Café: preços devem seguir firmes no mercado interno

Com Nova York subindo e o dólar perto da estabilidade, os preços do café tendem a permanecer firmes nas principais praças do país. A demanda segue presente e os negócios, no entanto, são limitados pela ausência de oferta, com os produtores permanecendo retraídos.

O mercado apresentou preços de estáveis a mais altos na quarta-feira. Com a volatilidade na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) e também no câmbio, o mercado teve demanda no dia, mas foi curto de oferta, o que limitou as negociações, apenas pontuais e sem maiores volumes.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

No Espírito Santo, Bahia e Rondônia destaque para o mercado do conilon mais ativo e firme com preços avançando. A demanda promoveu avanços nas cotações e mais movimentações de negócios.

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de catação terminou o dia em R$ 1.090,00/1.095,00 a saca, estável. No cerrado mineiro, arábica bebida dura com 15% de catação teve preço de R$ 1.100,00/1.105,00 a saca, inalterado.

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 980,00/1.000,00 a saca, cotação estável. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, ficou em R$ 705,00/710,00, no comparativo com R$ 675,00/680,00 do dia anterior.

Bolsa de Nova York

  • Os contratos com entrega em dezembro registram valorização de 0,86% na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 197,55 centavos de dólar por libra-peso;
  • Os contratos com entrega em dezembro/2021 fecharam o dia a 195,90 centavos de dólar por libra-peso, queda de 4,00 centavos, ou de 2,0%.

Por Agência Safras

AGRONEWS® – Informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.