Na 1ª quinzena de julho, litro do diesel registra alta de mais de 5%, diz Ticket Log

No Norte, região que apresentou os maiores preços do litro do diesel, o tipo comum chegou a R$ 8,10 e o S-10, a R$ 8,22

Segundo dados do último levantamento do Índice de Preços Ticket Log (IPTL), referentes à primeira quinzena de julho, o preço do litro do diesel comum aumentou 5,39% nas bombas de abastecimento do País, se comparado ao fechamento de junho, e encerrou o período com o preço médio de R$ 7,82. Já o tipo S-10, comercializado a R$ 7,93, aumentou 5,34% para os motoristas brasileiros.

“Ao contrário da gasolina e do etanol, que apresentaram recuos de 10,22% e de 6,33%, respectivamente, nesses primeiros dias do mês, o diesel só aumentou. Nenhum Estado ou região do País registrou redução no preço dos dois tipos, e sim, acréscimos de até 8,69%, a exemplo do tipo S-10 comercializado no Distrito Federal, de acordo com o último levantamento da Ticket Log”, destaca Douglas Pina, Diretor-Geral de Mainstream da Divisão de Frota e Mobilidade da Edenred Brasil.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Na análise regional, o Norte se destacou com as médias mais altas do País para os dois tipos de diesel. O comum na região fechou o período em R$ 8,10, com acréscimo de 5,21%; e o tipo S-10 foi comercializado a R$ 8,22, com alta de 5,54%. Assim como em junho, as médias mais baixas foram registradas nos postos de abastecimento do Sul, a R$ 7,41 o comum e R$ 7,51 o S-10, ambos com acréscimo de 5,66% no preço.

Nos destaques por Estado, Roraima comercializou o diesel comum mais caro do País, a R$ 8,50, e com o maior aumento em relação ao mês anterior (8,59%). A média mais baixa para esse combustível foi identificada no Rio Grande do Sul, a R$ 7,40, mesmo com acréscimo de 6,34%.

Já o diesel S-10 mais caro de todo o território nacional foi registrado nas bombas de abastecimento do Amapá, a R$ 8,61, com alta de 5,34%, em relação a junho. O preço mais baixo para esse tipo de diesel foi identificado nos postos de Santa Catarina, a R$ 7,49, com acréscimo de 5,18%.

Por Ticket Log

AGRONEWS® é informação para quem produz

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.