Mercado FinanceiroNotícias

Milho e sorgo têm forte queda na produção do Distrito Federal

O calor intenso na maior parte do Distrito Federal, sem registro de chuvas e níveis críticos de baixa umidade, afetou a safra regional de grãos

De acordo com o resultado do 12º Levantamento da Safra de Grãos 2020/21, divulgado nesta quinta-feira (9) pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), o milho cultivado no DF teve redução de 24%, passando de uma produção de 481,6 mil toneladas em 2019/20 para 366,2 mil toneladas nesta safra.

Além do baixo volume de produção, o grão colhido na segunda safra apresenta também baixa qualidade, com densidade inferior ao normal, decorrente do estresse hídrico que impactou as lavouras nos estádios de floração e enchimento dos grãos. Outro fator de impacto na produtividade foi o ataque de cigarrinhas, que reforçou a queda do rendimento médio das lavouras, que neste ciclo ficou em 4.270 quilos por hectare, semelhante à projetada no levantamento anterior. Assim, a produção de milho 2ª safra estimada no DF é de 162.687 toneladas, sendo 37,9% inferior à safra passada, cultivada em uma área total de 38.100 hectares.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

O sorgo desenvolvido no cerrado também enfrentou baixas devido ao clima. A produção no DF deve alcançar 41,6 mil toneladas nesta safra, 15,6% inferior ao ciclo anterior. A área cultivada permanece em 9.850 hectares e as lavouras encontram-se em plena colheita, sendo que 50% já foram colhidos.

No caso do trigo, a previsão de redução na produtividade ocasionou leve queda na estimativa de produção, passando de 11 mil toneladas em 2019/20 para 10,7 mil toneladas em 2020/21. Na modalidade sequeiro, a área cultivada foi de 1.750 hectares, sendo 16,7% superior à cultivada na safra passada, com produtividade média estimada em 2.100 quilos por hectare. Já na modalidade irrigada, a área plantada foi de 1.050 hectares, com produtividade média de 6.700 quilos por hectare. As lavouras de sequeiro já foram todas colhidas e as irrigadas encontram-se em estádio de maturação, apresentando excelentes condições fitossanitárias. Em algumas áreas, a irrigação já foi suspensa e os produtores aguardam apenas o ajuste ideal da umidade nos grãos para iniciar a colheita.

O feijão no DF teve forte queda (-66,7%) na produção do tipo caupi, mas o aumento no volume obtido com o feijão-comum cores favoreceu a elevação do total colhido com grão em toda safra (somando-se os tipos cores, preto e caupi nos três períodos de cultivo), chegando a 39,9 mil toneladas, ou 2,8% a mais que a safra passada.

A pesquisa para o acompanhamento da safra de grãos 2020/21 foi realizada em campo no DF no período de 16 a 20 de agosto. As análises tiveram foco especial nas lavouras de 2ª e 3ª safras de milho, sorgo, girassol, trigo (irrigado e sequeiro) e feijão. Os resultados mostraram que, na contabilização geral dos grãos, o volume produzido na região deve chegar a 752 mil toneladas nesta safra, 13,8% a menos que o montante alcançado na safra anterior, quando a safra no DF chegou em 872,8 mil toneladas.

AGRONEWS® – Informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados