ClimatempoPrevisão do tempo

CLIMATEMPO 14 de janeiro 2023, veja a previsão do tempo

Boa tarde, amigos! confira o Boletim CLIMATEMPO 14 de janeiro 2023 e veja a previsão do tempo para este fim de semana. Infelizmente, ainda teremos instabilidades associadas ao calor e a umidade, o que provocará chuva em grande parte do país.

A região Sudeste será a mais afetada pelo calor de verão, e essa combinação de calor e umidade pode causar temporais em grande parte do Centro e Norte de São Paulo, além de chuva forte na cidade do Rio de Janeiro e em Belo Horizonte.

Mas não se preocupem, no litoral o tempo estará bem agradável principalmente durante a manhã, com mais períodos de sol. As temperaturas máximas no litoral de São Paulo podem chegar a 34 graus, e a mesma condição vale para o litoral Fluminense.

Já no Norte do estado do Rio e no sul do Espírito Santo, incluindo Vitória, o tempo deve seguir firme, mas ainda haverá instabilidades com nuvens de chuva. Entre Mato Grosso, Goiás, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina, ainda há potencial para temporais, com destaque para Curitiba e Florianópolis.

Em Porto Alegre, apesar da chuva acontecer de forma localizada, ainda há chance de pancadas fortes. No Norte e no resto do país, o potencial de chuva forte ainda continua, com destaque para temporais localizados no Sul do Maranhão, Norte do Tocantins e na região de Manaus.

Lembrando que as temperaturas mínimas previstas para o Rio de Janeiro são de 24 graus, e as máximas podem chegar a 35 graus em Porto Alegre, mesmo com a chuva. Em Cuiabá, o dia começa com 24 graus e a máxima chega a 33 na tarde de sábado. Fique atento às previsões e cuide-se!

Assista o Boletim CLIMATEMPO 14 de janeiro 2023

Clima impacta produtividade da soja

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) informou em seu quarto levantamento que a produção de grãos na safra 2022/23 no país está estimada em 310,9 milhões de toneladas, representando um incremento de 14,5%, ou seja, 39,3 milhões de toneladas a mais a serem colhidas do que na temporada passada.

O início da semeadura sofreu um leve atraso, influenciado pelo excesso de chuvas e baixas temperaturas em parte dos estados das regiões Sul e Sudeste. Houve também restrições hídricas, aliadas à baixa umidade do solo em parte da região Centro-Oeste e no Matopiba, mas o plantio foi finalizado dentro do calendário agrícola”, destaca a superintendente de Informações da Agropecuária da Conab, Candice Romero Santos.

A produção prevista para a soja é de 152,7 milhões de toneladas, 22,2% superior à da safra 2021/22, mas no Rio Grande do Sul, a má distribuição das chuvas, tanto em volume como em regularidade, afeta o potencial das lavouras na maioria das regiões.

A produtora rural gaúcha Grazi Camargo de São Sepé contabiliza os prejuízos causados pela falta de chuva em sua lavoura. “A soja está amarelada e seca. Chove fraco com pouco volume entre 05 e 10 milímetros e não apaga a poeira da folha da soja. A planta está tão estressada que não reage mais aos tratamentos de fungicida e não responde aos manejos realizados em campo“, comenta Camargo.

Tendência

De acordo com a tendência do clima, uma frente fria deve avançar pelo Sul do Brasil entre sexta-feira e final de semana, com risco de queda de granizo em algumas áreas. Embora o sistema passe rapidamente, ele deve espalhar chuvas de forma mais generalizada sobre o interior da região. O Rio Grande do Sul pode receber volumes moderados de chuva, o que deve beneficiar as lavouras em desenvolvimento. No entanto, os maiores volumes de água devem atingir o norte paranaense, onde até o final de semana estão previstos entre 50 e 70mm.

Até o dia 15 de janeiro, a previsão indica condições de chuva sem áreas produtoras da Região Sul. A partir do dia 16/01, o tempo volta a ficar seco em grande parte do Rio Grande do Sul, exceto no norte e nordeste do estado, em Santa Catarina e Paraná onde podem acontecer pancadas de chuva. Vale lembrar que a precipitação prevista entre os dias 13 e 15/01 não será suficiente para atender as necessidades dos cultivos de soja, milho e feijão de primeira safra, e a falta de umidade no solo continuará sendo um problema em solo gaúcho.

De acordo com os meteorologistas da Climatempo, na segunda quinzena de janeiro de 2023 o destaque será para as altas temperaturas no Rio Grande do Sul, com risco de onda de calor, com temperaturas na média chegando a casa dos 40°C nas regiões da Fronteira Oeste, Missões, Campanha e parte central do estado.

Fonte: CLIMATEMPO

AGRONEWS® é informação para quem produz

Artigos relacionados

Escreva um comentário

Botão Voltar ao topo