uma política pública de gestão de risco na agricultura, vinculada ao Programa Nacional de Zoneamento Agrícola de Risco Climático. Elaborada com base em estudos científicos, a ferramenta permite a cada município identificar a melhor época de plantio das culturas, nos diferentes tipos de solo e ciclos de cultivares. Essas informações ajudam a reduzir perdas na produção ocasionadas por eventos climáticos, como chuva ou seca extrema.

Realizados desde 1996, os estudos de zoneamento de risco agrícola são coordenados pela Embrapa e contam com uma equipe multidisciplinar de pesquisadores. Os resultados gerados são validados por produtores rurais, aprovados pelo Mapa e publicados por meio de Portarias da Secretaria de Política Agrícola do órgão. A base de dados do Zarc pode ser revisada e atualizada para alinhar as recomendações à realidade climática ou a outros aspectos, em cada localidade.

“A metodologia de estudo do Zarc considera aspectos da cultura estudada, características do solo e do clima de cada município e utiliza séries históricas para avaliar aspectos climáticos. O cruzamento dessas informações permite definir janelas de plantio com menor risco de déficit hídrico em fases críticas da cultura e indicar solos viáveis para os cultivos”, explica Costa.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Zarc Plantio Certo

Disponível para todos os estados e municípios brasileiros, no site do (Mapa), o Zarc contempla mais de 40 culturas de ciclos anual e permanente. De fácil adoção, pode ser utilizado por produtores rurais, agentes financeiros e outros públicos interessados. Além do calendário de plantio, por cultura e município zoneado, a ferramenta fornece a lista de cultivares adaptadas para cada região, cadastradas no Registro Nacional de Cultivares (RNC). O Mapa também disponibiliza em seu Portal o Painel de Indicação de Riscos, onde o usuário pode consultar as informações do Zarc por estado, município, safra, cultura e tipo de solo.

O aplicativo Zarc Plantio Certo é outra alternativa para acesso a dados oficiais dos riscos climáticos na agricultura. Desenvolvida pela Embrapa, para plataformas Android e IOS, com acesso por tablets e celulares Smartphones, a tecnologia permite consultar a cultura e o ciclo desejados, por localidade e tipo de solo, e verificar as janelas de plantio.

Por Diva Gonçalves/Embrapa Acre

AGRONEWS® é informação para quem produz

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *