fbpx
conecte-se conosco

Diárias de Mercado

Café: com NY e dólar em direções opostas, dia deve ser lento no mercado

Publicado

em

cotação cafe

A tendência é de mais um dia de poucos negócios e de preços apresentando poucas oscilações para o café nas principais praças do país. Nova York e dólar caminham em direções opostas, retraindo os negociadores

O mercado registrou preços estáveis na quarta-feira. O mercado andou de lado no dia, com ritmo lento na comercialização. Compradores e vendedores estiveram na defensiva, cautelosos. O comportamento indefinido do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) dificultou um melhor direcionamento.

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de catação terminou o dia em R$ 710,00/715,00 a saca, estável. No cerrado mineiro, arábica bebida dura com 15% de catação teve preço de R$ 720,00/725,00 a saca, inalterado.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 515,00/520,00, estável. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, ficou em R$ 440,00/445,00 a saca, inalterado.

Nova York

Os contratos com entrega em maio registram valorização de 0,82% na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 127,85 centavos de dólar por libra-peso.

Os contratos com entrega em maio/2021 fecharam o dia a 126,75 centavos de dólar por libra-peso, com perda de 0,10 centavo, ou de 0,1%.

Câmbio

O dólar comercial registra desvalorização de 0,77% a R$ 5,602.

Indicadores Financeiros

  • As principais bolsas da Ásia encerraram mistas. Xangai, +0,08%. Tóquio, -0,07%.
  • As principais bolsas na Europa registram cotações firmes. Paris, +0,42%. Londres, +0,47%.
  • O petróleo opera em baixa. Maio do WTI em NY: US$ 59,49 o barril (-0,46%).
  • O Dollar Index registra baixa de 0,23% a 92,24 pontos.

Por Dylan Della Pasqua – Agência Safras

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente esta matéria

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diárias de Mercado

Soja: indicador Paraná atinge recorde nominal

Publicado

em

soja

Os preços da soja estão em alta no Brasil, influenciados pelas maiores demandas doméstica e externa

Segundo pesquisadores do Cepea, parte dos produtores mostra preferência em comercializar a soja em detrimento do milho, o que eleva a liquidez no mercado da oleaginosa. Diante disso, mesmo sendo período de finalização de colheita no Paraná, o Indicador CEPEA/ESALQ da soja atingiu R$ 172,66/saca de 60 kg no último dia 14, recorde nominal da série do Cepea, iniciada em julho de 1997.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Já outra parcela de vendedores não mostra interesse em fechar negócios para entrega no curto prazo, atentos à maior paridade de exportação para embarques nos próximos meses.

Fonte: Cepea

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Diárias de Mercado

Milho: falta de chuva preocupado e mantém produtor afastado do mercado

Publicado

em

milho

As chuvas ainda abaixo do esperado neste mês em importantes regiões produtoras de segunda safra têm deixado vendedores afastados das negociações

Neste atual período de desenvolvimento das lavouras, a falta de precipitação pode prejudicar a produtividade. Compradores, por sua vez, precisam recompor estoques, cenário que mantém os preços em alta.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Na parcial de abril (até o dia 16), o Indicador ESALQ/BM&FBovespa (base Campinas-SP) subiu 4,45% fechando a R$ 97,88/saca de 60 kg na sexta-feira, 16, novo recorde real da série do Cepea. Em algumas praças, os avanços nos preços são mais expressivos, e vendedores já pedem valores acima de R$ 100 pela saca de 60 kg.

Fonte: Cepea

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo

Diárias de Mercado

Mandioca: clima seco dificulta colheita; preço sobe

Publicado

em

mandioca

O clima seco em todas as regiões acompanhadas pelo Cepea tem reforçado as dificuldades em se avançar com a colheita da mandioca – em algumas praças, inclusive, verifica-se interrupção das atividades.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Além disso, alguns mandiocultores já comercializaram todas as lavouras com mais de 15 meses (segundo ciclo) e não mostram interesse pela entrega daquelas mais novas. Do lado das indústrias, a demanda está firme. Esse cenário tem elevado a disputa pela matéria-prima e resultado em novas altas nos preços da raiz de mandioca.

Fonte: Cepea

AGRONEWS – Informação para quem produz

Continue lendo


Tendências