GeralNotícias

Ampa orienta produtores de algodão proteger áreas e combater bicudo

Considerada a principal praga do algodão, o besouro pode diminuir em até 70% a produtividade do plantio

Até o final do ano, durante o vazio sanitário, técnicos agrícolas e produtores de algodão em Mato Grosso tem como prioridade evitar a proliferação do bicudo, a principal praga da cotonicultura. Para isso, a Associação Mato-grossense dos Produtores de Algodão (Ampa) disponibiliza sua equipe de técnicos para orientar sobre como destruir soqueiras e tigueras, onde o inseto costuma se reproduzir nesta época do ano.

Neste ano, o vazio sanitário, instituído pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) tem duas datas. De 15 de outubro a 14 de dezembro nas regiões Norte e Oeste e de 1º de outubro a 30 de novembro na região Sul e Vale do Araguaia. Durante esse período o Indea pretende percorrer, ao menos duas vezes, as 702 propriedades cotonicultoras.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

A orientação é não manter nas áreas nenhuma plantas com estrutura reprodutiva, já que o bicudo, que chegou na região na década de 90, se alimenta da flor do algodão e se reproduz rapidamente no período de chuvas. O intuito é gerar escassez de alimentos para o besouro para evitar a superpopulação.

“Os nossos técnicos já fazem o monitoramento do bicudo em todos os núcleos, medindo a quantidade de população”, explica Paulo Sérgio Aguiar, presidente da Ampa. “Nós também enviamos informativos semanais por e-mails, além das reuniões com os produtores para troca de informações para reduzir a população das pragas”, complementa.

“O respeito ao vazio sanitário, que acontece 60 dias antes do início do plantio do algodão, é fundamental para garantir a boa produtividade da safra”, explica Aguiar. Sozinho, Mato Grosso é responsável por 69% do algodão do país com produção de 5 milhões de toneladas de pluma por ano.

MONITORAMENTO

Desde 2006, o Instituto Mato-grossense do Algodão (IMAmt), braço tecnológico da Ampa, faz o monitoramento da população do bicudo por meio de armadilhas de feromônios.

A contagem dos insetos é feita pelo índice (Bicudo por Armadilha por Semana) BAS e avalia a eficiência do manejo em dois momentos. O primeiro, nas semanas que antecedem o plantio, e durante a pré-colheita. No levantamento da semana passada feito pelos técnicos do IMAmt, metade dos núcleos de produção estavam com índices inferiores a 1, demonstrando que as ações de prevenção a praga foram eficazes.

Além do monitoramento, o IMAmt facilita a formação de grupos de técnicos responsáveis pela condução do manejo pós safra e plantio da nova safra. O instituto também demonstra os resultados das pesquisas realizadas anualmente, em relação ao uso de biotecnologias para o controle de ervas, sobre a eficiência de inseticidas e novas tecnologias de aplicação.

AGRONEWS® – Informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados