CuriosidadesNotícias

Paciente se recupera após transplante inédito com coração de porco [vídeo]

Após três dias da cirurgia o paciente já passa bem, informam especialistas

Era morrer ou fazer esse transplante. Eu quero viver. Eu sei que é um tiro no escuro, mas é minha última escolha“, disse Bennett um dia antes da cirurgia, de acordo com uma nota publicada pela universidade. Veja os detalhes e o vídeo no final desta matéria.

O norte-americano David Bennett, de 57 anos, com uma doença cardíaca terminal recebeu um transplante de um coração de porco geneticamente modificado na primeira cirurgia do tipo, e, três dias depois, o paciente está indo bem, afirmaram os médicos na segunda-feira (10).

Paciente se recupera após transplante inédito com coração de porco [vídeo]

A cirurgia, realizada por uma equipe da Universidade de Medicina de Maryland, está entre as primeiras a demonstrar a viabilidade do transplante cardíaco do porco para o homem, um campo de estudos possibilitado por novas ferramentas de edição de genes.

Caso a operação se prove bem sucedida, cientistas esperam que órgãos de porcos possam ajudar a aliviar a escassez de órgãos e doadores humanos.

Transplante inédito com coração de porco

Foi uma cirurgia revolucionária e que nos leva um passo mais próximo de resolver a crise de escassez de órgãos. Simplesmente não há corações humanos doados disponíveis para atender à longa lista de possíveis recebedores“, afirmou em nota o Dr. Barley Griffith, que transplantou cirurgicamente o coração suíno no paciente humano.

Estamos avançando com cautela, mas também estamos otimistas de que essa primeira cirurgia do tipo no mundo possa oferecer uma nova e importante opção para pacientes no futuro“, acrescentou Griffith.

Para o paciente David Bennett, de Maryland, o transplante de coração era a última opção.

Era morrer ou fazer esse transplante. Eu quero viver. Eu sei que é um tiro no escuro, mas é minha última escolha“, disse Bennett um dia antes da cirurgia, de acordo com uma nota publicada pela universidade.

Assista abaixo a reportagem da NBC com os especialistas que realizaram o transplante.

Considerado um dos maiores especialistas mundiais em transplante de órgãos animais, conhecido como xenotransplante, Muhammad M. Mohiuddin, MD, Professor de Cirurgia da UMSOM, juntou-se à faculdade umsom há cinco anos e estabeleceu o Programa de Xenotransplante Cardíaco com o Dr. Griffith. Dr. Mohiuddin atua como Diretor Científico/Programa do programa e Dr. Griffith como seu Diretor Clínico.

Este é o ápice de anos de pesquisas altamente complicadas para aprimorar essa técnica em animais com tempos de sobrevivência que atingiram mais de nove meses. A FDA usou nossos dados e dados sobre o porco experimental para autorizar o transplante em um paciente com doença cardíaca em estágio terminal que não tinha outras opções de tratamento“, disse o Dr. Mohiuddin. “Oprocedimento bem-sucedido forneceu informações valiosas para ajudar a comunidade médica a melhorar esse método potencialmente que salva vidas em futuros pacientes.

coração de porco,transplante,David Bennett
Dr. Muhammad M. Mohiuddin

Cerca de 110.000 americanos estão atualmente à espera de um transplante de órgãos, e mais de 6.000 pacientes morrem todos os anos antes de obter um, de acordo com o organdonor.govdo governo federal . A xenotransplante pode potencialmente salvar milhares de vidas, mas carrega um conjunto único de riscos, incluindo a possibilidade de desencadear uma resposta imune perigosa. Essas respostas podem desencadear uma rejeição imediata do órgão com um desfecho potencialmente mortal para o paciente.

Xenotransplantes foram experimentados pela primeira vez na década de 1980, mas foram largamente abandonados após o famoso caso de Stephanie Fae Beauclair (conhecida como Baby Fae) na Universidade Loma Linda, na Califórnia. O bebê, nascido com um problema cardíaco fatal, recebeu um transplante de coração de babuíno e morreu dentro de um mês do procedimento devido à rejeição do sistema imunológico do coração estranho. No entanto, por muitos anos, válvulas cardíacas de porco têm sido usadas com sucesso para substituir válvulas em humanos.

Mais imagens que mostram o momento da realização desta cirurgia inédita.

Os médicos-cientistas também usaram uma nova droga junto com drogas antirrejeição convencionais, que são projetadas para suprimir o sistema imunológico e impedir que o corpo rejeite o órgão estranho. A nova droga usada é um composto experimental feito pela Kiniksa Pharmaceuticals.

Este procedimento inédito e histórico destaca a importância da pesquisa translacional que estabelece as bases para que os pacientes se beneficiem no futuro. É o ápice do nosso compromisso de longa data com a descoberta e a inovação em nosso programa de xenotransplante“, disse E. Albert Reece, MD, PhD, MBA, Vice-Presidente Executivo para Assuntos Médicos, UM Baltimore, e o John Z. e Akiko K. Bowers Professor Distinto e Reitor, Escola de Medicina da Universidade de Maryland.

Nossos cirurgiões-cientistas transplantados estão entre os mais talentosos do país, e estão ajudando a concretizar a promessa de xenotransplante. Esperamos que um dia se torne um padrão de atendimento a pacientes que precisam de transplantes de órgãos. Como aconteceu ao longo de nossa história, a Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland continua a abordar os problemas médicos e científicos mais complexos.

Órgãos de suínos geneticamente modificados têm sido o foco de grande parte da pesquisa em xenotransplante, em parte por causa de semelhanças fisiológicas entre suínos, primatas humanos e não humanos. A UMSOM recebeu uma bolsa de pesquisa patrocinada de US$ 15,7 milhões para avaliar o Revivicor, ™ em estudos de babuínos.

Três genes — responsáveis pela rápida rejeição mediada por anticorpos de órgãos suínos por humanos — foram “eliminados” no porco doador. Seis genes humanos responsáveis pela aceitação imune do coração de porco foram inseridos no genoma. Por fim, um gene adicional no suíno foi eliminado para evitar o crescimento excessivo do tecido cardíaco suíno, que totalizou 10 edições genéticas únicas feitas no porco doador.

Estamos entusiasmados em apoiar a equipe mundial de cirurgiões transplantados liderada pelo Dr. Griffith e pelo Dr. Mohiuddin na Faculdade de Medicina da Universidade de Maryland“, disse David Ayares, PhD, Diretor Científico da Revivicor, Inc. “Este transplante é inovador e é mais um passo na investigação de órgãos para uso humano.“, finaliza.

AGRONEWS® é informação para quem produz

Mostrar mais
Siga-nos no Google News: CLIQUE AQUI

Um Comentário

  1. Sabe se que O tecido do porco e o mais parecido com o humano, melhor que o do primata
    Que seja o início do sucesso e salvar muitas vidas!!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados