Café: preços internos devem subir, seguindo dólar e bolsa de NY

Com Nova York mantendo a tendência de alta, os preços do café deverão continuar subindo no mercado físico brasileiro. O produtor segue cauteloso, segurando a oferta e forçando ganhos ainda mais consistentes. O dólar também sobe, o que pode garantir um dia positivo

O mercado registrou preços mais altos na quinta-feira. A alta acentuada do arábica na Bolsa de Nova York (ICE Futures US) garantiu suporte às cotações no país. O mercado foi agitado com esses ganhos externos. O comprador esteve agressivo na comercialização, mas os negócios foram pontuais.

No sul de Minas Gerais, o café arábica bebida boa com 15% de catação terminou o dia em R$ 1.095,00/1.100,00 a saca, contra R$ 1.080,00/1.085,00 de ontem. No cerrado mineiro, arábica bebida dura com 15% de catação teve preço de R$ 1.100,00/1.110,00 a saca, contra R$ 1.085,00/1.090,00 anteriormente.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Já o café arábica “rio” tipo 7 na Zona da Mata de Minas Gerais, com 20% de catação, teve preço de R$ 1.000,00/1.005,00 a saca, no comparativo com R$ 990,00/1.000,00 de ontem. O conilon tipo 7 em Vitória, Espírito Santo, ficou em R$ 790,00/795,00 a saca, contra R$ 780,00/785,00 anteriormente.

Bolsa de Nova York

Os contratos com entrega em setembro registram valorização de 0,91% na Bolsa de Mercadorias de Nova York (ICE), cotados a 192,30 centavos de dólar por libra-peso.

Os contratos com entrega em dezembro/2021 fecharam a quinta-feira a 190,60 centavos de dólar por libra-peso, alta de 5,75 centavos, ou de 3,1%.

Câmbio

O dólar comercial registra alta de 0,13% a R$ 5,319. O Dollar Index registra baixa de 0,17% a 93,31 pontos.

Por Agência Safras

AGRONEWS® – Informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.