Mercado Financeiro

Confira o desempenho do frango vivo e abatido na segunda de julho de 2021

Exatamente como previu o AviSite, na semana que passou, segunda de julho e 27ª de 2021, o frango abatido não só alcançou como também superou o pico de preços registrado em junho passado. Como resultado, encerrou o primeiro decêndio do mês com o maior valor nominal de todos os tempos.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Devido a um feriado em São Paulo (lembrança da Revolução Constitucionalista de 1932), os negócios da semana ficaram resumidos a quatro dias. Mas (talvez até por força do feriado, que levou à antecipação de compras) foram quatro dias suficientes para garantir uma valorização de quase 5,5% sobre a semana anterior e um fechamento de período (quinta-feira, 8) com uma cotação média perto de 7% superior à do encerramento da semana inicial do mês.

O interessante é que, desta vez, o frango vivo acompanhou quase na mesma medida. Obteve na semana dois reajustes de 10 centavos cada (um na quinta-feira, 8; o segundo no sábado, 10), o que significou reajuste pouco superior a 3,5% sobre o fechamento da semana anterior. Assim, também completa o primeiro decêndio de julho com o maior valor nominal de todos os tempos, cotado a R$5,80/kg, cotação que agora se aplica, igualmente, ao frango vivo de Minas Gerais, (onde o primeiro reajuste, na quinta, foi de 15 centavos e o segundo, no sábado, de 10 centavos).

Devido ao feriado paulista da última sexta-feira, os negócios desta segunda-feira, 12, em São Paulo, devem ser bem mais dinâmicos que o normal, por conta da reposição de estoques. Assim, novos reajustes devem ocorrer. Fica a dúvida, somente, quanto à sua continuidade no decorrer da semana, pois a primeira quinzena vai chegando ao fim.

Nesse contexto, apenas um fato é certo: dada a velocidade de reajuste das cotações, a disponibilidade de aves vivas continua bastante restrita. E isso, garante, no mínimo, que o preço atual – similar nas duas praças pela primeira vez nos últimos quatro meses – permaneça inalterado, sem risco de retrocessos.

Por Avisite

AGRONEWS – Informação para quem produz

Mostrar mais

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados