conecte-se conosco

Geral

Mapa disponibiliza curso sobre febre aftosa para profissionais da defesa sanitária animal

Publicado

em

aftosa

O treinamento traz instruções para serem implementadas desde o primeiro aviso da suspeita até a conclusão de sua investigação

Secretaria de Defesa Agropecuária do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), em parceria com a Escola Nacional de Gestão Agropecuária (Enagro), disponibilizou o curso EAD “Febre aftosa: Vigilância e procedimentos na investigação de doença vesicular”, voltado para os profissionais que trabalham com Defesa Sanitária Animal nos Órgãos Estaduais de Saúde Animal e nas Superintendências Federais de Agricultura.

As inscrições podem ser feitas de 20 a 28 de maio, com início da capacitação para 1º de junho.

Em uma linguagem clara e objetiva, o curso apresenta as características da febre aftosa e do sistema de vigilância brasileiro para essa doença, tendo como principal foco os procedimentos realizados pelo serviço veterinário oficial brasileiro perante as notificações de suspeita de doença vesicular.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

“O treinamento constitui-se de um conjunto de instruções para serem implementadas desde o primeiro aviso (notificação) da suspeita até a conclusão de sua investigação. Inclui as fases de investigação e de alerta, devendo ser de conhecimento e domínio de todos que atuam no serviço veterinário oficial”, destaca a auditora fiscal federal agropecuária, Ana Carla Vidor.

Leia também:  Mais de 200 Fiscais do INDEA vão fiscalizar o cumprimento do vazio sanitário da soja em MT

A vigilância de doenças vesiculares é um dos pilares do Programa Nacional de Vigilância para a Febre Aftosa (Pnefa), e ganha especial importância em um cenário em que o país, desde 2018, é reconhecido internacionalmente como livre de febre aftosa.

Com a disponibilização dessa capacitação na modalidade a distância, o Departamento de Saúde Animal espera alcançar mais de 10 mil profissionais atuantes nos serviços de defesa sanitária animal no país e, assim, estar preparados para agir de forma rápida e correta no atendimento de uma possível suspeita de febre aftosa.

AGRONEWS – Informação para quem produz

Publicidade
Clique para comentar

Comente sobre esta matéria

Tendências