Boi: frigoríficos atuaram com maior ociosidade em Mato Grosso

Precificação da arroba do boi gordo preocupa confinadores em Mato Grosso e aumenta negociações com mecanismos de travamento de preços

O último levantamento das intenções de confinamento realizado pelo Imea registrou maior apreensão do pecuarista em relação à atividade no estado. A utilização da capacidade estática fechou outubro de 2022 com 65,72% e registrou queda pelo 3º ano consecutivo. A maior oferta de animais, influenciada pelo 2º giro do confinamento, preocupou o produtor em relação ao preço da arroba.

Ao mesmo tempo, a China reduziu o volume de compra afim de pressionar as precificações, o que trouxe impacto direto nas cotações por se tratar do maior demandante da proteína exportada. Este cenário incerto frente à oscilação do mercado aumentou a porcentagem de produtores que recorreram à operações de hedge, mecanismo de travamento de preços. Assim, o incremento foi de 12,68 p.p. em relação a 2021, e totalizou 31,11% entre operações de termo e B3.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

De acordo com a análise da semana anterior, “Os valores do boi gordo seguem em queda no mercado brasileiro e já operam nos menores patamares nominais desde novembro do ano passado, quando a suspensão dos envios de carne à China – devido a casos atípicos de “vaca louca” – pressionou com força os valores de negociação da arroba do boi no Brasil”.

Mercado Financeiro

boi
  • Leve ascensão: diferente das semanas anteriores, a arroba do boi gordo apresentou leve aumento de 0,04%. Assim, a arroba fixou-se em R$ 239,60;
  • Ritmo de queda: a cotação da vaca gorda seguiu sentido contrário ao boi gordo, com declínio de 0,27% em relação à semana passada e fechou na média de R$ 226,22/@;
  • No verde: o mercado futuro acompanhou a valorização da arroba do boi gordo e resultou em um acréscimo de 0,51% ante semana passada.

Por Daniele Balieiro com informações Imea

AGRONEWS® é informação para quem produz

Siga o Agronews® nas redes sociais

Facebook AgronewsInstagram AgronewsTelegram AgronewsYoutube AgronewsWhatsapp Agronews

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *