CuriosidadesNotícias

ūüėß Empresa promete “estocar vento” para gera√ß√£o de energia

O processo foi considerado como uma forma de “estocar vento” usando blocos de concreto e foi desenvolvido pela su√≠√ßa Energy Vault que vai usar um novo tipo de bateria gravitacional para armazenar eletricidade gerada por energia e√≥lica no Rio Grande do Norte.

O governo do Rio Grande do Norte fechou h√° poucas semanas uma parceria com a empresa EV Brasil para o desenvolvimento de um projeto de “armazenamento verde gravitacional de energia” em larga escala e de longa dura√ß√£o. O nome √© complexo, mas, basicamente, tem a ver com “estocar vento“. Pois √©. Se voc√™ se lembrou da famosa express√£o usada pela ex-presidente Dilma Rousseff em uma entrevista coletiva na ONU, em 2015, √© por a√≠ mesmo.

O governo do RN assinou um memorando de entendimento (MoU) com a EV Brasil, e a proposta √© de encontrar meios de fazer a energia e√≥lica ser armazenada em uma esp√©cie de estoque, sem uso imediato. Este instrumento jur√≠dico estabelece interesses e objetivos m√ļtuos das partes em contrato e √© um primeiro passo bastante promissor e pioneiro na Am√©rica Latina.

Estamos falando de estocar energia gerada a partir do vento com o objetivo de ter energia dispon√≠vel para os momentos do dia em que n√£o houver vento. O mesmo vale para a gera√ß√£o solar: estocar para os momentos em que n√£o houver sol“, explicou Jo√£o Fernandes, diretor executivo da EV Brasil, representante brasileira da empresa su√≠√ßa Energy Vault.

Empresa promete estocar vento para geração de energia eólica

Estocar vento: como funciona?

Grosso modo, essa tecnologia de armazenamento de energia eólica que deve ser usada no RN instalada blocos de concreto no parque eólico.

Esses blocos de concreto ficam empilhados em torres de até 120 metros de altura para armazenar um outro tipo de energia, que um objeto adquire ao ser elevado: a potencial gravitacional.

Trata-se de uma enorme estrutura que funciona como um complexo ioi√ī. Quando for preciso consumir a energia guardada ali, basta baixar os blocos com um cabo de a√ßo acoplado a um gerador. Esse movimento transforma a energia e√≥lica armazenada nos sistemas em energia el√©trica.

Falando assim, pode ser difícil visualizar, mas uma simulação 3D e vídeos de uma torre já construída em Arbedo-Castione, na Suíça, ajudam a entender melhor o processo. Confira abaixo:

Se soltarmos um objeto de uma grande altura e ele cair em cima de um carro, vai amass√°-lo, porque a energia potencial gravitacional que objeto tinha l√° em cima se converteu em energia cin√©tica ao cair“, explica Fernandes. “Na nossa tecnologia, a energia el√©trica alimenta um motor que eleva um bloco bem pesado e transforma em energia potencial gravitacional.

A empresa diz que é uma geração de larga escala e verde, porque não gera resíduos químicos que precisam ser tratados e dispostos adequadamente. O motor das estruturas eleva e empilha blocos de concreto de 35 toneladas cada, que ficam guardando a energia no sistema pelo tempo que for necessário.

Para que estocar vento?

As energias renov√°veis e√≥lica e solar s√£o intermitentes ‚ÄĒ isto √©, nem sempre est√£o dispon√≠veis. Us√°-las 24 horas por dia requer o desenvolvimento de solu√ß√Ķes de armazenamento que sejam confi√°veis, mas tamb√©m flex√≠veis.

A Energy Vault prop√Ķe uma solu√ß√£o que promete ser dur√°vel e sustent√°vel, com efici√™ncia de ciclo energ√©tico de 80 a 85% (ou seja, s√≥ 15% da energia poderia se perder no processo).

A estrutura tem vida √ļtil superior a 35 anos, n√£o causa danos ao ambiente e tem potencial de gerar de 400 MW (megawatt) a 600 MW at√© 2024, segundo o que prev√™ o memorando para o Rio Grande do Norte.

F√°tima Bezerra (PT), governadora do Rio Grande do Norte, lembrou, na ocasi√£o do an√ļncio, que o estado lidera o ranking nacional de produ√ß√£o de energia e√≥lica, por isso a escolha por esse sistema.

Segundo dados da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o Rio Grande do Norte tem 194 parques de energia renovável em operação, 47 em construção e 79 contratados. Somados os projetos, são 9,6 GW de potência no total.

A região no Nordeste brasileiro também possui o maior potencial para instalação de usinas eólicas offshore, isto é, parques de captação de energia pelo vento que fiquem em alto mar, longe da terra firme, onde o vento não encontra obstáculo. O potencial para geração de energia em plantas eólicas no mar é de 110 a 140 GW.

Na sua opinião essa modalidade de produção de energia funcionaria no Brasil? Deixe seu comentário logo abaixo!

AGRONEWS¬ģ, com informa√ß√Ķes de CapitalReset

Siga-nos no Google News: CLIQUE AQUI

29 Coment√°rios

  1. √Č engenhoso, porem ser√° compensatorio?
    Energia eletrica será gasta para empilhar os blocos e em um motor o esforço de tração consumirá uma quantidade considerável de energia , sem contar que quando a pilha de blocos começa a baixar a energia gravitacional nao irá gerar a mesma energia de um bloco mais alto , isto não é uma brincadeira??

    1. Está tecnologia é a mesma aplicada aos carros elétricos, chama-se recuperação de energia gerado por aproveitamento da energia cinética do movimento do carro, que gera energia carregando as baterias, afirmar que é de alto rendimento é temerário pois se assim fosse os veículos com propulsores elétricos não teriam que recarregar as baterias após rodarem poucos Kms.

    2. Também pensei nisso. Porém, a necessidade de energia é maior durante elevação dos blocos, fato que ocorrerá somente enquanto a geração através do vento estiver presente. Assim, uma vez que a pilha de blocos esteja carregada, a energia gerada pela queda do bloco compensa perdas de energia que você citou e ainda sobra um excedente para uso dos consumidores.

  2. E muito engenhoso , mas vejo muito complexo e dispendioso . Acredito que fazer eletrólise , acumular hidrogênio e depois queima-lo em caldeiras , seria mais barato e simples , e para anabolizar , placas foto voltaicas ! E o oxigênio , doaria para hospitais .

  3. Muito interessante.

    Mais uma varia√ß√£o da tecnologia “Air Stock” ou “Wind Stock”

    Muito mudou desde o protótipo apresentado a Dilma Roussef, quando o ar Рou vento Рera armazenado em um profundo poço de rocha mas o escape pelas fissuras tornava o custo-benefício baixo.

    Desde ent√£o v√°rias modalidades firam estudadas.

    Em 2020 a China dominou a “Estoque de Vento”, a tradicional, tornando-a economicamente vi√°vel e passou a detentora desse modelo tecnol√≥gico.

  4. N√£o parece eficiente visto que a mesma gasta energia para elevar o objeto al√©m de oferecer bastante manutencao pelo contrapeso de concreto, f√°cil de quebrar ao aplicar energia mec√Ęnica e nem t√£o verde pois a cria√ß√£o de concreto utiliza muitos recursos. Mais um fal√°cia do verde

    1. Este é justamente o objetivo. A energia elétrica gerado pelo vento ao ser utilizada para elevação dos contrapesos é transformada em energia potencial ( semelhante a água no alto das represas nas HE). Quando for necessario utiliza-la basta descer os blocos. Seus cabos vão movimentar geradores que vao gerar a energia elétrica novamente. A questão é determinar se o calor gerado ( energia perdida) nestas transformacoes compensa.

  5. Legal este projeto, Energia cin√©tica se transforma em energia el√©trica e energia mec√Ęnica puxando os blocos para uma posi√ß√£o elevada, assim em momentos com pouco vento os blocos descem devagar e um precisa roldana acoplada ao gerador gera mais energia.
    Não tem nada a ver com estocar vento mas com como a moda é ideologia de gênero, Recebe o nome que quiser.

  6. √Č uma gin√°stica mental pra dar voz a forma burra que a “presidenta” usou em seu discurso.
    Além do custo a própria engenharia consome uns 20% dos recursos.
    Sei n√£o.

  7. Dilma a frente do seu tempo. Foi e ainda √© ridicularizada pela sua fala. Agora estamos vendo a tecnologia do”estocar vento” se concretizando. Vamos aguardar mais um tempo pra ter essa tecnologia vi√°vel, mas sem d√ļvida este √© o futuro! Parab√©ns aos envolvidos.

  8. Isso n√£o tem nada a ver com “estocar vento”. √Č uma convers√£o em energia cin√©tica em energia potencial mec√Ęnica. O t√≠tulo n√£o tem nada a ver com o conte√ļdo e n√£o passa de uma tentativa (digo a escolha do t√≠tulo) de legitimar uma asneira que certa anta disse.

  9. Na verdade não há estocagem de vento, visto que a energia já está transformada. O que se estoca é apenas energia. Mas é um bom marketing comentar sobre estocagem de vento pois isso já houve polêmica rsrs

  10. Conseguimos achar alguém mais burro que a nossa estimada acéfala Dilminha. A máquina estoca energia e não vento! Acho que é um pretexto para dar razão ao governo macabro petista kkkk

  11. √Č muita vontade de puxar o saco da incompetenta, por favor. Sejam menos vassalos! Nem vale a pena explicar o amontoado de besteiras que voc√™s escreveram.

  12. Todos os coment√°rios em maior ou menor grau possuem algum fundamento.
    Trata-se de transformar a queda do bloco em energia elétrica através de um gerador.
    A energia gasta para elevar os blocos é gerada pelas torres eólicas em operação e quando paradas utiliza-se a queda dos blocos.
    O uso disseminado desta tecnologia depender√° de seus custos.
    Devemos nos lembrar que há poucas décadas o aproveitamento do sol e vento para geração era inviável.
    Naturalmente que em qualquer processo haverá perdas, a menos que seja inventado o moto-contínuo.
    Luiz Laan

  13. Vi v√°rios coment√°rios ofendendo a ex-presidente Dilma. Lament√°vel ver estes ataques gratuitos por pessoas que n√£o buscam verificar se a fala dela de fato foi incorreta. Ela apenas usou um termo do ingl√™s “stock wind” que significa justamente armazenar vento. O grande problema √© que tal situa√ß√£o parece absurda para leigos no assunto, mas naquela ocasi√£o j√° algo corrente no campo de gera√ß√£o de energia e√≥lica. Infelizmente, a ignor√Ęncia das pessoas fazem com que elas prefiram mais fazer cr√≠ticas num tom ofensivo do que de fato buscar se inteirar em rela√ß√£o aquilo que elas desconhecem. Por isso, o investimento em educa√ß√£o √© uma das coisas mais importantes a serem realizadas em nosso pa√≠s.

    1. E parece que o comentarista não estudou na sobre geração de energia elétrica, pra defender a senhora Dilma no tocante a assuntos complexos como o na pauta, deve também ter o mesmo nível de conhecimento da senhora defendida. Conhecimento deveria ser a embriagues de um povo para não termos de ler desastres verbais desconexos em assuntos específicos.

  14. Realmente, este é um projeto da Dilma, não existe nada de novo nem engenhoso, o princípio é o mesmo das usinas hidroelétricas, energia potencial convertida em energia cinética e depois elétrica. Quero ver o tamanho de uma geringonça dessas pra gerar 1mW de energia elétrica. Menos.

Deixe um coment√°rio

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados