Exportação dos Cafés do Brasil atinge 40 milhões de sacas em 12 meses

Preço médio unitário da saca foi de US$ 161,92 e receita cambial de US$ 6,5 bilhões no período de fevereiro de 2021 a janeiro de 2022

As exportações dos Cafés do Brasil no total acumulado em doze meses, especificamente no período de fevereiro de 2021 a janeiro de 2022, atingiram um volume físico total equivalente a 40,16 milhões de sacas de 60kg, com preço médio unitário de US$ 161,92, e receita cambial de US$ 6,5 bilhões. Caso tal receita seja convertida para a moeda corrente do nosso País, considerando a média mensal do câmbio, no período ora em destaque, esse montante equivale a aproximadamente R$ 35,4 bilhões.

Desse volume total exportado, 36 milhões de sacas foram de café verde, das quais 32,4 milhões de café da espécie Coffea arabica e 3,6 milhões de café da espécie Coffea canephora (robusta e conilon). Além disso, as exportações também contabilizaram o equivalente a 4,07 milhões de sacas de café solúvel e 47,2 mil de café torrado e moído.

este mesmo contexto da performance dessas exportações, exclusivamente no mês de janeiro do corrente ano, as vendas brasileiras de café aos importadores somaram 3,23 milhões de sacas de 60kg, sendo 2,9 milhões de café verde; 318 mil sacas de solúvel e, em complemento, 3 mil de torrado e moído. Vale destacar ainda que o preço médio da saca exportada nesse mês foi de US$ 216,98, o que gerou uma receita de US$ 3,87 bilhões.

Conforme os números e dados estatísticos, que estão sendo objeto desta análise e divulgação do desempenho das exportações dos Cafés do Brasil, os quais constam do Relatório mensal janeiro 2022 do Conselho dos Exportadores de Café do Brasil – Cecafé, as exportações de café arábica corresponderam a 87,2% do total vendido ao exterior em janeiro de 2022. E, adicionalmente, o café solúvel correspondeu a 9,9%, o robusta a 2,8%, e o torrado & moído a 0,1%, totalizando 100% das exportações. Tal Relatório encontra-se também disponível no Observatório do Café, do Consórcio Pesquisa Café coordenado pela Embrapa Café.

Conforme ainda este Relatório do Cecafe, somente no mês de janeiro de 2022, o principal destino do café brasileiro foram os Estados Unidos, que responderam por 22% do exportado no período, haja vista que os norte-americanos adquiriram 710 mil sacas, a despeito do volume importado ter registrado um decréscimo de 5,6%, se comparado com o mesmo mês do ano anterior. Na segunda posição, de um ranking dos cinco maiores importadores, vem a Alemanha, com a compra de 518 mil sacas; a Bélgica, em terceiro, com 344,7 mil; quarta colocada a Itália, com aproximadamente 186,2 mil; e, em quinto, o Japão, com 176,3 mil sacas.

Por fim, em relação aos cafés diferenciados (os quais têm qualidade superior ou algum tipo de certificado de práticas sustentáveis), conforme mencionado no Relatório, o Brasil exportou 559,8 milhões de sacas desse tipo de café em janeiro de 2022. Tal volume representa 17,4% das vendas ao exterior de café verde, com receita cambial de US$ 163,7 milhões, valor que corresponde a 23,4% do valor total.

Neste contexto, vale destacar que o preço médio da saca exportada de cafés diferenciados foi de US$ 292,44, montante que representou um ágio médio de 42,1% em relação aos cafés naturais/médios.

Visite o site do Observatório do Café para ler na íntegra o Relatório mensal – janeiro 2022, do Cecafé.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.