Coinoculação da soja realmente auxilia no aumento da produtividade da lavoura?

As contribuições das bactérias do gênero Bradyrhizobium para o aumento da produtividade da soja já são conhecidas e popularizadas. Essas bactérias possuem a capacidade de fixar nitrogênio atmosférico e disponibilizá-lo para a planta através de um processo de simbiose entre planta e bactérias. Segundo Gitti (2015), através dessa simbiose, essas bactérias podem contribuir com todo o nitrogênio necessário pra produtividades médias de até 3.600 kg.ha-1 de soja.

Além da inoculação da soja com o Bradyrhizobium, a adição de outro gênero de bactérias, configurando um processo de coinoculação vem crescendo em grande parte dos cultivos de soja, principalmente pelos benefícios trazidos ao sistema. Trata-se da coinoculação da soja com Bradyrhizobium + Azospirillum. As bactérias do gênero Azospirillum são conhecidas popularmente por atuarem na promoção do crescimento das plantas.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

O Azospirillum sintetiza fitormônios que promovem o crescimento vegetal, principalmente do sistema radicular, o que favorece a nodulação e a fixação biológica de nitrogênio realizada pelo Bradyrhizobium, além de trazer outros benefícios, como ampliação do volume de solo explorado (Prando et al., 2019). Diferentemente de relação entre Bradyrhizobium e soja (simbiose), a relação entre Azospirillum e soja é uma associação, apresentando algumas particularidades em relação a simbiose.

O Azospirillum fixa nitrogênio atmosférico?

Embora modesta, as bactérias do gênero Azospirillum possuem a capacidade em fixar nitrogênio atmosféricos, entretanto, ao contrário das bactérias simbióticas, bactérias associativas excretam somente uma parte do nitrogênio fixado diretamente para a planta associada; posteriormente, a mineralização das bactérias pode contribuir com aportes adicionais de nitrogênio para as plantas, contudo, é importante salientar que o processo de fixação biológica por essas bactérias consegue suprir apenas parcialmente as necessidades das plantas (Hungria, 2011). Logo, sozinho, o Azospirillum não consegue suprir toda a necessidade de nitrogênio da cultura da soja.

Aumento de produtividade

Quando utilizado de forma conjunta ao Bradyrhizobium, o Azospirillum tem demonstrado significativa influência no aumento da produtividade da soja. Resultados de pesquisa obtidos pela Embrapa evidenciam que a inoculação da soja (Bradyrhizobium), promove incremento médio de produtividade de 8% em comparação a soja não inoculada, e a coinoculação da soja (Bradyrhizobium + Azospirillum) proporciona ganho médio de produtividade de até 16% (Prando et al., 2019).

Conforme observado por Bárbaro et al. (2009), a coinoculação da soja proporcionou ganho médio de superior a 400 kg.ha-1 quando utilizados inoculantes turfosos em comparação a soja não coinoculada (testemunha).

Tabela 1. Produtividade final de grãos (kg/ha) e peso de mil grãos em (g) de soja cultivar MG/BR 46 Conquista em resposta à coinoculação de soja com produto à base de Azospirillum brasilense juntamente com inoculante contendo Bradyrhizobium.

Coinoculação da soja realmente auxilia no aumento da produtividade da lavoura?

Resultados positivos da coinoculação da soja também foram obtidos por Gitti (2015) que observou que a coinoculação da soja proporcionou incremento médio de produtividade de 6 sc/ha em comparação a soja não inoculada nem coinoculada (testemunha).

Figura 1. Produtividade da cultura da soja safra 2014/15 obtido em tratamentos sem a inoculação de sementes, inoculação (Bradyrhizobium), coinoculação (Bradyrhizobium + Azospirillum brasilense) e aplicação de ureia em cobertura (200 kg/ha de nitrogênio).

Coinoculação da soja realmente auxilia no aumento da produtividade da lavoura?

Embora o ganho produtivo possa variar de acordo com o ambiente, cultivar e manejo, conforme observado anteriormente, resultados científicos confirmam o aumento de produtividade proporcionado pela coinoculação da soja. Logo, pode-se dizer que a coinoculação é uma prática essencial para o aumento da produtividade e sustentabilidade da cultura.

Referências:

BÁRBARO, I. M. et al. PRODUTIVIDADE DA SOJA EM RESPOSTA Á INOCULAÇÃO PADRÃO E CO-INOCULAÇÃO. Colloquium Agrariae, v. 5, n.1, Jan-Jun. 2009. Disponível em: , acesso em: 02/08/2021.

GITTI, D. C. INOCULAÇÃO E COINOCULAÇÃO NA CULTURA DA SOJA. Fundação MS, Tecnologia e Produção: Soja 2014/2015, 2015. Disponível em: , acesso em: 02/08/2021.

HUNGRIA, M. INOCULAÇÃO COM Azospirillum brasilense: INOVAÇÃO EM RENDIMENTO A BAIXO CUSTO. Embrapa, Documentos, n. 325, 2011. Disponível em: , acesso em: 02/08/2021.

PRANDO, A. M. et al. COINOCULAÇÃO DA SOJA COM Bradyrhizobium e Azospirillum NA SAFRA 2018/2019 NO PARANÁ. Embrapa, Circular Técnica, n. 156, 2019. Disponível em: , acesso em: 02/08/2021.

Por: Maurício Siqueira dos Santos – MaisSoja

AGRONEWS ® – Informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.