Mercado FinanceiroNotícias

Suinocultores mato-grossenses têm prejuízo de até R$ 180 por animal vendido

carne suína

Elevado preço do milho e do farelo de soja e o baixo valor pago pelo quilo do suíno ao produtor trazem cenário assustador para a atividade

O cenário desfavorável na relação custo de produção e valor pago pelo quilo do suíno que esperava ser revertido no fim do ano (motivado pelo período de festas) não aconteceu em Mato Grosso, e de acordo com suinocultores a situação se agravou na última semana. Segundo a Associação dos Criadores de Suínos de Mato Grosso (Acrismat), o custo de produção no Estado está, em média R$ 6 por/quilo, enquanto o preço pago ao suinocultor está em torno de R$ 4,20/kg para fora do Estado e R$ 4,50/kg no mercado interno.

De acordo com a associação, o tradicional aumento na demanda pela proteína nas festas de fim de ano, que acaba elevando o preço pago aos produtores, foi prejudicado pela grande oferta de carne suína no mercado. “Por uma questão de especulação, o próprio suinocultor acabou ofertando muitos animais para abate, o que derrubou o preço pago e acabou piorando o cenário neste início do ano. Nas últimas cotações, com a venda de um animal de 100 kg, o prejuízo fica em torno de R$ 150 até R$ 180 por animal”, estima o presidente da Acrismat, Itamar Canossa.

Siga-nos: Facebook | Instagram | Youtube

Preocupada com o cenário que se desenha na atividade para os próximos meses, a Acrismat participou de reunião online, na última sexta-feira (07.01), com presidentes de associações, gestores e suinocultores convocada pela Associação Brasileira de Criadores de Suínos (ABCS). Na pauta, a preocupação do setor com o elevado custo de produção e o baixo valor pago ao suinocultor pelo quilo do animal, principalmente nas praças de Mato Grosso e Santa Catarina.

suíno

“Há relatos que na região Sul, produtores preocupados com o cenário de piora nos preços, venderam sua produção aos frigoríficos com preço de até quatro reais por quilo. Isso é totalmente descabido e sem lógica. Lá, o prejuízo é ainda maior, visto que o custo de produção é ainda mais alto”, explicou Canossa.

Para debater o assunto, a Acrismat, junto com a ABCS, terá agenda com a ministra da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Tereza Cristina, em Brasília, no dia 26 de janeiro.

Em Mato Grosso, a associação tenta viabilizar reunião com parlamentares da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) e com o Governo do Estado para expor a situação e buscar alternativas para melhorar o cenário da atividade.

Fonte: Acrismat

AGRONEWS® é informação para quem produz

Artigos relacionados
GeralNotícias

Proposta para substituição de gramínea no Pantanal será apresenta nesta quinta(26)

GeralNotícias

Rally da Safra avaliará lavouras de milho 2ª safra no Sudeste do MT e Sudoeste de GO

Mercado FinanceiroNotícias

Algodão: na bolsa de NY, preço da pluma valorizou

Mercado FinanceiroNotícias

Milho: bolsa de Chicago teve leve recuo, confira!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.